Disjuntores elétricos… o que voce deve saber!

Escrito por

Apesar de haver a permissão de uso de alguns tipos de fusíveis, é recomendável que se use disjuntores como dispositivo de segurança contra sobre-cargas.

Ele funciona como um guarda costas da instalação elétrica e desliga toda vez que sua capacidade é ultrapassada.

Neste caso, é necessário verificar o problema. Depois de sanado, basta religá-lo, diferente de um fusível, que necessita ser substituído.

Na residência, loja ou escritório, os circuitos são divididos e devem ser protegidos por disjuntores de acordo com a capacidade de cada circuito. Vale lembrar que o disjuntor ou fusível serve para proteger os fios contra sobrecargas, não os equipamentos.

Portanto não devemos substituir os disjuntores sem antes avaliar os fios dos circuitos.

Assim como o diâmetro de um cano é determinado em função da quantidade de água que passa em seu interior, a bitola de um condutor elétrico depende da quantidade de elétrons que por ele circula (corrente elétrica).

Toda vez a corrente circula pelo condutor, ele se aquece devido ao atrito dos elétrons em seu interior. No entanto, há um limite máximo de aquecimento suportado pelo fio ou cabo, acima do qual ele começa a se deteriorar. Nessas condições, os materiais isolantes se derretem, expondo o condutor de cobre, podendo provocar choques e causar incêndios.

Para evitar que os condutores se aqueçam acima do permitido, devem ser instalados disjuntores ou fusíveis nos quadros de luz. Esses dispositivos funcionam como uma espécie de “guarda-costas” dos cabos, desligando automaticamente a instalação sempre que a temperatura nos condutores começar a atingir valores perigosos.

O valor do disjuntor ou fusível (que é expresso sempre em ampéres) deve ser compatível com a bitola do fio, sendo que ambos dependem da corrente elétrica que circula na instalação.

 Desarme do Disjuntor

Em minha residencia há apenas um disjuntor de 50 ampéres e nos últimos dias ele tem se desligado com frequencia, porque?

De acordo com sua descrição, tudo indica que será necessária a substituição do único disjuntor de 50 ampères que está instalado para a proteção elétrica de sua residência, e que está desarmando com frequência sem motivo aparente.

Antes de tudo, devo alerta-lo que não deveria ser assim a proteção de sua casa, pois o correto seria a rede elétrica balanceada ou dimensionada com a divisão por circuitos protegidos por disjuntores independentes, o que facilitaria identificar qualquer sobre carga com a consequente indicação pelo desarme do disjuntor daquele circuito, permanecendo o restante de sua casa com energia elétrica ligada.

O que provavelmente está causando o desarme deste único disjuntor é a soma de todas as correntes bem próximas do limite de corrente de desarme do disjuntor instalado.

Como vou exemplificar a seguir, os disjuntores são projetados para desarmarem quando houver uma sobre carga de corrente ( aquecimento dos cabos condutores) acima do limite ou um curto circuito na rede elétrica interna.
O funcionamento interno do disjuntor é baseado em bobina eletromagnética e lâminas bi metálicas para desarme de acordo com o tipo de problema a que ele será submetido.

Como pode ver, são componentes de extrema precisão e que se submetidos constantemente ao limite de trabalho, ocasiona o desgaste prematuro de suas peças internas, provocando o desarme sempre que alcançar o limite próximo da corrente de desarme.

Como você afirmou que não adquiriu nenhum equipamento novo e não existe um consumo maior de energia atualmente, sugiro contatar um eletricista de sua confiança para que possa analisar detalhadamente sua rede elétrica e verificar se existe alguma fuga de corrente na rede interna provocando o desarme, se os condutores existentes foram dimensionados na bitola correta e se poderá ser feito um dimensionamento melhor para a instalação de circuitos independentes.

É difícil encontrar profissionais qualificados para isso, mas não vejo uma solução mais adequada para solucionar o problema. No momento é aconselhável a substituição do disjuntor único como medida provisória e verificar se continua acontecendo o desarme do disjuntor.
Mas mesmo assim é imprescindível a presença de um eletricista com experiência para não haver nenhum acidente como curto circuito ou choque em pessoas que estiverem efetuando a manutenção elétrica sem conhecimentos necessários para tal.

A segurança de seu imovel e de sua familia dependem deste trabalho bem feito !

fonte:ProCobre