Plantas em Vasos Grandes e Jardineiras: Dicas de Cuidados

Escrito por

Se você coleciona vasos grandes em casa, na varanda ou jardim, ou é fã das jardineiras de balcão florindo ao estilo de um país europeu, não pode perder esse artigo. A seguir damos dicas de cuidados para mantê-los sempre saudáveis e radiantes.

Plantas de Vaso ou de Jardineiras: Orientação em Relação com o Sol

flores na varanda

Observe a orientação solar do espaço. Evite colocar plantas de meia sombra ou sombra em jardineiras com orientação Norte e Oeste. As folhas serão sensíveis ao sol mais forte.

Plantas de cultivo ao sol serão afetadas pela falta dele em jardineiras com orientação Sul. Haverá sombras da edificação o dia todo. Elas não irão florir ou haverá menor quantidade de botões.

Para Leste, observar que o sol estará presente até o meio-dia. Mudas de folhagem sensível como begônias poderão mesmo assim apresentar queimaduras.

Atenção ao Vento e às Raízes

Quando a jardineira estiver em local com ventos fortes ou constantes, como na área litorânea ou em maiores altitudes, não escolher mudas de folhas delicadas. Elas se rasgam com facilidade. A aparência da jardineira em pouco tempo será desoladora.

Plantas para jardineiras mais rasas não devem ter raízes muito grandes verticalmente. Isto prejudicaria seu desenvolvimento.

Para arbustos como dracenas, por exemplo, a profundidade mínima é de 0,60 m. Já para azaléas anãs poderá ter 0,25 a 0,35 m de profundidade.

Como Regar Plantas de Vasos Grandes ou Jardineiras

As regas deverão ser observadas conforme o tipo de planta cultivada e a exposição ao sol do recipiente.

Jardineiras de alvenaria dentro da estrutura do prédio tendem a esquentar menos quando o sol incide sobre elas. Mas jardineiras de balcão externas ao prédio, penduradas, poderão ter o substrato seco com maior rapidez.

Jardineiras de plástico, as preferidas para esta situação devido ao pouco peso, tendem a secar muito a terra quando expostas ao sol durante a tarde, o que poderá prejudicar as plantas. As regas deverão então ser mais frequentes.

Não dar banho nas plantas. Regue apenas o substrato.

Substratos mais Indicados para Plantas de Vasos Grandes e Jardineiras

Substratos muito ricos em areia tendem a perder a água de regas mais rápido, devido à facilidade de percolação. A adição de adubo animal de curral bem curtido misturado com composto orgânico e areia, numa proporção de 2: 4:1, é uma boa dica.
Mas outras combinações poderão ser feitas, de acordo com as plantas a cultivar.

As cactáceas e suculentas são plantas cultivadas com areia e húmus de minhoca, numa proporção de 3:1, acrescentando elementos de textura mais grosseira, como cascalho fino e composto de folhas bem particulado.

O material inerte ajuda na aeração, evitando a compactação ocasionada pelas regas e o peso das plantas, mas o material orgânico permitirá manter a água sem que fique compactado impedindo a percolação excessiva das águas de regas.

Repondo Nutrientes

vaso no balcão
A reposição de nutrientes deverá obedecer calendário de reposição, cujas recomendações estão nas fichas das mudas disponibilizadas no site.

Uma regra geral é que plantas de folhagem poderão receber adubação a cada 6 meses ou uma vez por ano, na estação das chuvas ou no inverno do Sul.

Plantas que entram em dormência perdendo a folhagem poderão ser adubadas no período em que a muda está emitindo novos brotinhos. É sinal que está saindo da dormência e se preparando para a nova estação.

Plantas de flores devem ser adubadas antes da floração para dar uma dose de incentivo em nutrientes. Quando florescem de maneira abundante, após a floração deverão ser novamente adubadas para repor suas energias.

A adubação poderá ocorrer de dois modos: colocação de substrato composto com adubos animais e/ou químicos ou na forma líquida.

 

Quando Optar pelo Adubo Animal em Vasos ou Jardineiras.



Quando a terra da jardineira tem algum tempo, tende a ficar compactada. Isto desce o nível do substrato na jardineira, muitas vezes descobrindo raízes, o que não é desejável.

Neste caso será mais interessante a colocação de material semelhante ao do plantio da muda, preenchendo os vazios. A adição de adubos é necessária, obedecendo às quantidades recomendadas nas fichas das plantas.

As regas após estas adições irão permitir que tudo se acomode e as plantas recebam os nutrientes repostos.

Adubo Líquido para Vasos

Caso a jardineira tenha substrato suficiente e o desenvolvimento das mudas não permita adição de mais terra, a reposição de nutrientes deverá ser feita de modo líquido.

Muitas empresas que fazem manutenção de vasos em ambientes corporativos encontram assim a solução para manter as plantas saudáveis sem que seja preciso fazer sujeira no ambiente, com sacos de terra e toda a movimentação que isto exige.

Dissolver o granulado em água e colocar no substrato ao redor da muda. Este substrato deverá estar previamente umedecido, para facilitar a percolação dos sais de adubo para o interior do substrato, alcançando as raízes.

Evitar que esta água misturada toque no caule e nas folhas da muda, o que poderá ocasionar manchas de queimadura.
Caso isto ocorra de forma não prevista, molhe as folhas para limpar.

Limpeza de Folhas

dracaena

Dracena reflexa

 A limpeza de folhas grandes, como nas dracenas, poderá ser feita com estopa e água, feita durante um período sem sol.

Caso a planta seja sensível à água borrifada ou passada, como begônias e violetas, use um pincel seco de cerdas bem macias e passe delicadamente para retirar a poeira das folhas.

Algumas palmeiras como a ráfis (Rhapis excelsa) são beneficiadas com água borrifada periodicamente. Evita-se assim que fiquem com a ponta das folhas secas. Serve para locais internos e externos.

A limpeza de folhas secas e flores fenecidas deverá ser frequente, evitando a má aparência. Como se pode prever, a manutenção de jardineiras dá trabalho, sendo compensado pela beleza da fachada da residência.

 

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: gailf548, mannewaar, keps1230, cbgrfx123