Trepadeiras rusticas para sitios e fazendas

Escrito por

Fazendas e sítios podem ter belos jardins?
Mesmo com a falta de tempo de fazer jardinagem é possível ter belos recantos.
Uma sugestão é escolher trepadeiras nativas de sua região, que irão exigir menos cuidados.

Plantas como os arbustos trepadeiras, podem ser do tipo escandente (plantas trepadeiras que precisam de apoio) ou cipó (trepadeiras que soltam extensões que se enrolam nos galhos ou apoios para subirem).
São plantas ideais para enfeitar pérgulas e cercas e, quando de espécies mais rústicas, toleram períodos sem cuidados, como pode acontecer em sítios ou fazendas onde as prioridades são outras.

Estamos fornecendo algumas sugestões que poderão ser cultivadas inclusive em jardins urbanos, como alternativa mais sustentável de menor manutenção das áreas verdes.

A cuspidaria floribunda e a cuspidaria convoluta – nativas brasileiras

trepadeira cuspidaria

cuspidaria floribunda

 

Entre as muitas espécies possíveis, temos a Cuspidaria (Cuspidaria floribunda), nativa brasileira, de flores rosas forte tubulares, reunidas em ramos floríferos em forma de arco.

Floresce na primavera.
É de grande rusticidade fazendo belo efeito em grades, muros e portais.

trepadeira cipo rosa

cuspidaria convoluta

 

Do mesmo gênero, o Cipó-rosa (Cuspidaria convoluta), também nativa.
Também apresenta flores tubulares em rosa.
Muito vigorosa, é ideal para caramanchões e cercas de concreto.

Cipó-trombeta – Disctictella elongata ou Amphilophium Elongatum

distictella elongata

cipó-trombeta

Outra trepadeira é o cipó-trombeta (Disctictella elongata), também conhecida como Amphilophium Elongatum.
Ela é semilenhosa, de folhas coriáceas e flores tubulares brancas de garganta amarela, reunidas nas pontas dos ramos.
Possui gavinhas e prende-se a qualquer suporte, sendo interessante para portais e pergolados grandes.

Adequada a temperaturas mais amenas, não é tolerante ao frio.

A nativa Fridericia Speciosa – cipó-vermelho ou cigana-do-mato

cipó-vermelho

Fridericia speciosa

Recantos onde cercas são altas, uma trepadeira fará belo efeito escondendo a alvenaria.
A cigana-do-mato ou cipó-vermelho (Fridericia speciosa), é uma nativa brasileira muito rústica.
Pode ser encontrada espontânea em árvores à beira de estradas do país em regiões de temperaturas mais altas.

Suas folhas ovais e inflorescência terminal vermelha de pequenas flores fará belo efeito se cultivada ao longo de cercas de divisa, em pergolados e solta cobrindo muros de contenção de declives.

Trepadeira unha-de-gato ou cipó-de-gato (Macfadyena unguis-cati)

cipó-gato

macfadyena unguis-cati

Considerada invasora, a trepadeira unha-de-gato (Macfadyena unguis-cati), é um interessante adendo a propriedades rurais.

Folhas verdes, ramos providos de gavinhas em formato de unha e flores em amarelo claro, profusas na primavera.
Necessita de apoio parcial, onde este termina ocorre uma cascata de flores, num efeito espetacular.

Pode ser cultivada em todo o país.

Cipó-alho – Mansoa alliacea

cipó de alho

cipó alho – mansoa alliacea

 

Para quem aprecia flores em rosa quase o ano todo, o cipó-alho (Mansoa alliacea) é um adendo lindo ao jardim, seja rural ou urbano.
Ideal para regiões de temperaturas mais altas como o norte do país.

O sabor das folhas e flores lembra o alho e podem ser utilizados em culinária.

Trepadeira-de-arco – Pandorea jasminoides

trepadeira de arco

trepadeira-arco – pandorea jasminoides

Muitas pessoas conhecem a sete-léguas (Pandorea ricasoliana), de longos ramos pendentes e flores tubulares em cor rosa.

Pois do mesmo gênero encontramos a trepadeira-de-arco (Pandorea jasminoides), arbusto semi-herbáceo, de folhas compostas e flores tubulares de garganta amarela, reunidas nas pontas dos ramos.
Estes formam arcos e fará belo efeito em portais, arcos e entradas de edifícios.

Assim, na época de suas florações, o efeito no paisagismo do jardim será espetacular, surpreendendo a todos.

Dicas para cultivar trepadeiras em muros e cercas

Alguns cuidados são importantes ao cultivar trepadeiras vigorosas e cipós.
O muro de alvenaria deverá receber impermeabilização para não haver degradação do concreto devido à umidade da vegetação.

Moirões de cimento a intervalos também são recomendados para manter a integridade do conjunto.

Nas cercas de tela, um fio de aço na parte superior e outro no meio da cerca ajudará na sustentação dos ramos, devido à grande massa vegetal que pesará na estrutura.