Como reconhecer os sintomas de um Infarto?

Escrito por

O Infarto Agudo do Miocárdio, popularmente conhecido como “Ataque Cardíaco”, é caracterizado por um dor torácica que acomete o indivíduo em repouso, muito intensa, que se inicia subitamente, geralmente após estresse físico ou emocional ou após uma grande refeição.

A intensidade da dor pode aumentar progressivamente nas primeiras horas e, além da dor, pode-se apresentar sudorese, palidez, náuseas e vômitos e sensação de iminência de morte.

Sintomas típicos do infarto

As características típicas da dor do infarto são:

  • Localização subesternal (cerca de 4 dedos abaixo da linha imaginária entre os mamilos) ou precordial (no centro do tórax, levemente à esquerda)
  • Caráter constritivo, ou seja, “em peso” ou “em aperto”
  • Duração maior do que 15 a 20 minutos
  • Pode irradiar ou se espalhar para o braço esquerdo ou para o dorso
  • Não melhora com o uso de nitrato sublingual como, por exemplo, o Isordil

 

O paciente que estiver apresentando esses sintomas deve procurar atendimento médico emergencial imediatamente para que o médico realize uma história clínica, um eletrocardiograma e uma coleta de sangue para análise das enzimas cardíacas.

Caso o diagnóstico de Infarto seja confirmado, o paciente permacerá internado para o tratamento, que inclui medicamentos orais, venosos e suporte de oxigênio.

A gravidade do quadro e a infra-estrutura do hospital ao qual o paciente obtém acesso determinarão se o paciente ficará internado em um Centro de Terapia Intensiva (CTI) ou se realizará algum procedimento cirúrgico.

Sintomas atípicos de infarto

Alguns pacientes, particularmente os idosos e os diabéticos, podem manifestar uma apresentação atípica de sintomas de Infarto:

  • Dor torácica “em queimação”, “em fisgada” ou “em facada”;
  • Dor semelhante a uma dor estômago e sensação de indigestão, cansaço intenso, desmaio;
  • Fraqueza ou alteração nas sensibilidade de algum ou alguns dos membros superiores e inferiores (déficit neurológico focal);
  • Dispnéia (falta de ar) com excesso de secreção que o paciente não consegue expectorar (Edema Agudo de Pulmão)

Assistência médica imediata

Cirurgia NoturnaO Infarto Agudo do Miocárdio é uma das principais causas de morte no Brasil, sendo que 1/3 dos pacientes que infartam morrem no ato ou algumas horas depois.

A primeira hora é o momento mais importante para o diagnóstico e o tratamento do infarto e é o período no qual ocorrem 50% dos óbitos, geralmente antes do atendimento médico.

Por isso, é essencial reconhecer os sintomas e buscar assistência médica imediatamente.

Muitos pacientes não morrem no momento do evento, mas podem vir a falecer posteriormente, devido a consequências do infarto, vítimas de insuficiência cardíaca ou arritmias graves.

A maioria dos infartos é causada por uma oclusão aguda de uma artéria responsável pela nutrição de uma das camadas que revestem o coração.

Se diagnosticado e tratado rapidamente em um Hospital, o Infarto Agudo do Miocárdio pode não deixar seqüelas, exigindo-se apenas acompanhamento regular do paciente com o seu cardiologista e mudanças no hábito de vida.

Os sintomas do Infarto Agudo do Miocárdio também estão presentes em outras patologias em que ocorre isquemia (deficiência na oxigenação) no coração, como a angina instável e a angina de Prinzmetal, que são diagnósticos diferenciais do Infarto Agudo do Miocárdio.

Estes também necessitam de avaliação médica imediata, tratamento e acompanhamento posterior com o cardiologista.

Mude seu estilo de vida:

Indivíduos que, por algum motivo, realizaram exames solicitados por um cardiologista e descobriram que apresentam placas de gordura obstruindo os principais vasos sangüíneos do coração (doença ateroesclerótica coronariana) devem tomar medidas quanto ao seu estilo de vida para evitar a progressão da doença para um infarto agudo do miocárdio, que pode inclusive levar à morte súbita.

São elas:

  • parar de fumar
  • fazer dieta, se necessário buscar auxílio de nutricionista
  • emagrecer, caso apresente Indice de Massa Corpórea acima de 25 (obtido pelo cálculo: peso dividido pela altura ao quadrado)
  • exercício físico regular
  • controlar a pressão arterial com o auxílio de um cardiologista (manter a pressão menor que 130 x 80mmHg)
  • controlar os níveis de colesterol (LDL idealmente menor do que 70mg% e HDL acima de 50mg%)
  • controlar o Diabetes Melitus (manter o nível de glicose no sangue abaixo de 110mg%)
  • vacinação contra Influenza.