Decoração Sinestésica: Uma Casa Cheia de Sensações

Escrito por

A decoração da sua casa pode trabalhar ativamente para estimular as melhores sensações em você. Saiba mais sobre o design de interiores multissensorial, que se inspira na sinestesia para trazer mais prazer de viver ao seu lar.

O Que É Sinestesia

A sinestesia é o cruzamento de dois ou mais dos nossos cinco sentidos: visão, tato, audição, paladar e olfato. Trata-se, na verdade, de um fenômeno neurológico que permite algumas pessoas perceberem, de maneira muito pessoal e vívida, a cor de um som, por exemplo. Ou o sabor de um cheiro.

As figuras de linguagem ajudam a entender. Seria como literalmente sentir “o cheiro verde das florestas” ou “a brisa macia que passa”. Algumas pessoas enxergam sentem sabor de chocolate ao passar a mão sobre o veludo.

Cientificamente falando, a associação de dois sentidos nos ajudaria a absorver e fixar melhor as informações na memória dos sinestésicos. O pintor russo Wassily Kandinsky costumava associar cores aos sons que escutava na hora de pintar.

Ele realizou muitos quadros coloridos representando composições do músico Arnold Schönberg, seu amigo, e do jazz.

Sinestesia e Decoração de Interiores

Na decoração de interiores a sinestesia procura um estado multissensorial que beneficie o morador. É lógico que sua colcha de plumas não terá sabor de algodão-doce! Mas poderá ativar, mais marcadamente, o seu tato.

Isso combinado com uma cor pastel poderá potencializar, e muito, uma sensação de aconchego no quarto. Mais do que se fosse um tom vibrante. Afinal os cinco sentidos carregam uma enorme variedade de sensações.

Decoração Sinestésica: Como Começar

O mais importante de tudo é descobrir como lidar com os seus próprios sentidos. E os de quem mora com você. Afinal, a decoração sinestésica é funcional: serve para levar você a uma situação de conforto. E isso pode variar de pessoa para pessoa.

Indivíduos mais ansiosos devem buscar meios de relaxar. Os com tendência à melancolia vão se beneficiar de ambientes um pouco mais alegres. E assim por diante.

Quais são as sensações que você deseja despertar? Quais deseja controlar melhor? Leve em consideração, ainda, a finalidade de cada cômodo. É um ambiente de estudo? De entretenimento? Deseja focar em quais dos cinco sentidos?

Sua Casa e os Sentidos: Visão

Como vimos, tudo depende do seu conceito de bem estar.

Cores claras trazem mais luz e amplitude ao ambiente e objetos. Tons frios conferem uma sensação de distanciamento – ou refrescância. Tons pastéis remetem à ternura, às vezes com um toque de infância. O que pode ser ótimo para quem precisa de mais aconchego.

Cores vibrantes, em especial as quentes como amarelo, laranja, rosa ou vermelho, podem ser ótimas para ativar personalidades sóbrias demais. Ao mesmo tempo podem superestimular quem é excessivamente agitado ou agressivo.

Tons escuros convidam ao recolhimento. Podem ser deprimentes para quem já tem essa tendência.

Paletas neutras como o branco, o bege, o cinza, o marrom, o azul escuro e o preto podem sempre servir de base para complementação de outras cores.

Tato

Embora para a maior parte das pessoas o tato não seja um sentido principal, ele é um grande responsável pelas nossas sensações subconscientes. Ou seja, é decisivo para o seu conforto físico imediato.

Se quer frescor opte por pisos como mármore, granito, porcelanato ou cerâmica. A madeira e os pisos laminados tendem a ser mais cálidos.

Nas cortinas, estofados e colchas, leve em conta a sua temperatura de conforto. Se tende a sentir mais frio, opte por suede, veludo, chenile e jacquard. Tapetes de pelos mais longos ajudam a aquecer o ambiente. Todas essas sugestões tendem a deixar o visual mais encorpado.

Tecidos mais frescos, tais como algodão, linho ou brim são mais leves e refletem mais a luminosidade natural.

Audição

Os sons atingem muito diretamente a sensação cognitivo-emocional do ser humano.

Priorize seu aparelho de som e deixe a tevê para segundo plano. Providencie caixas de som wifi com alta qualidade de reprodução. Isso faz toda a diferença. Se puder, espalhe caixinhas de som nos cômodos e programe músicas específicas para começar a tocar em cada um.

Precisa de mais alegria? Escolha músicas que trazem boas lembranças em ritmos animados. Quer relaxar? Procure playlists ligadas a meditação ou sons da natureza.

Fontes de água produzem barulhinhos muito reconfortante. Mandalas e sininhos pendurados na janela também. Caso o barulho da rua comprometa muito sua qualidade de vida, e o seu imóvel é próprio, invista em janelas à prova de ruídos.

No inverno o som crepitante do fogo em uma lareira é único.

Olfato

Lance mão de aromatizadores de vareta. O perfume é moderado e eles mantém o ambiente constantemente cheiroso. Velas e incensos são ótimas para produzir odores temporários.

Use sprays próprios para perfumar a roupa de cama e as cortinas. Eles fixam ainda melhor se utilizar um ferro quente para alisar o tecido depois de borrifar.

Plantas aromáticas também são maravilhosas. Use e abuse das flores. O próprio cheiro da terra molhada depois de regar suas plantas já é fantástico.

Paladar

A cozinha é o grande refúgio desse sentido. Mas é possível estimular sabores em outros cômodos, sim!

Sempre deixe sobre a mesa de jantar uma cesta com alguma fruta que pode ser consumida com facilidade. Bananas, maçãs, uvas, tangerinas e peras são muito mais simples do que oferecer um abacaxi ou uma laranja, por exemplo.

Espalhe bombons ou balas em outros cômodos. Bomboniéres de vidro podem proteger as guloseimas em qualquer lugar.