Como plantar o Lilás da California ou Ceanotus

Escrito por

O lilás da California é um arbusto ou arvoreto de lindas flores azuis com perfume de mel.
Conforme a espécie as cores variam para um lilás escuro fazendo belo contraste entre as plantas do jardim.
Ele se adapta a áreas litorâneas e a áreas de campos e montanha que não comportem invernos muito frios.
Atrai abelhas e borboletas.

Nome botânico: Ceanothus L.
Nomes populares: ceanotus, lilás-da-califórnia, lilás-selvagem
Angiospermae – Família Rhamnaceae
Origem: América do Norte, encontrado espontâneo desde o Sul do Canadá até a Guatemala

Descrição do Lilás da California ( Ceanothus L.)

Arbusto lenhoso perenifólio, mas com espécies adaptadas de comportamento decíduo.
As folhas e a altura podem variar conforme a espécie.
As flores são bem pequenas, perfumadas e reunidas em inflorescências tipo racemos, que podem ser ovais, esféricos ou irregulares.
Muitas espécies são encontradas e muitas existentes.

Citamos o Ceanothus arboreus com até 9,0 m, de folhas ovais acuminadas serrilhadas na borda e cachos de pequenas flores em azul profundo.

Já menor, o híbrido Ceanothus x delilianus, tem arbustiva ovalada, altura até 3,5 m, com folhas ovais menos serrilhadas e flores em azul celeste.

Flores em violeta pálido e folhas arredondadas com pequenas serrilhas são do Ceanothus griseus, que pode atingir 2,40 m de altura.

santa barbara ceanothus

Ceanotus impressus

Um dos mais bonitos é o Ceanothus impressus, com até 1,80 m de altura e inflorescências em forma esférica de flores azul escuras.

Todas as espécies do gênero tem frutinhos tipo cápsulas trilobadas com sementes viáveis.
A floração ocorre na primavera e pode se estender até o meio do verão.

No nosso país ainda não é muito usado, mas muito interessante para compor projetos para o Sudeste e Sul.

Como plantar o Ceanothus

O ceanotus aprecia locais ensolarados, de solos permeáveis, profundos e bem drenados.

É nativo de zonas costeiras e também encontrado espontâneo em áreas junto a matas, então seu cultivo nos jardins litorâneos e de altitude são viáveis.
Não tolera bem climas quentes e úmidos.

Tem a característica de fixar nitrogênio (N), como se fosse uma leguminosa.
Nos substratos de plantio ou reposição de nutrientes usar sempre pouco adubo nitrogenado ou com menor teor de N. As regas durante o verão devem ser mais frequentes evitando que as plantas tenham deficiência hídrica.

O plantio

As mudas adquiridas devem, de preferência, ter seu plantio no inverno ou estação das chuvas.

Fazer um buraco maior que o torrão.
Separar a terra retirada da superfície da que está no fundo. A terra superficial tem maior teor de matéria orgânica e poderá ser misturada a composto orgânico o quanto seja necessário, 150 g de adubo de aves, 100 g de farinha de ossos ou fosfato natural de rochas (fonte de fósforo).
Descompactar o fundo e as laterais do buraco.
Colocar parte da mistura no fundo, acomodar o torrão e preencher as laterais.

A terra reservada que estava no fundo irá por cima. Apertar de leve a muda e colocar um tutor se necessário, amarrando com cordão de algodão em forma de oito para não danificar o tronco. Regar bem.

A reposição de nutrientes poderá ser anual, durante o inverno ou estação das chuvas.
Usar a mistura de adubo NPK 4-14-08, cerca de 100 g/muda, misturado a uma porção de composto orgânico.
Colocar ao redor da projeção da copa e regar bem.

Como podar o lilás-da-california

Como o ceanotus cresce de forma exuberante, principalmente nos primeiros anos, podemos controlar sua forma e tamanho por podas.

São feitas após o término do florescimento e promovem maior adensamento dos ramos.

ceanotus como apoio de cerca

Além de formatar, também podar os ramos que tem direção para dentro da planta, pois estes não irão florir.
A forma de condução poderá ser para pequena arvoreta, cerca viva ou espaldeira, junto a muros e paredes.
Nos primeiros anos evitar podar os ramos que se desenvolvem quase junto ao solo.

Isto pode ser feito em mudas mais velhas ou quando desejamos conduzir a planta para ser uma pequena arvoreta.

Mudas e propagação

A propagação do lilás-da-california pode ser feita por sementes, que deverão ser estratificadas em areia de construção e conservadas em geladeira por uns três meses.
Depois dar um choque de água quase quente antes de semear.
Usar composto orgânico em caixotes, mantendo em local protegido da chuva e do sol.
Transplantar para recipientes quando tiver uns 15 cm de comprimento.

Outras técnicas de propagação são a estaquia e a alporquia.
A estaquia é separada por tipo de estaca com a época apropriada.
Ramos de ponta, mais verdes, são colocados no substrato até o meio do verão.
Ramos do meio, semilenhosos podem ser usados do final do verão até o final do outono e os lenhosos do final do outono até o final do inverno.

Cortar estacas com uns 15 cm de comprimento, retirando as folhas basais sem danificar as gemas. Passar em enraizador do tipo AIA ou AIB e enterrar uns 5 cm em substrato leve, tipo areia, casca de arroz carbonizada ou perlita.
Os cultivadores usam estacas jovens das espécies perenifólias e as de folhas decíduas, pois enraízam melhor que os ramos de idade média.
Levam cerca de dois a três anos para florescerem.

Uso decorativo e paisagismo do Ceanotus

lilás da california, ceanothus

Flores em diversos tons de azul e lilás, de profuso e exuberante florescimento, o ceanotus é uma excelente opção para jardins com baixa manutenção.
Dá ótimo resultado em jardins pequenos que não comportam uma árvore e como cerca viva de médio a alto porte para cortina visual.

O efeito de cor que propicia junto a plantas de tons de verde ou mesmo arbustos de flores da mesma cor, como as hortênsias, farão, com certeza, belo espetáculo, atraindo todos os olhares.