A cor no concreto!

Escrito por

O que é concreto colorido (aparente, arquitetônico ou estampado)?

Não há nenhuma diferença técnica entre o concreto convencional e o colorido, embora, para vários especialistas, seja necessário agregar mais cimento ao concreto, para aumentar a resistência, que seria reduzida pelo pigmento.

Para obter o concreto colorido, basta adicionar o pigmento – sólido (embora também exista sob a forma de lama) e disponível nas cores básicas ocre, vermelha, marrom e preta – no concreto, durante a execução na betoneira.

A porcentagem pode variar entre 1 e 2% (para a obtenção de cores mais esmaecidas) até 8 a 10% (para conseguir cores mais fortes).

O produto adquire mais realce se misturado com cimento branco, embora os cimentos acinzentados também possam ser utilizados.
Além do óxido de ferro, podem ser utilizados também corantes orgânicos, menos eficientes porque não duram muito tempo, pois são afetados pelos raios ultravioleta e resistem poucos anos.

As cores verde e azul podem ser obtidas com o uso dos óxidos de cromo e de cobalto, mas esses materiais são muito caros e só costumam ser usados em casos especiais.

Para a obtenção de maior variedade cromática com o óxido de ferro, opta-se pela mistura de pigmentos.

O alto custo do concreto pigmentado deve-se ao fato de que é preciso agregar o pigmento na massa inteira do concreto – e só a superfície fica visível – e porque o preço do óxido de ferro é alto.

O tipo de cimento que apresenta um comportamento diferenciado quanto a cura é o CP-V ARI (Alta resistência inicial) pois ele atinge a 1 dia de idade, a mesma resistência que os demais cimentos alcançam aos 7 dias, e tem o mais alto calor de hidratação, dos cimentos.

Principais campos de aplicação dos pigmentos na construção civil

Muitos elementos estruturais ou de revestimento são produzidos já coloridos, porém, muitos outros podem ser feitos em obra, com a adição de pigmentos na mistura do material seco (areia, brita, cimento), na porcentagem desejada.

Ainda, é possível misturar pigmentos para obtermos cores variadas, podendo atingir as expectativas estéticas desejadas.
– Chapiscos;
– Revestimentos com brita;
– Pisos de concreto queimado colorido;
– Pinturas de cal;
– Misturas em gesso;
– Piso de concreto colorido integral;

Argamassas:
– De rejuntamento;
– De revestimento;
– De emboço e reboco;
– Piso de quadra colorido;

Peças especiais:
elementos vazados; pré-fabricados de concreto, bancos de concreto; guias de concreto;

Artefatos Industriais:
– Pisos de concreto intertravado;
– Telhas coloridas;
– Blocos de concreto;

Para a confecção correta de um concreto pigmentado

·Dosar pigmento ou mistura em porcentagem do peso do cimento;

·Manter dosagem do concreto sempre igual para mesmo elemento;

·Misturar pigmentos no material seco, depois à água;

·Tomar cuidados quanto à cura do produto produzido.

Compactação
A densidade do concreto não afeta diretamente a sua cor.
No entanto, a eflorescência tende a ocorrer com maior freqüência em concretos porosos e mal compactados.

Este fenômeno pode alterar significativamente a aparência do concreto colorido e é a principal causa das reclamações dos clientes.

Cura – Processo de Cura
Uma cura adequada do concreto é requerida para se obter uma melhor uniformidade, além de proteger a superfície. Para que se tenha o efeito desejado devem-se tomar certos cuidados, especialmente com a cura.

A cura preferencialmente deve ser úmida e durante o período de 7 dias.
Em caso de utilização de manta, o cliente deve ser informado de possíveis manchamentos nas dobras das mantas.

No caso de pisos internos pode-se curar com Masterkure 201.
Em caso de estruturas verticais, sugere-se o selamento com verniz acrílico base água, Masterseal F 1360.