Lesões esportivas… Cotovelo de Tenista por Forehand!

Escrito por

O cotovelo de tenista por forehand (cotovelo do jogador de beisebol, cotovelo do carregador de mala, epicondilite medial) é a lesão dos tendões responsáveis pela flexão palmar da mão (para frente), causando dor na face anterior do antebraço em direção ao punho.

Esta lesão ocorre quando é realizada a flexão palmar da mão com uma força excessiva.

Os fatores que produzem essa força incluem a fraqueza da musculatura do ombro ou da mão; servir com muita força durante uma partida de tênis; servir utilizando um golpe com spin; golpear bolas molhadas e pesadas; utilizar raquetes pesada demais, com uma cabo muito curto ou com um encordoamento muito tenso; rebater bolas de beisebol; arremessar dardos e carregar malas pesadas.

Continuar a se exercitar mesmo com dor pode provocar o descolamento dos tendões do osso e causar sangramento.

O principal sintoma é a dor ao longo do cotovelo e do antebraço (na face anterior) durante a flexão palmar, contra uma resistência ou ao apertar uma bola de borracha dura.
Para confirmar o diagnóstico, o médico solicita ao paciente que ele se sente em uma cadeira, com o braço lesado repousando sobre uma mesa e a palma da mão voltada para cima.

O médico imobiliza o punho e pede ao paciente que ele eleve a mão flexionando o punho.
O paciente com cotovelo de tenista por forehand sente dor no cotovelo.

O indivíduo não deve realizar qualquer atividade que cause dor quando é realizada a flexão palmar ou a rotação do punho de modo que o quinto quirodáctilo (dedo mínimo) fique próximo do corpo.
Após a cura da lesão, o jogador de tênis deve fortalecer os músculos do punho e do ombro, assim como os músculos lesados.

Fortalecimento dos Ombros

Banco de pesos

Deite-se de costas.
Use um banco especial ou solicite ajuda de um observador para retirar o peso no final do exercício.
Sustentar a barra com os polegares voltados um para o outro.
Levantar e abaixar lentamente o peso a partir do peito.
Realize três séries de dez repetições, interrompendo o exercício imediatamente caso sentir dor.

À medida que a sua força for aumentando, aumente o peso.
Atenção! O exercício deve ser iniciado com um peso muito leve, pois este força os músculos lesados.

Tendinite do Manguito Rotador

A tendinite do manguito rotador (ombro do nadador, ombro do tenista, ombro do arremessador de beisebol, síndrome da impactação do ombro) é a laceração e o edema do manguito rotador (os músculos e tendões que sustentam o braço na articulação do ombro).

Freqüentemente, esses tendões são lesados durante a prática de esportes que dependem de movimentos repetidos de elevação do membro superior (acima da cabeça), como o arremesso no beisebol, o levantamento de grandes pesos acima dos ombros, o saque em esportes que utilizam raquetes e a natação nos estilos livre, borboleta ou de costas.

Os movimentos repetidos do membro superior acima da cabeça fazem com que o úmero (osso do braço) atrite contra uma parte da articulação do ombro e seus tendões e cause a laceração de fibras.

Se o indivíduo continuar a realizar os movimentos apesar da dor, o tendão poderá lacerar ou mesmo arrancar parte do osso.

A dor no ombro é o sintoma principal. Inicialmente, a dor ocorre somente durante as atividades que exigem a elevação do membro superior acima da cabeça e o retorno do mesmo para a frente e com força.
Posteriormente, a dor pode ocorrer mesmo quando o membro superior é movido para frente como, por exemplo, em um simples aperto de mãos.

Geralmente, o ato de empurrar objetos para longe do corpo é doloroso,mas o ato de puxá-los em direção ao corpo não o é.

O diagnóstico é estabelecido quando determinados movimentos, especialmente a elevação do membro superior acima do nível do ombro, causam dor e inflamação. Algumas vezes, a artrografia (radiografias realizadas após a injeção de um contraste no interior da articulação) pode detectar lacerações completas de algum tendão do manguito rotador.
No entanto, a artrografia geralmente não é suficiente sensível para detectar lacerações parciais.

O tratamento consiste no repouso dos tendões lesados e no fortalecimento do ombro.
Devem ser evitados os exercícios que incluam movimentos de empurrar algo (afastando o objeto do corpo) ou de elevar os cotovelos acima do nível dos ombros. Entretanto, desde que não produzam dor, o indivíduo pode continuar a praticar remo em pé sem resistência (flexionando e não elevando os cotovelos) e empurrar para baixo em aparelhos com pesos que exercitam os músculos grandes dorsais e os ombros.

A cirurgia é algumas vezes necessária, quando a lesão é particularmente grave, quando a laceração do tendão é completa ou quando a lesão não cura em um ano.

fonte: msd-brazil