Hipoglicemia e Síndrome do Pânico

Escrito por

A hipoglicemia reativa é um quadro que se caracteriza por uma queda acentuada do nível de glicose (açúcar) do sangue. Isso traz sintomas como palpitações, tontura, fraqueza e dores de cabeça. A síndrome do pânico também pode ser desencadeada.

Muitas vezes, ela não é acusada nos exames de laboratório, que acabam apontando como resultados normais.

Os próprios médicos não sabem interpretá-la clinicamente, e acabam por ignorar o que o pacientes dizem. Entra em cena o famoso jargão “Isso não é nada”.

No entanto, na população em geral a doença é mais comum do que se possa imaginar.

Como Acontece a Hipoglicemia

A hipoglicemia acontece quando consumimos alimentos capazes de aumentar a glicemia (açúcar) no sangue rapidamente, tais como refrigerante, batata, doces, chocolates e etc.

Isso faz o pâncreas trabalhar mais e liberar maior quantidade de insulina na corrente sanguínea por conta do exagero desses alimentos.

docesComo a subida das taxas de açúcar é rápida, a queda também é. Ou seja, a reação à subida veloz é a hipoglicemia. Por isso é denominada hipoglicemia reativa.

Em conseqüência desse distúrbio endócrino pode haver uma maior resistência a insulina, levando a um diabetes tipo II. Isto porque a glicose fica em excesso no sangue e há um acúmulo de gordura na região abdominal.

O resultado é o aumento do risco de doenças cardiovasculares, câncer, pressão alta, Alzheimer e ainda a Síndrome do Pânico, que apresenta um quadro de sintomas muito similares ao da hipoglicemia reativa

O cérebro usa como principal fonte de energia a glicose (açúcar), e há muito tempo já se conhece a ligação íntima entre os sintomas de neurose (desequilíbrio mental que causa angústia e ansiedade) e os de hipoglicemia reativa.

Como se Manifesta a Síndrome do Pânico

A Síndrome do Pânico é caracterizada por um conjunto de sintomas gerados por um medo sem motivos aparente.

O pânico pode surgir por qualquer motivo real ou fictício, levando a ocorrência de ansiedade aguda, um medo sem controle. Quando o fato é fictício a impressão que o individuo tem é que aquilo que ele está vivendo é tão verdadeiro quanto na situação real de pânico.

Os sintomas da síndrome do panico são: depressão, ansiedade, insônia, irritabilidade, fobias, pânico, confusão mental, fadiga, sudorese, taquicardia, indigestão crônica e diminuição do apetite, dor de cabeça (principalmente enxaqueca), tontura, sensação de desmaio, dores musculares e lombares, pressão baixa, humor instável.

Para Síndrome do Pânico não existe, idade, sexo, raça e esta é frequentemente acompanhada de sensações de morte e de sensação de loucura.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: Martin_Duggan