Dracena vermelha (Cordyline terminalis)

Escrito por

Nome Botanico:Cordyline terminalis (L.) Kunth
Sin.: Asparagus terminalis L.

Nomes Populares :Dracena, cordiline, dracena vermelha

Família : Família Ruscaceae

Origem: Originário da Índia e Malásia

Descrição:

Dracena vermelha folhagemPlanta arbustiva perene de folhagem ornamental.

A altura que pode atingir é variável, de 1,50 a 2,80 metros, conforme a região e a fertilidade do solo.

O caule é cilíndrico, de cor escura, com marcas de folhas anteriores.

As folhas são grandes estreitas ou largas, verdes, verdes com listras vermelhas, cor de vinho, consistência coriácea.
As de folhagem cor de vinho são bem brilhantes.

As flores são pequenas, brancas ou na cor rosa, reunidas em inflorescência do tipo racemos mas não têm importância ornamental.
As flores são intensamente perfumadas, com odor de mel, principalmente à tarde.

Este arbusto pode ser cultivado em todo o país, inclusive nos lugares de frio mais intenso.

Modo de cultivo :

Seu cultivo deve ser à sombra ou meia sombra, principalmente as de folhas cor de vinho, que apresentam queimaduras de cor marrom quando ficam ao sol.
Na sombra adquirem cor intensa, sendo excelente adição em maciços verdes.

O solo de cultivo deve ser fértil em material orgânico com muito boa drenagem.

Dracena vermelha cultivoSe plantado em canteiro, abrir um buraco maior que o torrão, colocando no fundo mistura de adubo animal de curral bem curtido com composto orgânico.

Retirar a muda do saco de cultivo e acondicionar o torrão no buraco, preenchendo as laterais com a mesma mistura de substrato.
Observar quando retirar o torrão do recipiente, se as raízes estiverem enroladas, procurar soltá-las do substrato para que cresçam de forma adequada.

Se a muda tiver porte grande, usar um tutor temporário de sarrafo ou bambu, amarrando a planta de leve no tutor, usando um cordão em formato de oito para não estrangular a planta.

Regar depois do plantio. Regar periodicamente sem encharcar o substrato.

Este arbusto poderá ser cultivado em vasos, inclusive em interiores iluminados de luz natural ou por lâmpadas.

Usar um vaso com altura superior a 0,60 metros, pois a cordiline tem a raiz principal longa.
Proteger o interior do vaso com pixe deixando secar vários dias.
Colocar no fundo britas e areia úmida ou então geomanta para diminuir o peso do vaso.

Fazer mistura de adubo animal curtido, de gado ou de aves com composto orgânico mais areia, na proporção de 1:4:1.

Se o adubo for cama de galinheiro, usar metade da proporção.
Colocar parte do substrato no fundo, acondicionar o torrão e preencher o restante com a mistura.
Regar a seguir.

Propagação:

Pode ser feita por sementes, mas a mais usada ainda é a propagação por estaquia.
Retirar o caule deixando uma parte para rebrote na touceira.
Escolher um caule do meio ou do fundo da touceira, evitando deixar o visual feio.
Limpar de folhas a base para poder enterrar. Colocar em areia úmida.

Quando notar que começa a se desenvolver, plantar com substrato semelhante ao que recomendo para vasos ou no canteiro.

Paisagismo:

Cultivada em vasos, sozinha ou em conjunto com outras plantas, em grandes canteiros, junto a muros, é sempre uma boa opção para os jardins, pois não necessita de manutenção.

Algumas dracenas também podem ser cultivadas em interiores, principalmente as de folhas verdes.

Dracena vermelha paisagismo

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: mikecogh, tanetahi