Lesões Musculares da Tíbia!

Escrito por

A dor muscular sobre a tíbia é devida à lesão dos músculos situados ao longo da mesma

A causa habitual desta lesão é o esforço prolongado e repetido sobre a perna.

Dois grupos musculares da tíbia apresentam propensão à este tipo de dor.
A localização da dor depende do grupo afetado.
A dor ântero-lateral afeta os músculos das partes frontal (anterior) e externa (lateral) da tíbia. Esse tipo de lesão é decorrente de um desequilíbrio natural no tamanho dos músculos oponentes.

Os músculos tibiais tracionam o pé para cima e os músculos da panturrilha, maiores e mais fortes, tracionam o pé para baixo cada vez que o calcanhar toca o chão durante a marcha ou a corrida.

Os músculos da panturrilha exercem tanta força que podem lesar os músculos da região anterior da perna.
O principal sintoma é a dor ântero-lateral ao longo das faces anterior e lateral da tíbia. Inicialmente, a dor é sentida apenas logo após que o calcanhar tocar o chão durante uma corrida.

Se o indivíduo continuar a correr, a dor ocorre em cada passo e, finalmente, torna-se constante.
Geralmente, ao ser examinada por um médico, o indivíduo refere dor à palpação da região.

A dor póstero-medial afeta os músculos das faces posterior e medial (interna) da tíbia, os quais são responsáveis pela elevação do calcanhar imediatamente antes dos dedos dos pés deixarem o chão.

Esse tipo de lesão freqüentemente é resultante de corridas em pistas inclinadas ou em estradas ou ruas muito movimentadas e pode piorar se os pés rodarem excessivamente para o interior ou se o indivíduo utilizar calçados de corrida que não impedem adequadamente essa rotação dos pés.

A dor produzida por esse tipo de distúrbio geralmente inicia ao longo da face medial da perna, cerca de 2 a 20 centímetros acima do tornozelo, e piora quando o corredor apóia-se sobre os dedos dos pés ou roda o tornozelo para dentro.

Se ele continuar a correr, a dor se deslocará para a frente, afetando a face medial do tornozelo e podendo se estender pela tíbia, até quatro ou dez centímetros abaixo do joelho.
A intensidade da dor aumenta com a progressão do quadro. Inicialmente, apenas os tendões musculares tornam-se inflamados e dolorosos. No enanto, se o indivíduo insistir em correr, os próprios músculos podem ser afetados.

Finalmente, a tensão sobre o tendão inflamado pode chegar mesmo a arrancá-lo de sua inserção no osso, causando sangramento e uma maior inflamação.

Em alguns casos, a parte da tíbia unida ao tendão é arrancada (avulsão).
O tratamento principal consiste na interrupção da corrida consiste em parar de correr e na realização de outros tipos de exercício até que a corrida não seja mais uma atividade dolorosa.

Os calçados de corrida com um contraforte (a parte do sapato que envolve o calcanhar) rígido e com apoios especiais para o arco do pé podem impedir que o pé rode excessivamente para dentro.

Evitar corridas sobre superfícies inclinadas ajuda a evitar as recorrências do quadro. Os exercícios de fortalecimento dos músculos lesados podem ser úteis.

Nos casos graves em que um fragmento da tíbia foi arrancado, pode ser indicado um procedimento cirúrgico para fixálo.
Após este tipo de tratamento, o indivíduo não poderá correr durante longos períodos.

Um tratamento experimental, o qual consiste na administração diária de calcitonina (um hormônio formador de tecido ósseo) sob a forma injetável ou de alendronato (substância que retarda a perda de tecido ósseo) pela via oral, curou alguns casos não responsivos às outras medidas terapêuticas.

Em alguns casos, nenhum dos tratamentos disponíveis é eficaz e o corredor deve abandonar definitivamente a prática da corrida.