Evitando a Automedicação

Escrito por

 

Parece exagero, mas o uso de medicamento, mesmo o mais simples e corriqueiro comprimido para dor de cabeça, exige do paciente responsabilidade e boa dose de informação.

Um remédio ingerido indevidamente pode matar.

Apesar do perigo, a grande maioria dos brasileiros costuma fazer automedicação, ou segue conselhos de quem não tem formação profissional para tanto.

O correto é consultar um médico sempre que preciso.

Cuidados na Hora de se Medicar

Marcada a hora no médico, é importante que alguns procedimentos sejam seguidos:

  • Não chegue atrasado à consulta, mantenha a calma e seja prático;
  • Leve a lista dos remédios que já tomou ou está tomando, mais os resultados de exames;
  • receita médicaNão esqueça de relatar tudo o que sentiu ou está sentindo (sintomas), os efeitos indesejáveis que você observou quando tomou os remédios, ou se tem algum tipo de alergia a medicamentos, se você se consultou com outros médicos, o que lhe foi receitado e as orientações que recebeu para o tratamento;
  • Fique atento quando o médico lhe entregar a receita. Não tenha vergonha de pedir que ele leia e lhe explique o que está escrito;
  • Não volte para casa com dúvidas, faça perguntas, principalmente sobre o nome, a dosagem e a forma de apresentação do medicamento, assim como quantas caixas ou vidros devem ser comprados;
  • Esclareça o quanto do produto deve ser tomado de cada vez, quantas vezes por dia e em que horários;
  • Pergunte se o remédio deve ser ingerido junto com algum alimento ou bebida e por quanto tempo você deverá tomá-lo;
  • Por fim, informe-se sobre a necessidade, ou não, de uma segunda consulta.

Não esqueça ainda de anotar o número do telefone do médico para contato em caso de emergência, ou mesmo quando não encontrar os medicamentos receitados.

Fique atento quando o médico lhe entregar a receita. Não tenha vergonha de pedir que leia tudo o que está escrito.

Consumindo Medicações Prescritas pelo Médico

  • Após a consulta, tome os remédios indicados o mais rápido possível;
  • Procure comprá-los em farmácias de sua confiança ou nas grandes redes de farmácias;
  • Confira um por um, os medicamentos separados pelo balconista: veja se o que está escrito na embalagem coincide com o que está marcado na receita, inclusive a quantidade;
  • Verifique o prazo de validade, o preço e pergunte se tem direito a algum desconto;
  • Preste atenção também se as caixas dos remédios estão em boas condições: bem fechadas, sem manchas ou amassadas, lacradas, limpas e sem apresentar frasco ou tampa estufados;
  • Ao chegar em casa, faça uma tabela (pode ser uma folha de cartolina), escreva os nomes dos medicamentos e os horários certos de tomá-los. Coloque o seu cartaz em lugar visível;
  • Para facilitar sua vida, adapte os horários dos remédios com seus hábitos: acordar, comer, deitar, assistir novela ou programa de televisão preferido;
  • Procure não ingeri-los de madrugada para não atrapalhar o sono, a não ser que seja um antibiótico.