Principais Métodos Anticoncepcionais

Escrito por

 

Atualmente existem diversos tipos de métodos anticoncepcionais, todos visando se adaptar ao máximo ao estilo de vida de seus usuários.

No entanto, poucas pessoas conhecem todas as práticas de prevenção – especialmente jovens que, em sua maioria, são os maiores consumidores deste mercado.

Vale lembrar que a melhor forma de garantir a eficácia do contraceptivo é numa consulta médica com um ginecologista.

Esse profissional indicará o melhor tratamento como também a melhor marca referente ao objetivo, biótipo e histórico de saúde do paciente.

Conheça agora os principais métodos atualmente disponíveis.

Pílula Oral

pílulaA pílula é o método mais utilizado e que tem a eficácia de 99,8%.

Ela age impedindo a ovulação e dificultando a passagem dos espermatozoides para o interior do útero.

Os comprimidos devem ser tomados um por dia e, de preferência, no mesmo horário.

Há muitas marcas para esse contraceptivo, que também é utilizado para regular o ciclo menstrual da mulher.

Porcentagem de falha: 0,1 a 8%

Contraceptivo Injetável

O anticoncepcional injetável dispensa a necessidade de lembrar diariamente de tomar um medicamento.

Além disso, é possível escolher a aplicação mensal ou trimestral.

Geralmente as aplicações são feitas nas nádegas e têm menos efeito colateral no estômago comparado às pílulas.

A injeção deve ser realizada em farmácias, mas é necessário ter uma prescrição do médico responsável.

Porcentagem de falha: 0 a 0,3%

Adesivo Anticoncepcional Transdérmico

adesivo anticoncepcionalO adesivo é um método muito usado especialmente para quem tem intolerância gástrica à pílula.

Ele é colocado na pele, que passa a absorver os hormônios contidos em sua superfície.

Cada adesivo dura uma semana, por isso é necessário a troca toda a cada sete dias.

O adesivo pode ser adquirido em qualquer farmácia e muitas vezes sem prescrição médica.

No entanto é importante ressaltar que, antes de tomar qualquer contraceptivo, é necessário conversar com um ginecologista, que vai esclarecer os prós e contras do método pretendido.

Porcentagem de falha: 0,1%

Dispositivo Intrauterino (DIU)

Ele é uma estrutura de metal que tem ação espermicida intrauterina, ou seja, que impede que o espermatozoide chegue até o óvulo.

Para introduzi-lo é necessário o auxílio de um médico.

Como o dispositivo pode causar maior fluxo de sangramento durante a menstruação, ele não é indicado para mulheres com anemia ou que já tem o fluxo abundante, pois pode agravar o problema.

Porcentagem de falha: 0,5 a 1%