Cuidado, meu Gato Morde! Como Evitar?

Original: https://www.fazfacil.com.br/pet/cuidado-meu-gato-morde/ Escrito por

Já ouviu esta frase:
“Cuidado. Meu gato morde!”

Levar uma mordida do seu felino doméstico não é nada agradável e pode causar ferimentos sérios.
Aprenda a lidar com seu gato para evitar esse problema!

Como reconhecer que o gato morde?

O primeiro passo para lidar com a agressividade felina é saber distinguir quando o seu gato está somente brincando e quando ele está sendo agressivo de verdade.

gato morde

Aprenda a diferenciar quando seu gato brinca ou quando está agressivo.

 

Gatos brincam o tempo todo, e sua brincadeira preferida é caçar – ou fingir que caçam!

Para eles, o objeto da caça pode ser praticamente qualquer coisa, incluindo mãos, pés e roupas dos humanos!
Nestas horas, o gato morde – mas é de brincadeira.
Esse tipo de brincadeira, apesar de nem sempre sem agradável, não causa ferimentos graves.

O gato brincalhão normalmente não utiliza as garras e demonstra que está cheio de energia, podendo iniciar ou terminar o “ataque” com uma bela corrida.

Quando estão agressivos de verdade, o comportamento é bastante diferente.
A mordida é normalmente associada aos arranhões, frequentemente causa dor ou ferimento aberto e, logo após a atitude agressiva, o gato procura fugir ou esconder-se.

Como lidar com a mordida nos filhotes?

Os gatinhos brincam ainda mais que os adultos.

Além de simular caçadas, eles também brincam de “lutar” com seus irmãozinhos de ninhada.

agressividade felina

A mãe gata logo avisa quando o filhote vai longe demais na brincadeira.

A convivência com a mãe e irmãos permite que o filhote de gato aprenda a controlar suas garras e a força de sua mordida.

Sua mãe logo lhe avisa quando foi “longe demais” nas brincadeiras agressivas!
Esta é uma das razões pela qual é muito importante resistir à tentação de levar o gatinho cedo demais para casa.

Dito isto, uma vez que o filhote chega a nossa casa, devemos evitar a brincadeira de “gato morde”, de morder e arranhar nossas mãos, pés e vestimentas.

Brincar com as mãos com um gatinho é mesmo divertido e não machuca em nada – mas devemos ter em mente que sua força irá aumentar consideravelmente quando estiver adulto.

Muitos gatos param sozinhos com as brincadeiras de arranhar e morder conforme crescem, porém é conveniente evitar que o gatinho cresça com este hábito para evitar problemas com mordidas no futuro.

Ao invés disso, estimule o filhote a gostar de brincar com bolinhas, brinquedos e postes de arranhar próprios para gatos.

Como agir com gatos tímidos e inseguros

gatos agressivos
A principal causa de agressividade em gatos é o medo ou insegurança.

Um animal com medo é um animal potencialmente agressivo sempre.

Porém, o gato quando está com medo procura se esconder e só será agressivo se entender que não tem outra saída.
Por isso, nunca se deve tentar pegar à força um gato que se esconde ou que está encurralado.

Da mesma forma, um gato inseguro tende a estar sempre em alerta, pronto a se defender ao menor sinal de perigo.

Este tipo de gato pode vir a se tornar um gato agressivo, pois vive em estresse.

Assim, atividades normais do nosso dia-a-dia podem ser interpretadas como perigosas para um gato inseguro, que reagirá prontamente com mordidas e arranhões num pequeno ataque de fúria.

Continua com: Outras causas da agressividade nos gatos; linguagem corporal do gato; como evitar a agressividade nos gatos

gatos que ficam agressivos

Outras causas de agressividade em gatos

– Gato com Tédio:

Depois do medo, o tédio é outra grande causa de agressividade felina.

Muitos gatos são felizes dormindo o dia inteiro dentro de casa, porém há aqueles que possuem muita energia e, se não encontram formas de gastá-la, acabam por se tornarem irritadiços.

São os famosos gatos “mau humorados”- que se irritam com frequência, não se deixam acariciar e não formam laços afetivos fortes com as pessoas da família.
Este tipo de gato morde fácil durante uma brincadeira, por serem irrequietos e irritáveis.

– Gato com Dor:

O gato morde pode estar sentindo dor.
Se seu gato apresenta mudanças de comportamento, leve-o para um check up com o veterinário.

Doenças periodontais (nos dentes ou gengivas), problemas na coluna, fraturas fechadas, são alguns exemplos de patologias comuns que podem causar muita dor e desconforto ao animal.

– Gato com Doenças neurológicas ou hormonais:

Patologias neurológicas, excesso ou falta de determinados hormônios podem causar comportamentos agressivos nos gatos.

Se a agressividade do seu felino não aparenta nenhuma outra causa, convém uma visita ao veterinário para checar sua saúde.

– Falta de socialização do gato quando filhotes:

Gatos que não conviveram com pessoas nos primeiros meses de vida podem ser animais mais agressivos por não terem aprendido a confiar nos seres humanos.
Semi-selvagem, este gato morde com facilidade, como forma de se defender.

Com um pouco de paciência, amor e carinho, pode-se mudar esse quadro.

Linguagem corporal – como reconhecer um gato zangado

Quando estão zangados ou irritados, os gatos normalmente começam a bater a cauda com força, de um lado para o outro, ou contra o chão se estiverem deitados.

Se estiverem sendo acariciados, podem nos dar uma mordiscada, que significa “chega!”, um aviso de que o gato quer ser deixado sozinho.

gato agressivo

As orelhas voltadas para trás sinalizam que o gato está irritado ou zangado.

 

As orelhas voltadas para trás, coladas à cabeça, também significam que o gato está irritado e potencialmente agressivo.

Um gato em estresse e prestes a atacar exibe pêlos arrepiados, principalmente no dorso e cauda, pupilas dilatadas, olhar fixo, postura curvada, tentando parecer maior.

Normalmente esta postura é acompanhada de um miado forte e longo.
O gato pode rosnar, mostrando os dentes, e bufar.

Existe agressividade por dominância em gatos?

Não, os gatos não são agressivos com pessoas por dominância.

Até porque, os felinos domésticos são animais que vivem de forma independente, e não em grupos como os lobos ou cães.

Os gatos apenas disputam território com outros gatos, mas não com as pessoas.

Evitando a agressividade nos gatos

Em resumo, alguns passos simples podem ser seguidos para evitar a agressividade nos nossos pequenos felinos:

– Não retire os filhotes cedo demais do convívio com a mãe e irmãos (não antes das 10 semanas de vida).

– Socialize o gatinho com pessoas.

– Não deixe que crianças brinquem com gatos sem supervisão de um adulto e ensine-as a lidar com os gatos com calma e gentileza.

– Não grite ou assuste o gato na tentativa de educá-lo, isto o deixará inseguro e amedrontado e, consequentemente, mais agressivo.

– Nunca use punições físicas com seu gato, isto o ensinará a ter medo de você e que você não é confiável.

– Estimule o gato a brincar com brinquedos próprios para ele.

– Ofereça ao seu gato formas de gastar energia e se manter ativo.

– Nunca tente pegar um gato assustado à força.

– Recompense o bom comportamento do gato com comida e carinho.

socialize o gato

Socialize o gato com pessoas.

– Respeite o espaço e sinais do gato: se demonstrar estar pouco à vontade ou irritado, deixe-o sozinho e não tente obrigá-lo a ficar no colo ou receber carinho.

– Castre seu gato. Animais castrados são mais tranquilos por não estarem sujeitos às variações hormonais.

– Leve seu gato regularmente ao veterinário para checar sua saúde.