Plantas que Filtram a Água: Como Utilizá-las

Escrito por

Algumas plantas têm o poder de limpar solos contaminados e águas cinzas e sujas. Entenda como funcionam seus mecanismos e como tirar proveito delas.

A nível caseiro, o cultivo das plantas em tanques para limpeza e oxigenação das águas cinzas poderá propiciar recanto paisagístico agradável. Isso agrega maior valor à propriedade, além do benefício para o meio ambiente.

Algumas são bem conhecidas, devido a sua invasão nos cursos de água. É o caso do jacinto d’ água ou aguapé (Eichhornia). Suas flores azuis são muito bonitas e pode ser usada para decorar laguinhos em sistema fechado.

A planta é capaz, inclusive, de retirar de águas contaminadas por metais pesados os elementos em suspensão ou diluídos na solução, como o chumbo.

Plantas que Filtram a Água: Bordas de Laguinhos

papiro

Papiro

 

Algumas plantas são usadas também para ornamentar bordas de pequenos laguinhos domésticos.

É o caso do papiro (Cyperus papyrus) ou a sombrinha-chinesa (Cyperus involucratus), que desenvolvem  grandes touceiras e têm boa altura, capaz de bela ornamentação do espaço.

Caso o final do sistema de filtragem for um sumidouro, ali poderão fazer conjunto interessante do ponto de vista paisagístico.

Plantas Típicas de Aquário para Tanques

Outras são conhecidas plantas de aquários e que podem perfeitamente ser cultivadas nos tanques.

Citamos a elódia (Elodea sp.) e do rabo de raposa (Ceratophyllum), que ficam submersos e somente suas flores ocasionais chegam à superfície das águas, também não necessitando de muita luminosidade para seu desenvolvimento.

lentilha d’ água (Lemna) é um minúsculo vegetal parecido com uma lentilha, daí seu nome popular. Multiplica-se rapidamente, fica em suspensão na água e tem grande capacidade de oxigenação das águas.

Mais Plantas Aquáticas

ninféiaUma planta muito conhecida por fotos de ambientes palustres e desenhos animados é a taboa (Typha)uma espécie de junco que, além de conferir um efeito paisagístico interessante, é uma planta excelente para o desempenho que desejamos.

Também podemos dizer sem erro quando nos lembramos de plantas aquáticas nos vem à memória o nenúfar ou ninféia (Nymphaea), aquela bela flor com suas folhas redondas flutuantes, muito apreciada para cultivo em laguinhos e pintada em aquarelas orientais.

É uma planta capaz de introduzir no meio aquático grande quantidade de oxigênio, portanto, beleza e utilidade para o trabalho que iremos desenvolver.

Outra muito conhecida é a alface d’água (Pistia sp.) que é ávida por nutrientes orgânicos e poderá converter em massa vegetal de grandes dimensões a partir do material em decomposição presente na água em tratamento, limpando assim o líquido.

Também a salvínia (Salvinia) além de ornamentar o espelho d’ água também é útil, desenvolve rapidamente grande massa vegetal.

Nos tanques de águas cinza e sem contaminação de metais pesados é possível retirar parte da população de plantas para uso em compostagem que posteriormente poderão servir para adição nos canteiros de hortaliças ou ornamentais.

Raízes de Bananeira Ajudam a Filtrar as Águas

bananeiras rizomas

Rizomas das bananeiras

Há uma planta, a bananeira (Musa sp.) conhecida por todos, que é adequada a ambientes meio palustres, na fase inicial ou mesmo final de tratamento de águas cinza e mesmo águas negras oriundas de fossas assépticas.
A produção de seus rizomas é rápida e sua copa confere aquele ar tropical ao ambiente.

Sua presença em tanques de tratamento é eficiente do ponto de vista de limpeza das águas.

A expressão usada antigamente “… vou até as bananeiras” deve-se a que as pessoas antigamente já usavam fazer a “casinha” ou sanitário rodeada de bananeiras, com cultivo para extração dos frutos e para a proteção dos olhares estranhos da privacidade que o momento exigia.

Para o uso de águas negras é preciso um estudo bem mais complexo e cabem à engenharia sanitária os projetos necessários para a limpeza deste tipo de água servida. 

Formas empíricas e maus desenvolvimentos sem a devida desinfecção poderão colocar em risco a saúde dos moradores e deverão ser rigorosamente analisados para definir o uso destas águas depois de tratadas.

As práticas ecológicas e de sustentabilidade são altamente louváveis e devem ser implantadas, mas com a devida segurança.