Alimentação saudavel, como comer bem e sem complexo!

Escrito por

 

Uma boa alimentação deve contribuir para o nosso bem-estar e possibilitar máxima saúde, isto é, deve manter o peso dentro de valores aceitáveis e estimular o organismo a defender-se de doenças.

Deve, ainda, ser repartida ao longo do dia e ser equilibrada, do ponto de vista energético, fornecer a quantidade de água indispensável à vida e respeitar as proporções sugeridas pela Pirâmide dos Alimentos.

Deve também fornecer todos os nutrientes necessários ao organismo (nutrientes energéticos, vitaminas, minerais, fibras, antioxidantes) e servir-se de formas culinárias apropriadas, que permitam tirar um maior proveito dos alimentos, predigerindo-os e melhorando o seu sabor e textura.

O tratamento alimentar para emagrecer deve seguir as regras duma boa alimentação e deve ser seguido um Plano Alimentar, adaptado a cada caso.

Do tratamento alimentar para emagrecer deve fazer parte uma culinária saborosa, atraente e, em particular, respeitar uma forma de cozinhar com pouca gordura, no sentido de diminuir a ingestão calórica pelo consumo excessivo de gordura.

Cozinhar com pouca gordura

Alimentação saudavel

Grãos refogados e salada

Uma alimentação rica em gordura é também rica em calorias e, portanto, está totalmente desaprovada como forma de perder peso.

É recomendável usar culinária menos gorda, diminuindo a quantidade de gordura usada na confecção dos alimentos ou usando molhos mais magros para temperar.

Deve-se guardar, para ocasiões especiais, os alimentos fritos tradicionais (batatas fritas, croquetes, rissóis, pastéis), empanados, folheados ou assados no forno com gordura.

Antes de cozinhar, recomenda-se retirar a pele às aves e gorduras aparentes das carnes; a pele dos peixes também deve ser retirada.

O leite inteiro e derivados (iogurte, queijo, requeijão) devem ser substituidos pelas variedades mais magras.

É preferível usar conservas de peixe em molho de tomate ou água em vez do conservado em óleo.

Refogar
Faz-se fritar a cebola (usando o dobro da quantidade que se usaria habitualmente) numa mistura de água e gordura (pouca), que se terá sempre de ir acrescentando com mais água.
Para dar mais cor, junta-se no início uma colher de chá de polpa de tomate.

Gratinar
Usar queijo magro ralado que se prepara adquirindo queijo magro e deixando-o secar na geladeira uns dias, antes de ralar.

Temperar saladas
Juntar a uma colher de chá de azeite uma boa quantidade de suco de limão ou vinagre de vinho e ervas: orégãos, coentros…

Em alternativa, preparar um molho de iogurte:

Variante 1: Bater 2 dl de iogurte magro com o suco de meio limão e 2 colheres de sopa de ervas picadas (coentros, salsa, cebolinho, etc.).
Temperar com sal e pimenta.

Variante 2: Bater 2 iogurtes magros com 2 colheres de polpa de tomate e 1 colher de sobremesa de vinagre.
Juntar 1 dente de alho picado e temperar de sal e pimenta.

Assar no forno 
Apara-se previamente a carne de todas as gorduras visíveis.

Prepara-se uma marinada com que se envolve a carne, durante 24h, na geladeira, em recipiente fechado.

A marinada pode incluir: alho, cebola, colorau, salsa, louro, vinho branco maduro, tomate, pimenta, rosmaninho ou tomilho (para a carne de porco) ou orégano (para a carne de vaca).
Esfrega-se bem a peça de carne com esta marinada que, depois de retirada, vai a assar em forno previamente aquecido, embrulhada em papel de alumínio ( de modo a que o suco não se perca para a assadeira), em tabuleiro passado com azeite.
Para dar mais cor à carne, pode abrir-se o papel no final da cozedura.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: Jasmine&Roses, [puamelia]