Alimentação Saudável na Gravidez!

Escrito por

A gestação pode ser considerada como um estado em que a mulher se sente realizada num todo, por estar gerando uma vida que foi concebida através do amor.
E, para que este bebê seja gerado com muita saúde, a mãe precisa de uma alimentação saudável.

Está totalmente errado dizer “a mãe deve comer por dois”.

A alimentação deve ser o suficiente para suprir as energias necessárias diárias da gestante, que é de 1600 a 2000 Kcal/dia, de acordo com a atividade física.

A ingestão alimentar está totalmente relacionada ao ganho de peso durante a gestação.

Uma dieta saudável para a gravidez

A alimentação saudável deve ser composta por lipídeos, carboidratos, proteínas, água, vitaminas, sais minerais e líquidos (1,5 a 2 litros ao dia).
Os alimentos devem ser distribuídos nas refeições diárias e serem consumidos moderadamente.
As calorias dos alimentos podem ser calculadas, sendo que: 1g de proteína corresponde a 4cal, 1g de gordura corresponde a 9cal e 1g de carboidrato corresponde a 4cal.

A alimentação saudável deve ser constituída de alimentos ricos em nutrientes e não muito energéticos ou ricos em gordura.
Devem ser evitados alimentos ricos em gordura, como doces, refrigerantes e frituras em geral, pois estes alimentos são pobres em nutrientes e contribuem apenas para o aumento de peso.

A alimentação da gestante deve conter verduras, legumes, frutas, cereais, leguminosas, carnes, aves, peixes, leite e derivados e água e líquidos em geral e alimentos ricos em fibras

Uma sugestão de cardápio de 2000 calorias:

– Café da manhã: 01 copo de suco de laranja,  ½ xícara de chá de mingau de aveia, 01 fatia de pão integral light, 01 colher de chá de margarina light e 02 fatias médias de queijo minas.

– Lanche da manhã: 01 banana nanica média e 01 iogurte magro.

– Almoço: salada de 01 xícara de chá de folhas verdes, 02 colheres de sopa de grão de bico, 02 buques de brócolis e 04 tomatinhos temperada com 01 colher de chá de azeite e vinagre; 01 filé de pescada pequeno grelhado; 04 colheres de sopa de arroz integral; 03 colheres de sopa de espinafre cozido e 01 pêra cozida.

– Lanche da tarde: 01 milk-shake pequeno; 01 fatia de pão light com 01 colher de margarina light e 25 g de frios e 04 uvas.

– Jantar: 01 prato raso de sopa de legumes e carne; 01 bife grelhado e 01 tomate.

– Ceia: 01 maçã.

Durante a gestação, alguns sintomas podem ser amenizados de acordo com a alimentação.

Sintomas matinais como mal-estar, náuseas, vômitos, pirose e plenitude podem diminuir com a ingestão de alimentos secos e gelados, evitar líquidos e gordura e não se deitar após se alimentar, fracionar as refeições em pequenas porções e com intervalos menores.

Os enjôos (náuseas) costumam parar por volta do 4° mês de gestação.

Sintomas como obstipação (constipação), flatulência e distensão abdominal podem ser amenizados com a ingestão de fibras (frutas, cereais e legumes), líquidos nos intervalos das refeições, atividade física e não usar laxantes.

Deve-se evitar a ingestão de alimentos crus, pois podem transmitir doenças que podem causar alterações na gestante e/ou no bebê, como Listeriose, Toxoplasmose, Salmonelose, entre outras doenças.

Também, deve-se evitar o consumo de álcool, fumo e cafeína, que podem levar ao baixo peso do recém nascido, prematuridade, atraso no desenvolvimento físico e intelectual, mal-formações do bebê ou até o aborto espontâneo.

Quando acabam os enjôos, a gestante tende a comer muitas guloseimas, que devem ser evitadas para que continue mantendo o seu peso ideal, evitando patologias futuras.