Diferentes Técnicas de Podas

Escrito por

A poda de plantas é essencial para revitalizá-la. Mais que isso: dependendo da técnica utilizada, é possível inclusive desenvolver melhor algumas de suas características.

Mais flores, mais frutos e novos formatos são atingidos com a poda correta.

Conheça alguns tipos a seguir.

Poda para Estimular Frutos

Estamos falando aqui de plantas ornamentais. Mas em pomares, a poda de floração com objetivo de mais e melhores frutos é uma realidade.

Pomares domésticos cultivados que não têm poda controlada nem condução das espécies do espaço acabam por ter frutos pequenos, mais escassos e alternância de frutificação.

A alternância costuma ocorrer principalmente em goiabeiras. Num ano bom, produzem frutos além do que se pode consumir; no outro, quase nada.

Também o pomar acaba por desenvolver grandes copas, dificultando a colheita dos frutos. No entanto, com grande sombreamento do quintal.

Poda de Ramos Internos para Abrir a Copa

jardineiro-poda-arvoreA seiva circula na planta e tende a dirigir-se para os ramos mais expostos à luz.

Como sabemos a luz natural do sol ativa o trabalho fotossintético da planta e desta forma estes ramos mais iluminados desenvolverão novos ramos, mais folhas e flores.

Ao podar os ramos mais internos que muitas vezes nem têm folhas, abre-se a copa da muda. Isso ilumina mais a área, propiciando a que novas gemas se desenvolvam.

Ramos muito retos e verticais têm maior velocidade na circulação de seivas, propiciando maior desenvolvimento vegetativo.
Quando podamos um ramo assim, retiramos a auxina inibidora que está localizada na ponta do ramo e as gemas remanescentes receberão maior fluxo de seiva, com maior poder de brotação vegetativa.

Uma poda severa, retirando muito da copa, portanto, produzirá grande número de ramos vegetativos, com pouca floração.

Também ocorre que em ramos lenhosos, o excesso de ramificações divide a seiva e poderá produzir flores muito pequenas fora do habitual da muda.

Poda de Revitalização

Quando podar, cortar o ramo num ângulo entre 45 a 60 graus

Quando podar, cortar o ramo num ângulo entre 45 a 60 graus

 

Retirando algumas partes dos ramos teremos mais nutrientes para as gemas remanescentes.

Isto ocorre muito em arbustos de mais idade, quando a poda de revitalização aliada à adubação poderá propiciar lindas florações ainda por anos.

Menor que isto não tem problema, mas ângulos mais acentuados produzirão gemas dirigidas para baixo, além de demorar mais a cicatrizar o corte.