Ativismo nas Redes Sociais: Como Ser Eficiente

Escrito por

As ruas deixaram de ser a única arena aonde ativistas se manifestam em benefício de suas causas. Nos últimos anos, as redes sociais se tornaram um veículo fundamental para lutar por propósitos ambientais, direitos civis e humanos. Aprenda a fazer ativismo nas redes sociais na hora de dar visibilidade a uma ideia importante para você.

Redes sociais são um espaço maravilhoso para expor causas importantes e conscientizar as pessoas a respeito delas. No entanto, é preciso fazer isso da forma certa – caso contrário o tiro sairá pela culatra e, ao invés de cativar e mobilizar o público, você vai ganhar a antipatia dele.

Fique por dentro das melhores dicas para fortalecer positivamente seu ativismo nas redes sociais.

Ativismo Online: Escolhendo as Melhores Redes Sociais

Não se faz ativismo online apenas com imagens, como no Instagram, ou frases curtas, como no Twitter. Essas duas redes sociais são muito populares, mas devem ser coadjuvantes de mensagens mais elaboradas, tais como são possíveis no Facebook, a maior rede de todas.

redes sociaisO Facebook permite uma comunicação mais completa e melhor espaço para discussões nos comentários. Além de álbuns de fotos, vídeos e links mais bem apresentados. As demais redes devem repercutir o que é publicado.

Contudo, atenção: não se baseie sempre no “textão” para elaborar melhor a sua ideia. A maior parte dos leitores de postagens muito longas são aqueles que já simpatizam com, ou aderiram à, sua causa.

É claro que isso é ótimo, pois ajuda a consolidar a necessidade de ação para superar os obstáculos que a causa traz consigo. No entanto, é ainda mais importante conscientizar quem ainda não reservou a devida atenção ao problema.

E, para isso, as postagens precisam ser mais sucintas e impactantes – na medida certa.

Defendendo uma Causa em Redes Sociais: Acerte no Tom

É claro que, quando o objeto da sua causa sofre um golpe de injustiça – a retirada de algum direito da mulher, por exemplo -, a tendência é tomar as redes sociais com textos inflamados e taxativos.

É natural, mas o tom não pode ser tão agressivo a ponto de espantar aqueles que não dividem o mesmo carinho que você por aquela pauta. A tendência é que quem ainda não está engajado reaja de maneira taxativa, tratando o discurso do ativista como sendo “radical”.

Existe um grande risco de que a antipatia se instale na hora. E ela é muito difícil de reverter. E tudo o que uma causa não precisa é de “advogados do contra” pouco esclarecidos falando mal de assuntos delicados.

Ativista Online: Como Conversar com o seu Público

teclado bandeiras ilustração

Muitas causas se beneficiam do ativismo em redes sociais

O mais recomendado é explicar por quê aquele acontecimento ameaça uma causa importante. Inclusive, o melhor momento de dar voz à questão é quando algum acontecimento o coloca em evidência.

Portanto, não perca o timing. Falar sobre o assunto quando ele está em alta é fundamental. Na hora de escrever ou gravar uma mensagem, seja didático e claro.

Não se esqueça de colocar o seu leitor num lugar em que ele próprio veja a ocorrência como ameaçadora para seu próprio bem estar.

Faça isso não num único textão, mas em diversas postagens de no máximo três parágrafos. Se não for possível expor os principais argumentos do assunto ali, continue num próximo post.

Também não publique mais de duas postagens por dia sobre o mesmo assunto. Mais que isso já é o suficiente para que achem que você está “floodando” (ou seja inundando) o espaço. Novamente, cai no risco de criar antipatia.

Causas são assuntos que exigem, essencialmente, grandes mudanças. E a maior parte das pessoas se sente muito desconfortável com mudanças que envolvam novos comportamentos e perspectivas de vida. Portanto, seja gradual e constante.

Saiba Lidar com os Comentários

Um ativista maduro está aberto e preparado para lidar com questionamentos a respeito da sua causa. Conforme dito anteriormente, muitas pessoas reagem com dúvidas a qualquer projeto de mudança maior.

Isso deve ser feito com tato, acompanhando e se dando o trabalho de responder cada comentários. Seja sempre direto e objetivo, não desqualificando o seu interlocutor.

discussão em redes sociaisAo fazer qualquer comentário que pode passar a impressão de que você está desqualificando o outro, você não estará mostrando para ele uma falha dele próprio e sim criando uma distância infeliz de comunicação que só polariza ainda mais a conversa, piorando os ânimos.

Se o seu interlocutor, por outro lado, for desrespeitoso com você ou com o alvo do ativismo, comunique que você não prossegue com diálogos grosseiros e informe que vai encerrar a discussão com ele.

Caso ele insista, deixe-o falando sozinho. Resista ao máximo bani-lo dos comentários: você publicou uma postagem exatamente para que nasçam chances de uma maior conscientização, e vozes dissonantes também devem ter vez.

Abandone a discussão, mas mantenha o espaço aberto para todos.