Esquadrias de madeira para portas. Como fazer a instalação!

Original: https://www.fazfacil.com.br/reforma-construcao/esquadrias-portas-janelas/ Escrito por

 

 

 

Esquadrias… procedimentos para uma boa instalação !

 

 

Amarração da esquadria antes de ir para o lugar

 

 

 

 

 

 

 

Esquadrias internas

Folga é o espaço existente entre a alvenaria em osso e o marco, e que posteriormente será preenchido com argamassa – ou com espuma de poliuretano expansível.

ESQUADRIAS
INTERNAS SEM O USO DO CONTRA-MARCO
TIPO
MEDIDAS
DE PROJETO(VÃO LUZ)
MEDIDAS
DO VÃO COM FOLGA
PORTAS
0,80m
X 2,10m
0,88m
X 2,14m (no piso pronto)
PORTAS
0,60m
X 2,10m
0,68m
X 2,14m (no piso pronto)

No caso do emprego de contra-marcos (é um contorno de madeira, especialmente preparado p/ser instalado no vão onde será instalada a esquadria), o vão deve ser aumentado:

Largura: + 5cm

Altura: + 6cm

Folgas

Folga é o espaço existente entre a alvenaria em osso e o marco, e que posteriormente será preenchido com argamassa – ou com espuma de poliuretano expansível.

Qual deve ser a folga ?

– Se o enchimento da folga estiver previsto com argamassa, cujo custo é baixo, a folga pode ser de até 2 cm em cada lado.

Uma folga de 2 cm facilita o trabalho de pedreiro no momento do enchimento com argamassa.

Folgas menores dificultam o trabalho de preenchimento, podendo causar infiltração de umidade.

– Se porém o enchimento da folga estiver previsto com espuma de poliuretano expansível, cujo custo é alto, a folga pode ser reduzida para 1 cm em cada lado, desde que o vão de alvenaria seja requadrado com perfeição. Reduz o consumo da espuma, e não dificulta o preenchimento, uma vez que o poliuretano se expande e preenche todo o espaço.

Se a porta, interna ou externa, tiver soleira, a soleira é sempre considerada embutida no piso, de modo que não modifica os critérios de medidas.

 

 

fontes:www.scheid.com-Sincol-uepg

Ajustes fundamentais na colocação da esquadria da porta…

Calços de ajuste embaixo e em cima

Depois de bem fixa a esquadria.

Preencher os vãos com argamassa em toda a extensão e largura para fixação e vedação.

– Após a argamassa seca, assentado o piso (nas áreas frias) e contrapiso(nas áreas quentes) e após revestida a parede (no caso de existir azulejo), instala-se as portas;

– Ajustar possíveis imperfeições da porta com uma plaina;

– Verificar se a porta apresenta um empenamento (máximo de 3mm);

Fixação com espuma poliuretano (alternativa)

Em geral este sistema de fixação obedece ao mesmo ritual, de posicionar, nivelar, aprumar, fixar com cunhas, etc, substituindo as operações com pregos e parafusos pela injeção de espuma onde for possível.

– As superfícies em contato com a espuma devem ser previamente molhadas com água para uma eficiente aderência da espuma.

Atenção (1):  Como a expansão da espuma de poliuretano causa pressão de fora para dentro, o marco tem que ser calçado por dentro para não “fechar”, impedindo o funcionamento da esquadria.

Atenção (2):  Em esquadrias de grandes dimensões, principalmente as esquadrias de correr, é indispensável a fixação da cabeceira e do peitoril (ou soleira) com parafusos.

Vantagem 1: dispensa o uso de tacos.

Vantagem 2: no caso das portas internas, a espuma pode ser utilizada para enchimento do vazio entre a alvenaria e o marco, permitindo a imediata instalação das guarnições e sem os inconvenientes do enchimento com argamassa.

ESPUMA DE POLIURETANO:  forma de fixação da esquadria após o reboco, não recomendamos a fixação de caixilho para porta de abrir em giro e de correr com espuma de poliuretano.

Fontes:
www.scheid.com.br
www.feciv.ufu.br

Procedimentos para uma boa instalação de janelas e portas externas

(pelo processo tradicional, com parafusos em buchas plásticas ou em tacos)

1o. passo: Colocar a esquadria na posição dentro do vão, respeitando o nivelamento da cabeceira e do peitoril, o prumo das laterais do marco, e repartindo as folgas laterais.

– Tratando-se de porta, respeitar a cota do piso pronto, mesmo que este ainda não esteja feito.

2o. passo: Firmar a esquadria por meio de cunhas contra a alvenaria, de modo que o funcionamento possa ser testado antes da fixação definitiva. Somente após a certeza da perfeição do funcionamento é que deve ser feita a fixação definitiva.

3o. passo: A fixação definitiva do marco deve ser por meio de parafusos de comprimentos adequados em tacos previamente chumbados na alvenaria.

– Na ausência de tacos, utilizar buchas plásticas de 8 mm e parafusos.

– Em janelas ou portas com mais de 90 cm de largura, torna-se necessário fixar também a cabeceira e o peitoril (ou soleira).
Em geral nestas situações não existem tacos, e a fixação recomendada é mediante parafusos 6,1 x 90 ou 6,1 x 100 com buchas plásticas (8 mm).

– Nas esquadrias de correr, para fixação da cabeceira, remover os espelhos de acabamento existentes, de modo que os parafusos de fixação possam ficar escondidos sob os espelhos.
Antes de recolocar os espelhos, remover os resíduos da furação que certamente caem dentro dos trilhos.

– Em marcos com mais de 13 cm devem ser utilizados dois parafusos por ponto de fixação.
Marcos com mais de 18 cm necessitam três parafusos por ponto de fixação.

4o. passo: Após a esquadria instalada, testar o funcionamento, movimentando-a diversas vezes para ter absoluta certeza de que está perfeita e corretamente instalada.
Verificar se as ferragens (fechos, cremones, dobradiças, etc) estão em perfeito estado.

5o. passo: Fechar os furos dos parafusos de fixação que ficarem aparentes com tarugos de madeira.

– Não confundir com os demais parafusos existentes na esquadria e que são propositadamente aparentes para permitir desmontagem para manutenção.

6o. passo (em geral realizada pelos pedreiros da obra): Preencher o vazio entre o marco e a alvenaria com argamassa.

– Esta operação é de extrema importância, pois são inúmeros os casos de infiltração de água de chuva pela deficiência deste preenchimento.

– Cuidados especiais devem ser tomados para não manchar a madeira, caso esta ainda não tenha recebido acabamento.

7o. passo: Colocar as guarnições internas. Normalmente as guarnições são fixadas com prego diretamente no marco.

– Guarnições largas demais (de 8 cm em diante), precisam ser fixadas também na alvenaria, sendo recomendado o uso de prego e tarugo de madeira na alvenaria.

fonte:abcp

Dicas importantes

Verificar o p rumo da parede, esquadro do vão, preparação das testas de parede que receberão a espuma (os furos dos tijolos deverão estar fechados e a superfície limpa).

Não retire as travas que garantem o esquadro do conjunto antes da fixação completa do batente.

Os limitadores das folgas também devem permanecer até o final da instalação.

A retirada antes da secagem completa da espuma pode causar empenamento das laterais do batente e conseqüente mau funcionamento da porta.

É fundamental observar o nível do piso acabado para evitar ajustes na porta após a fixação.

Conferir o sentido de abertura e cuidar para não montá-lo ao contrário.

Aplicar as cunhas de posicionamento em três pontos de cada lado, sempre na altura das dobradiças.

 

video: Esquadrias Portas

 

 Para o bom funcionamento e a durabilidade das esquadrias de madeira

– A instalação dos contra-marcos não é indispensável, mas é importante e cabe ao proprietário decidir se quer ou não; pois protegem as esquadrias dos danos que podem ser causados pelas demais atividades da construção e auxilia o construtor no correto preparo do vão para receber a esquadria.

– A colocação das esquadrias, deve ser executada por pessoal qualificado para tal, sob pena de comprometer o funcionamento das mesmas. Deve ser realizada preferencialmente por pessoal da fábrica.

– A madeira deve receber, antes ou logo após a instalação das esquadrias, produto de proteção, que lhe confira resistência á chuva e ao sol, a fim de evitar manchas e empenamentos.

– Entre a primeira demão com finalidade de proteção, e a demão final de acabamento, outras aplicações se farão necessárias, de acordo com o nível de exigência do proprietário da obra e com o tempo que demorou a construção.

– Entre uma e outra demão, a superfície tem que ser novamente lixada.

– Por ocasião da pintura, deve-se ter o cuidado para não pintar as ferragens, os trilhos, as borrachas e outros acessórios de vedação.

– Por ocasião da colocação de vidros, utilizar preferencialmente silicone, a fim de evitar infiltrações de água e possíveis vibrações.

– Na limpeza das esquadrias, não fazer uso de produtos químicos, tais como, soda, ácidos e solventes que possam danificar a madeira e ou as ferragens.

– Nos cilindros das fechaduras, utilizar somente grafite em pó para sua lubrificação.

– Manter limpos os trilhos, caneletas e canais de escoamento de água.

Fontes: www.scheid.com.br  –  Sincol  –  www.esquadriasprimos.com.br