Tricomoníase…

Escrito por

Doença Sexualmente Transmissível !

A tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível da vagina ou da uretra, causada pelo Trichomonas vaginalis, um microrganismo unicelular com uma cauda semelhante a um chicote.

Embora o Trichomonas vaginalis possa infectar o trato genitourinário de homens ou de mulheres, os sintomas são mais comuns nas mulheres.

Aproximadamente 20% das mulheres apresentam tricomoníase vaginal durante seus anos férteis.

Nos homens, o microrganismo infecta a uretra, a próstata e a bexiga, mas apenas raramente causa sintomas.

Em algumas populações, o Trichomonas pode ser responsável por 5 a 10% de todos os casos de uretrite não-gonocócica.

O microorganismo é mais difícil de ser detectado nos homens do que nas mulheres.

 Os sintomas

Nas mulheres, a doença normalmente iniciase com uma secreção vaginal espumosa amarelo- esverdeada.
Em algumas mulheres, a secreção pode ser pequena.

A vulva (órgão genital externo da mulher) pode tornar-se inflamada e ferida e a relação sexual pode ser dolorosa.
Nos casos graves, a vulva e a pele circunjacente podem inflamar e os lábios vaginais podem edemaciar.

A paciente pode apresentar dor à micção e aumento da freqüência da micção, lembrando os sintomas de uma infecção da bexiga.
Geralmente, os homens com tricomoníase são assintomáticos, mas podem infectar seus parceiros sexuais.

Alguns homens apresentam uma secreção uretral temporária espumosa ou semelhante ao pus, dor à micção e necessidade de urinar freqüentemente.
Esses sintomas geralmente ocorrem no início da manhã.
A uretra pode estar levemente irritada e, às vezes, aparecer uma umidade no orifício peniano.

Em raros casos, ocorre infecção do epidídimo, causando dor nos testículos.

A próstata também pode ser infectada, mas o papel do Trichomonas não está claro.

Essas infecções são as únicas complicações conhecidas da tricomoníase nos homens.

 Complicações de Infecções por Chlamydia e por Ureaplasma

Complicação Efeito Possível
Nos homens
Infecção do epidídimo Dor no testículo
Estenose uretral Obstrução do fluxo urinário
Em mulheres
Infecção das tubas uterinas Dor, gravidez ectópica e infertilidade
Infecção do revestimento do fígado e da área que circunda o fígado Dor na região abdominal superior
Em homens e mulheres
Conjuntivite (infecção do branco do olho) Dor e secreção ocular
Em neonatos
Conjuntivite Dor e secreção ocular
Pneumonia Febre e tosse

 Diagnóstico da Tricomoníase

Nas mulheres, o diagnóstico geralmente pode ser estabelecido em poucos minutos através do exame microscópico de uma amostra da secreção vaginal.
Além disso, são comumente realizados exames para outras outras doenças sexualmente transmissíveis.

Nos homens, devem ser obtidas secreções da ponta do pênis pela manhã, antes do indivíduo urinar.

As secreções são examinadas ao microscópio e uma amostra é enviada ao laboratório para cultura.
Também poderá ser útil a realização de uma cultura de urina, pois este exame apresenta uma maior probabilidade de detectar o Trichomonas não observado ao exame microscópico.

 Tratamento

Uma dose única de metronidazol, administrada pela via oral, cura até 95% das mulheres infectadas, contanto que seus parceiros sexuais sejam tratados simultaneamente.

Como não se sabe se o tratamento com dose única é eficaz para os homens, eles comumente são tratados durante 7 dias.
Quando ingerido com álcool, o metronidazol pode causar náusea e rubor cutâneo.

O metronidazol também pode causar redução da contagem leucocitária e, nas mulheres, um aumento da suscetibilidade às infecções fúngicas vaginais (candidíase genital).

Talvez seja melhor evitar o uso de metronidazol durante a gestação, pelo menos durante os três primeiros meses.
Os indivíduos infectados que mantêm relação sexual antes da infecção ser curada podem infectar seus parceiros.

fonte:Manual Merck
Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: Libertas Academica