Dicionário da Construção – A

Escrito por

Aqui nós selecionamos para você os nomes mais usados em obras e seus significados.

Assim quando ouvir alguma palavra que não conheça, é só vir aqui e aprender o que esta palavra quer dizer. 

Dicionário da Construção de A a Z.

ABA CORRIDA – Varanda em sacada que corre ao longo da cimalha de um prédio estético.

ABAULAR – Dar forma curva, arqueada, a uma superfície, a fim de proporcionar melhor escoamento da água ou acabamento estético.

ABERTURA – Termo genérico que resume todo e qualquer rasgo na construção, seja para dar lugar as portas, janelas, vidros, etc., seja para criar frestas ou vãos.

ABERTURA DE VALAS – Ato de fazer valas. Ver Vala.

ABÓBADA – Todo o teto côncavo pode-se chamar abóbada. Cobertura encurvada. Do ponto de vista geométrico, a abóbada tem origem num arco que se desloca e gira sobre o próprio eixo, cobrindo toda a superfície do teto. As abóbadas variam de acordo com a forma do arco de origem. Abóbada ogival, também chamada gótica, cujo arco tem forma de ogiva, é uma marca da arquitetura árabe. Abóbada aviajada tem origem num arco cujas extremidades estão em desníveis. Há ainda a abóbada de lunetas. De menor altura, esse tipo está presente nas casas de estilo colonial americano e facilita a iluminação interior. Ver Luneta.

ABRASÃO – Desgaste causado nas superfícies pelo movimento de pessoas ou objetos.

ABRAÇADEIRA – Peça em ferro que tem como função segura as vigas do madeiramento ou parede.

ABRIGO – Lugar onde o homem pode  se proteger das intempéries. No uso corrente, indica locais como garagem, também chamada abrigo de carro, automóvel.

AÇÃO DE RESCISÃO DE EMPREITADA – Nesta Ação, no meio Imobiliário, é a quando o dono da obra pode exercitar contra o empreiteiro, com o objetivo de rescindir o contrato de empreitada, quando se tiver verificado motivo legal ou inadimplemento de condição estipulada (G G, arts. 1.237 a 1.247).

AÇÃO DE RESGATE DE AFORAMENTO – Nesta ação, no meio Imobiliário, é a que o enfiteuta propõe contra o aforador, depois de decorrido o prazo de trinta anos, da data da constituição do prazo, para que este seja declarado extinto, mediante o pagamento, por consignação judicial, da importância relativa a vinte pensões anuais, sendo então adjudicado ao autor o domínio direto da coisa sobre a qual tinha o domínio útil (C. C., art. 693).

AÇÃO DE USUCAPIÃO – Na AÇÃO DE USUCAPIÃO. É aquela que o possuidor de imóvel particular alheio, com ou sem título de aquisição, promove contra os possíveis interessados, observando os requisitos legais, a fim de que por sentença se lhe reconheça o domínio sobre ele, em virtude de haver decorrido o lapso de tempo que a lei exige para esse efeito (C. C., arts. 550 a 553; 618, 619 e 698; C. P. C., arts. 941 e segs.).

ACABAMENTO – Arremate final da estrutura e dos ambientes da casa, feito com os diversos revestimentos de pisos, paredes e telhados.

ACETINADO – Todo o material tratado para ter textura semelhante ao cetim.

ACESSO – Rampa, escada, corredor ou qualquer meio de entrar e sair de um ambiente, uma casa ou um terreno.

ACIDATO – Tratamento à base de ácido sobre vidro, é mais perfeito que o jateamento, não mancha ao toque dos dedos, porém ainda caro, é Italiano o processo.

ACLIVE – Quando o terreno se apresenta em subida em relação à rua; ladeira, vista de baixo para cima.

AÇO-CARBONO – Liga de aço e carbono que resulta num material leve e de grande resistência.

AÇO-INOXIDÁVEL – Aço resistente à oxidação, independentemente das temperaturas, e resistente também à corrosão por agentes químicos.

ACRÉSCIMO – É o aumento de uma construção, quer no sentido horizontal, quer no vertical.

ACÚSTICA – A parte da física das construções que trata do projeto e construção de recintos com certas características, como ausência de eco e de reverberação, de modo a permitir a audição distinta dos sons produzidos ou propagados e a assegurar a isolação dos mesmos em relação aos ruídos externos, e vice-versa.

ADEGA – Também conhecida como cave. A palavra, provavelmente, tem origem no termo francês cave: lugar especial da casa, em geral no subsolo, onde se guardavam o vinhos e os azeites. A adega precisa de ter condições climáticas controladas, para melhor conservar os vinhos e outras garrafas de bebidas, em condições adequadas de temperatura e umidade.

ADOBO (OU ADOBE) – Tijolo cru ou paralelepípedo feito com uma mistura de barro cru, areia em pequena quantidade, estrume e fibra vegetal ou ainda crina de animais. Possui em geral grandes dimensões e é seco à sombra e, depois, ao sol, que difere do tijolo por não ser cozido ao forno. Deve ser revestido com massa de cal e areia e podem ser argamassados com barro. O termo adobe vem do árabe attobi e designa, também, seixos rolados dos leitos de rios.

ADOÇAR – Nivelar, aplainar, desbastar saliências ou alisar e aplainar madeiras.

ADRO – Pátio externo descoberto fronteiriço às igrejas, antigamente cercado ou murado; pode ser plano ou escalonado.

ADSORÇÃO – Processo que consiste na adesão de um líquido ou na condensação de um gás sobre uma superfície sólida, em forma de tênue camada molecular. Difere da absorção por ser um fenômeno de superfície, enquanto aquela é um fenômeno de massa.

ADUÇÃO – Parte do abastecimento de água que compreende o transporte da mesma desde o local de captação até o de consumo

ADUELA – Parte de arremate dos vãos de portas ou janelas que guarnece o vão, e recebe as dobradiças, compostas de 2 ombreiras e uma padieira, e nela se fixam as guarnições ou alisares, também pode se chamar assim a pedra em forma de cunha, que se emprega na construção de arcos e abóbadas de cantaria (pedra). Outra definição antiga era o nome dado à superfície, tanto interna como externa, da abóbada (a interna nada mais seria do que o intradorso). Depois a designação estendeu-se aos elementos constitutivos do arco da abóbada. É o nome que se dá, então, às pedras ou tijolos em forma de cunha que entram na composição de superfícies curvas de proteção. É, também, a face interior da ombreira, voltada para o vão da porta ou janela.

AFASTAMENTO – Refere-se às distâncias entre as faces da construção e os limites do lote ou terreno. Ver Recuo.

AFOGAR – Quando colocar mais água do que o necessário na argamassa.

AGLOMERADO ou CONTRAPLACADO – Placa prensada, composta de serragem compactada com cola ou resina e arrematada com duas lâminas de madeira.

AGREGADO – É o material mineral (areia, brita, etc.) ou industrial que entra na preparação do concreto.

AGREGADO LEVE – É o material mineral composto por argila expandida, e de peso específico menor que o da água (flutua).

AGRIMENSOR – Topógrafo. Profissional que estuda os níveis e as características do terreno para ajudar o arquiteto ou engenheiro em seu trabalho.

AGRIMENSURA – É a Medição de superfície dos terrenos na qual o arquiteto ou engenheiro se baseia para executar seu trabalho. Ver Topografia.

ÁGUA (telhado) – Cada uma das superfícies inclinadas da cobertura, que principia no espigão horizontal (cumeeira) e segue até à beirada. Ver Espigão.

ÁGUA-FURTADA ou SÓTÃO – Vão entre as tesouras do telhado. Ângulo do telhado por onde correm as águas pluviais. Quando provido de janelas, também recebe o nome de mansarda. Sótão com janelas que se abrem sobre as águas do telhado. Ver Mansarda.

ÁGUA-MESTRA – Nos telhados retangulares de quatro águas, é o nome que se dá às duas águas de forma trapezoidal (maiores). As duas águas triangulares chamam-se tacaniças.

ALAMBRADO – A cerca feita com fios de arame que delimita um terreno.

ALÇAPÃO – Portinhola no piso ou no forro que dá acesso a caves ou sótãos.

ALÇAR – Levantar a parede, construir.

ALDRAVA ou ALDRABA – Tranca de ferro para escorar portas ou janelas; pequena tranqueta com dispositivo que permite que a porta possa ser aberta pelo lado de fora. Também argola que fica do lado de fora da porta e serve de instrumento para bater à porta. Ver Ferragem.

ALGEROZ ou CONDUTOR – Tubo de descida de águas pluviais, em geral embutido na parede. Este termo tem sido usado com incrível variedade de significado, quase sempre erradamente.

ALICERCE – Base maciça de alvenaria que fica sob o solo e que recebe a carga das paredes da construção. Antiga regra prática estabelece que o alicerce equivale à sexta parte da altura da parede sustentada, com largura igual ao dobro da espessura dessas paredes. Ver Fundação.

ALIMENTADOR PREDIAL – Canalização compreendida entre o hidrômetro ou o limitador de consumo ou o aparelho regulador de vazão e a primeira derivação ou Válvula de Flutuador de reservatório. Ver Hidrômetro e Válvula de Flutuador.

ALINHAMENTO – É a linha projetada e locada para marcar o limite entre o lote e o logradouro público.

ALIZAR – Revestimentos das paredes, ombreiras e folhas de janelas. Guarnição de madeira da parte interna das portas e janelas. Régua fixa na parede, para proteção, na altura do encosto das cadeiras. Ver Guarnição.

ALMA – Nome da parte correspondente à altura dos perfis metálicos. A parte superior é o banzo ou mesa.

ALMOFADA – Na marcenaria e carpintaria, peça com saliência sobreposta à superfície podendo possuir também reentrâncias.
É comum em portas e divisórias, é a pintura, escultura ou trabalho de marcenaria feita em pequenas dimensões e emoldurada por filetes e reentrâncias.

ALPENDRE – Cobertura suspensa por si só ou apoiada em colunas sobre portas ou vãos. Geralmente, fica localizada na entrada da casa. Aos alpendres maiores dá-se o nome de varanda. Ver Varanda.

ALTERAÇÃO DE LIMITES – Em direito penal – Crime de usurpação, que consiste na supressão ou deslocação de tapume, marco ou qualquer outro sinal indicativo de linha divisória, para o agente apropriar-se, no todo ou em parte, de coisa imóvel alheia (Código Penal, art. 161).

ALTO-RELEVO – Saliência criada e definida numa superfície plana.

ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO – Documento emitido pela autoridade municipal onde a construção está localizada, que licencia a execução da obra, para sua obtenção existe uma série de exigências a serem cumpridas, como entrega de jogo de plantas devidamente assinadas pelos PREO e proprietário.

ALVENARIA – Conjunto de pedras, de tijolos ou de blocos – agregado ou unido com argamassa ou não – que forma paredes, muros e alicerces. Quando esse conjunto sustenta a casa, ele chama-se alvenaria estrutural. O próprio trabalho do pedreiro.

ALTURA – Dimensão da perpendicular, por exemplo, de um ponto a uma reta. A altura é universalmente designada pela letra h, por ser este letra com que a citada palavra se inicia em alguns idiomas: em inglês, height; em francês, hauter e em alemão, höhe.

ALTURA DE UMA FACHADA – É o segmento vertical medido no meio de uma fachada e compreendido entre o nível do meio-fio e uma linha horizontal passando pela parte mais alta da mesma fachada, quando se tratar de construção no alinhamento do logradouro. Tratando-se de construção afastada do alinhamento, a altura da fachada é medida entre a mesma linha horizontal e o nível do terreno ou do passeio do prédio, no meio e junto à fachada. Em qualquer caso, deve ser feito a abstração de pequenos ornatos da parte superior da fachada.

AMARRAÇÃO – Última fiada posta num painel de alvenaria ou blocos, feita pelo pedreiro. Os blocos são dispostos em geral diagonalmente e prensando a massa, hoje esta técnica tem sido dispensada. A maneira de dispor dos materiais de construção de modo a formarem um conjunto coeso e estável. JUNTA AMARRAÇÃO. É o tipo de colocação de tijolos em que um trava o deslocamento do outro. Existem alguns tipos, como a junta amarração simples, a junta amarração francesa, etc.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: matiasromero