Termos mais usados em eletricidade… de M / P

Escrito por

– Malha de Distribuição
Conjunto de linhas de um sistema de distribuição ou de uma parte deste sistema, interligadas de modo a formarem um circuito fechado, alimentado em dois ou mais pontos, e ao qual são conectadas linhas de alimentação e/ou de consumidores.

– Manobra
Termo técnico que define mudança na configuração elétrica de um circuito, feita manual ou automaticamente por dispositivo adequado e destinado a essa finalidade.

– Manobra
Ato de executar uma alteração no circuito elétrico, ligando e desligando ou até redirecionando as várias partes deste circuito.

– Manutenção Corretiva
Manutenção efetuada após a ocorrência de uma pane. Destinada a recolocar um ítem em condições de executar sua função. É importante salientar que o mais recomendável é a manutenção preventiva. Na ausência do procedimento ideal, a manutenção corretiva é o trabalho que é normalmente realizado pelos responsáveis em orgãos governamentais; empresas; clubes; condomínios e residências. No aguardo do evento da queima de lâmpadas e reatores, o nível de iluminamento ou iluminância decresce ao longo do tempo, ficando abaixo do mínimo necessário, afetando com isto a acuidade visual das pessoas.

– Manutenção Preventiva
Manutenção efetuada em intervalos predeterminados ou de acordo com critérios prescritos, destinada a reduzir a probabilidade de falha ou a degradação do funcionamento de um equipamento. Em iluminação, a manutenção preventiva prevê uma troca regular de lâmpadas de acordo com sua vida útil, mesmo antes da queima. Este procedimento é recomendado, pois as lâmpadas depreciam seu fluxo luminoso ao longo do tempo. Quando o fluxo está abaixo de 75% do valor nominal do projeto é o ponto ótimo de troca. À partir deste momento a iluminância vai caindo prejudicando a acuidade visual das pessoas.

– Medidor de Energia ( Ativa e Reativa )
Instrumento destinado a medir energia ativa (reativa), integrando a potência ativa (reativa) em funcão do tempo na unidade de consumo de kWh. As medições são realizadas pelo equipamento e controladas por funcionários da distribuidora de energia. Imprescindível ficar atento a medições por média que são prejudiciais aos consumidores, pois não permitem aferir a economia de energia realizada. A cobrança por média tem tempo limite de 90 dias ou 3 contas de energia.

– Medidor de Energia ( Com Indicador de Demanda )
Medidor de energia elétrica que também indica o mais alto valor da demanda num intervalo de tempo pré determinado. Este dispositivo é utilizado em instalações com demanda contratada, Classe A (Classificação Tarifária), como: Indústrias; Shopping Centers; Supermercados; Grandes Condomínios; Estádios e edificações de porte similares.

– Medidor de Fator de Potência
Instrumento destinado a medir a razão da potência ativa para potência aparente de um circuito elétrico. As distribuidoras de energia realizam MTFPs (Medições Transitórias de Fator de Potência).

– Multímetro
Instrumento multiescala e multifunção destinado a medir tensão, corrente e às vezes outras grandezas elétricas, como a resistência, por exemplo.

– Neutro
Condutor de um sistema monofásico, bifásico ou trifásico ligado permanentemente sem passagem de corrente. Termo genérico que se refere tanto ao ponto neutro como ao condutor neutro. Algumas instalações não possuem neuro (ligação delta).Por emxemplo: ligações fase à fase, que não possuem neutro.

– Nível de Isolamento
Conjunto das tensões suportáveis nominais atribuídas a um equipamento ou vários elementos de um sistema elétrico. Determina a tensão de ensaio de laboratório que o isolamento de um dispositivo elétrico deve ser capaz de suportar em condições especificadas.

Todo material de instalação elétrica, mesmo os descritos isolantes, podem conduzir eletricidade, à partir de um dado valor de tensão que rompa com a sua propriedade isolante, destruindo então o elemento isolador.

Atenção ! existe a possibilidade de incêndio ao se romper um material isolante com sobretensão.

– Ohm
Unidade de medida de resistência elétrica, que é a resistência de um elemento passivo de um circuito no qual circula uma corrente elétrica inváriável de 1 ampére quando existe uma diferença de potencial de 1 Volt entre seus terminais. Símbolo (W).

– Perfilado
Eletrocalha ou bandeja de dimensões reduzidas. Produto utilizado para criar sistemas pendentes em locais de pé direito relativo alto, para instalar luminárias, acomodar reatores e passar cabeamentos.

– Polaridade Elétrica
Situação relativa dos potenciais de dois pontos que se encontram em oposição de cargas positiva e negativa. Na frequência de oscilação em Hertz, ocorrem 60 variações de polaridade em um segundo, padrão brasileiro.

– Potência
Indica o consumo e o fornecimento de energia elétrica em um circuito de corrente alternada, a qual é igual ao produto da tensão e da corrente. Quando se referir a uma potência elétrica, não utilizar o termo “wattagem” que é incorreto. Unidade de Medida Watt, Símbolo W, unidade referencial para consumo de energia elétrica kWh.

– Potência Aparente
É a soma vetorial entre a potência ativa (utilizada para o trabalho em si), e a potência reativa (utilizada para dar partida no equipamento). Unidade de Medida (VA).

– Potência de Alimentação
Soma das potências nominais de todos os equipamentos de utilização existentes ou previstos na instalação, ou ainda um segmento considerado da instalação, suscetíveis de funcionar simultaneamente. O valor desta soma é um norteador do dimensionamento dos circuitos de proteção ( disjuntores e fusíveis ).

– Potência de Entrada
Potência total recebida por um dispositivo elétrico ou por um conjunto de dispositivos.

– Potência de Saída
Potência transferida por um dispositivo elétrico sob uma forma e uma finalidade especificadas. Também denominada “Potência Útil”.

– Potência Disponibilizada
Potência que o sistema elétrico da concessionária deve dispor para atender às instalações elétricas da unidades consumidoras, segundo os critérios estabelecidos na Resolução nº456 da ANEEL. Esta potência está configurada em dois grupos distintos:
* Unidade Consumidora do Grupo “A” com tensão de alimentação à partir de 2300V e
* Unidade Consumidora do Grupo “B” com tensão de alimentação abaixo de 2300V.

– Potência Instalada
Soma das potências nominais dos equipamentos elétricos de mesma espécie de uma instalação que, após concluídos os trabalhos, estão em condições de entrarem em funcionamento.

– Potenciômetro
Elemento resistivo cujo contato deslizante, permite a regulagem contínua da resistência de saída, entre quase zero e o valor máximo do elemento resistivo. O potenciômetro pode ser usado como regulador de tensão e potência, continuamente regulável pelo movimento circular ou linear do cursor, tanto em correntes contínuas como alternadas. Não há economia de enegia caso utilizemos o potenciômetro( reostato ) pura e simplesmente como dímer.

– Propagação da Luz
Inúmeras experiências demonstram que a luz se propaga em linha reta e em todas as direções, em qualquer meio homogêneo e transparente. Chama-se raio luminoso a linha que indica a direção de propagação da luz.
O conjunto de raios que parte de um ponto é um feixe. Se o ponto de onde procedem os raios está muito distante, os raios são considerados paralelos. Numa casa às escuras, uma pequena abertura numa janela nos permite observar a trajetória reta da luz.
Do mesmo modo, se fizermos alguns furos nas paredes de uma caixa opaca e acendermos uma lâmpada em seu interior, percebemos que a luz sai por todos os orifícios, isto é, ela se propaga em todas as direções.

– Pulso de Tensão
Variação abrupta e de curta duração de uma grandeza física, seguida de retorno rápido ao estado inicial. Operação realizada por ignitores e starters para provocar a partida de acendimento de algumas lâmpadas de descarga e fluorescentes.