Homeopatia Funciona Mesmo?

Escrito por

 

A homeopatia tem base numa filosofia que defende que as enfermidades são causadas por desequilíbrios na energia vital do indivíduo.

O paciente é tratado com doses extremamente diluídas de substâncias cuja estrutura química ou molecular é similar à da doença ou dos sintomas a serem tratados. Isto estimula o corpo a reagir e combater a doença.
O nome “homeo”, que significa “semelhante”.

Medicamentos homeopáticos são muito peculiares: uma única dose pode agir durante meses. Além disso não possuem prazo de validade.

A homeopatia é classificada como unicista, que receita apenas um remédio para combater exatamente o problema do paciente; e pluralista, que acredita numa combinação de medicamentos homeopáticos – em geral de dois a cinco.

A Homeopatia É Reconhecida no Brasil

Apesar de ser uma medicina alternativa, desde 1980 a homeopatia é considerada uma especialidade médica no Brasil, fazendo parte inclusive do Sistema Único de Saúde (SUS) – que reporta resultados bastante positivos nessa área.

A prefeitura de Belo Horizonte, Minas Gerais, por exemplo, divulgou uma pesquisa que indica que, entre os pacientes que se tratam com homeopatia, há um menor índice de encaminhamentos e de exames complementares, sugerindo que os problemas de saúde são solucionados sem a necessidade de maiores intervenções.

Além disso, os custos do tratamento homeopático são bem menores.

Algumas faculdades de Medicina do país oferecem cursos eletivos sobre o assunto. Países como Alemanha, França e Reino Unido também disponibilizam tratamentos por homeopatia em seus hospitais públicos.

Pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a homeopatia é recomendada como tratamento complementar à medicina tradicional.

O Argumento dos Céticos

homeopatiaMas embora sua eficácia seja amplamente observada, a homeopatia não é uma unanimidade mundial.

Para os céticos, a melhora do paciente seria devido ao efeito placebo – a simples crença de que o tratamento é efetivo – e não à capacidade real de cura do remédio. Afinal, a diluição é tão grande que geralmente não se encontra mais traços do mesmo no líquido que o transporta.

E é justamente aí que reside a grande contradição lógica da homeopatia: quanto mais diluído estiver o princípio mais potente ele se tornaria. São as chamadas “doses infinitesimais”, que precisam, ainda, ser bem agitadas, para “despertar” suas propriedades de cura.

A “Memória da Água”

Os adeptos da homeopatia, no entanto, contra-argumentam com base na “memória da água”, na qual o potencial terapêutico da substância ficaria preservado.

Basicamente a memória da água consiste na mudança estrutural do líquido mesmo quando da quase inexistência de outras substâncias. Um copo d´água com cloreto de sódio em extrema diluição, por exemplo, apresentará estrutura diferente de um copo d´água que não sofreu qualquer adição.

Em outras palavras, a água na qual a substância homeopática foi diluída, terá uma estrutura capaz de tratar a doença.

Principais Tratamentos Homeopáticos

homeopatiaOs transtornos para os quais a homeopatia é mais indicada são doenças de pele, respiratórias, gastrointestinais e alergias, além de problemas de fundo emocional, como a depressão.

Problemas mais graves como câncer ou diabetes, no entanto, precisam de tratamento convencional. Nesses casos a homeopatia só é permitida como terapia complementar, e sob autorização do médico alopata.

O sucesso do tratamento homeopático depende da força vital do indivíduo, além da natureza da doença e da precisão da receita prescrita pelo médico homeopata.

Doenças agudas, como infecções urinárias, tendem a obter uma resposta mais rápida, em questão de horas; crônicos, no entanto, podem demorar uma semana ou mais.

Cuidados Especiais

Se você decidiu se submeter ao tratamento homeopático, conheça alguns detalhes importantes a levar em consideração:

  • Não confunda homeopatia com fitoterápicos. São duas abordagens e composições completamente diferentes;
  • Tratamentos homeopáticos de sucesso passam necessariamente por profissionais especializados e fórmulas personalizadas. Não tente se auto-receitar ou utilizar um remédio homeopático receitado para outra pessoa;
  • Só repita a receita com a autorização do seu médico;
  • Se for dose única, tome em jejum;
  • Siga à risca a orientação de seu homeopata: alguns deles pedem para evitar alimentos como café ou cafeína até que esteja assegurado de que o remédio receitado é o corretora;
  • Substâncias aromáticas como menta, eucalipto ou cânfora podem interferir no tratamento e podem sofrer restrições por parte do médico homeopata.