Disturbios mais comuns na velhice!

Escrito por

A geriatria é a especialidade médica que se ocupa das pessoas idosas e suas doenças.
A gerontologia é o estudo do envelhecimento.

Não há idade específica na qual uma pessoa tornase “idosa”, embora, tradicionalmente, ela tenha sido estabelecida como sendo de 65 anos, pelo fato de ser quando os trabalhadores adultos costumam aposentar.

Diversos distúrbios, às vezes denominados síndromes geriátricas ou doenças geriátricas, ocorrem quase que exclusivamente em adultos idosos.
Outros distúrbios afetam pessoas de todas as idades, sendo, no entanto, mais graves ou causando sintomas ou complicações diferentes nas pessoas idosas.

Com freqüência, as pessoas idosas padecem de uma doença de forma diferente à das pessoas mais jovens.

Uma doença pode causar sintomas diferentes em pessoas idosas.
Por exemplo, uma glândula tireóide hipoativa habitualmente faz com que pessoas mais jovens ganhem peso e tornem-se mais lentas.
Em uma pessoa idosa, a tireóide hipoativa também pode provocar confusão mental, a qual pode ser confundida com a demência.
Já uma tireóide hiperativa faz com que as pessoas mais jovens tornem-se agitadas e apresentem perda de peso, enquanto que, nos idosos, ela pode causar sonolência, isolamento, depressão e confusão mental.

Em geral, a depressão faz com que adultos jovens tornem-se propensos ao choro, à retração e demonstrem tristeza.
Nas pessoas idosas, a depressão algumas vezes acarreta confusão mental e perda de memória, podendo ser equivocadamente interpretado como demência.

Antigamente, as doenças agudas, como o infarto do miocárdio, as fraturas do quadril e as pneumonias, quase sempre resultavam na morte de idosos. Hoje, essas doenças são tratáveis e controláveis, mesmo que elas não sejam curáveis.

Por sua vez, uma doença crônica não significa necessariamente incapacidade.

Atualmente, muitas pessoas com diabetes, problemas renais, cardiopatias e outras doenças crônicas perceberam que podem manter-se funcionais, ativas e independentes.

Fatores sociológicos e econômicos costumam influenciar a forma com que as pessoas idosas procuram e recebem cuidados médicos.

Muitos idosos tendem a ocultar pequenos problemas de saúde e não procuram ajuda médica até que estes se tornem realmente graves.
As pessoas idosas tendem a apresentar mais de uma doença concomitantemente, sendo que uma pode exercer influência sobre a outra.
Por exemplo, a depressão pode piorar a demência e o diabetes pode agravar uma infecção.

Outros fatores sociológicos complicam a doença nas pessoas idosas.

Quando a doença causa alguma perda temporária ou permanente da independência, a pessoa idosa pode tornar-se deprimida, passando a necessitar de auxílio psicológico e de um serviço social.

Por essas razões, é comum os geriatras recomendarem o tratamento multidisciplinar.
Com esse tipo de tratamento, a equipe clínica, a qual pode ser formada por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, terapeutas, farmacêuticos e psicólogos, planeja e implementa o tratamento sob a liderança do médico principal.

Distúrbios que Afetam Principalmente as Pessoas Idosas

Moléstia ou Distúrbio
Explicação
Moléstia ou Distúrbio
Explicação
Doença de Alzheimer e outras demências
Distúrbios cerebrais que acarretam a perda progressiva da memória e de outras funções intelectuais
Osteoartrite
Degeneração da cartilagem que reveste as articulações, causando dor
Úlceras de decúbito
Lesões da pele em decorrência da pressão prolongada
Osteoporose
Perda de cálcio dos ossos, que os tornam frágeis e pode acarretar fraturas
Hiperplasia benigna da próstata
Aumento da próstata (nos homens), que bloqueia o fluxo urinário
Doença de Parkinson
Doença cerebral degenerativa e lentamente progressiva que acarreta tremores, rigidez muscular, dificuldade nos movimentos e instabilidade postural
Catarata
Opacificação do crista-lino, com
comprometi-mento da visão
Câncer de próstata
Câncer da glândula prostática
(nos homens)
Leucemia linfocítica crônica
Tipo de leucemia
Herpes zoster
Reativação do vírus da catapora
latente, produzindo uma erupção cutânea e podendo acarretar dor prolongada
Diabetes tipo 2 (início na vida adulta)
Tipo de diabetes que pode não exigir o tratamento com insulina
Acidente Vascular Cerebral
Obstrução ou sangramento de um vaso sangüíneo do cérebro, acarretando fraqueza, perda
de sensibilidade, dificuldade para falar ou outros problemas neurológicos
Glaucoma
Aumento da pressão em uma das câmaras do olho, podendo re-duzir a visão e causar cegueira
Incontinência urinária
Incapacidade de controlar a micção
Gamopatias monoclonais
Grupo de doenças diversas caracteriza
das pela proliferação anormal de um mesmo tipo de célula
que produz níveis elevados de uma imunoglobulina
 fonte: msd-brazil