Como se Locomover Sem Carro

Escrito por

Cada vez mais pessoas tem tomado a iniciativa de circular pelas grandes cidades sem o uso de automóveis particulares. Veja a seguir como driblar possíveis desafios que vem com essa decisão e desfrute das vantagens de uma vida sem carro.

Benefícios de uma Vida sem Carro

As pessoas que optaram por aposentar o dia a dia dentro de um automóvel particular enxergam nisso alguns benefícios.

O primeiro deles diz respeito à economia de dinheiro. A simples compra de um carro requer um investimento bastante significativo para a maior parte dos brasileiros.
Mesmo quando parcelam o pagamento, os valores mensais costumam causar impacto no orçamento doméstico das famílias.

carro dinheiro finançasE não para por aí: as despesas extras também são altas. Combustível, seguro, revisão, estacionamentos, manutenções e o pagamento de taxas como o IPVA são inevitáveis, e não costumam ser baratos.

Quem opta por se livrar do carro nota, de imediato, uma melhora notável no próprio bolso. Mesmo pegando táxi duas vezes por dia.

Outro fator de apelo crescente é a consciência social e ecológica. Automóveis tendem a piorar a qualidade de vida da cidade, entupindo o espaço público de maneira desproporcional por meio de veículos grandes com apenas uma só pessoa o ocupando.

Carros estacionados em locais proibidos dificultam a circulação de pedestres. Os em mau estado estão mais propensos a causar acidentes muitas vezes fatais. Maus motoristas provocam colisões com outros veículos e atropelamentos fatais.

Por fim, mas não menos importante: automóveis são altamente poluentes, piorando a qualidade do ar que se respira e contribuindo para o efeito estufa e o aquecimento global, que já começou a se manifestar de diversas formas mundo afora.

Evidentemente, para muitos de nós ainda não é possível dispor apenas de uma bicicleta, por exemplo. Mas só de diminuir o uso do carro ou vendê-lo e utilizar transportes coletivos, já é um passo excelente.

Dia a Dia Sem Carro: Faça uma Transição e Conheça Alternativas

Você não precisa se livrar imediatamente do seu carro. O ideal é mantê-lo por perto até você se sentir totalmente seguro com outras maneiras de locomoção.

Comece utilizando o seu carro em dias alternados. Quando for dia de deixá-lo na garagem, comece a experimentar outras formas de locomoção.

bicicleta-eletricaA bicicleta é ideal quando as distâncias não forem muito grandes e você estiver sozinho (no máximo, com um filho pequeno). Se o deslocamento tiver mais quilometragem, ou sua cidade apresentar muitas ladeiras, opte pela bicicleta elétrica.

Antes de montar na bike, estude a malha de ciclovias da sua região e como melhor utilizá-la para chegar ao seu destino.

Você também poderá optar pela forma mais simples possível de mobilidade: caminhando. Para isso, é fundamental calcular o tempo que levará para chegar até o seu destino, e sempre sair de casa mais cedo.

Ônibus e metrôs costumam funcionar bem – principalmente fora dos horários de pico, quando estão cheios demais. Tente adaptar seus compromissos para momentos fora das horas lotadas. Combine de chegar mais cedo, ou mais tarde, no trabalho, por exemplo.

Se você tiver alguém que poderá dar caronas regulares, combine de dividir os custos com gasolina. Duas pessoas num só carro é melhor do que apenas uma.

Para sair à noite, prefira um táxi ou chame um Über – sobretudo se você costuma beber. Mesmo utilizando-o várias vezes, ainda sai bem mais barato do que sustentar um carro particular.

Conforme forem encontrados meios alternativos de locomoção, e você for se habituando a eles, diminua ainda mais o uso do carro. Em dois meses você provavelmente estará pronto para vendê-lo.

Vida sem Automóvel: Outras Adaptações

carrinho de mercado computadorVocê poderá redescobrir os seus arredores. Ande pela vizinhança e descubra parques, clubes esportivos, mercados, escolas e outros lugares que você e sua família devem frequentar.

Se estiver pronto para uma mudança ainda maior, pense em se mudar para um local mais comercial da cidade, aonde estará perto desses locais essenciais.

Se for inviável, faça algumas tarefas por meio do telefone e da internet: assim, o comércio vai até você. Peça refeições, itens de farmácia, de supermercado, entre outros.

Também é possível escolher o bairro do seu trabalho ou da escola das crianças: já é um grande adianto em termos de locomoção. Converse com seu patrão e estude a possibilidade de trabalhar remotamente no seu próprio home office.