Mas, o que é este tal de “Tear”?

Escrito por

 

Vou escrever aqui sobre a tecelagem e seus equipamentos – e acreditem, muitas vezes descomplicados!

O título acima foi a pergunta que fiz à vendedora na loja de armarinhos, em 2008.

Lembro-me de ter entrado no local, como tantas vezes em minha vida (sim, sou rata de armarinhos desde que me conheço por gente), e vi, em um canto, um empilhado de quadrados, retângulos, hexágonos, com pregos em toda a volta.

Achei curioso, no mínimo – afinal, até então meu mundo no artesanato se resumia ao tricô, um pouco de crochê e bordado – e pegando um daqueles “instrumentos” na mão, perguntei à moça no balcão do que se tratava aquilo.

E ela então me respondeu que era um “tear”.

tear-pregos-diagonal

tear-pregos-diagonal

Imediatamente fiz a pergunta de um milhão: “o que é o tear?”

E ela, muito solícita, resolveu me mostrar uma revista, repleta de trabalhos feitos com aquelas “coisinhas”.

Ao virar as folhas, deparei-me com um tipo de artesanato até então desconhecido para mim.

De maneira simples, define-se tear como um equipamento com o qual é possível fazer tecelagem, ou manufatura de tecidos, de espessuras diversas, voltados para os mais diferentes fins.

Essencialmente, um quadradinho de pregos e um tear industrial fazem, de maneiras diferentes, a mesma coisa: tecido! 

Esta revelação foi um divisor de águas na minha vida de “artesã”, que até aquele momento era apenas ocasional.

Resolvi tentar.

 Comecei com um tear, um gancho, uma revista

Saí de lá com a tal revista, uma agulha ou gancho, um tear de 32 x 32 pregos quadrado e um rolo de barbante.

Em casa, sentei-me no sofá,  coloquei o “equipamento” no colo, e munida da revista, comecei aquela que seria uma maravilhosa e fascinante aventura.

teares-pregos

tear de pregos

Nem preciso dizer que nunca mais parei; aliás, aquele tearzinho, o “marco zero”, como gosto de chamar, está guardado juntamente com mais uns 50, de vários tamanhos e formas, em um baú, ladeado por tantos outros tipos de teares, que fui alucinadamente comprando ao longo de todos estes anos.

E claro, à medida que o “arsenal” crescia, aumentava também a necessidade de espaço, e assim, o escritório logo tornou-se ateliê.

Hoje, é difícil encontrar algum dos meus teares “vazios”; é comum haver dois ou mais ocupados com alguma encomenda ou “experimento”, juntamente com gráficos e livros de tecelagem espalhados, estes últimos peças de uma biblioteca pequena, mas que se tornou meu orgulho.

E que, eventualmente, continua crescendo… rs…

Como funciona o tear

tear-tecido

 

 

 

O tecido mais comum, originado do cruzamento de fios verticais (chamados na tecelagem de “urdidura”) e horizontais (conhecidos como “trama”), segue um padrão “embaixo/em cima”.

teares-ponto

 

Ou seja, os fios horizontais são passados por cima e por baixo dos fios verticais, de maneira alternada, formando uma “tela”, e exatamente por isso é conhecido como “ponto tela”.

Pode-se ainda citar a fabricação de malhas, cujos teares executam pontos de tricô, e são bastante comuns na confecção de camisetas, por exemplo.

tear-tecido

tear