Como plantar bromélias com sucesso. Tutorial completo

Escrito por

Como plantar bromélias com sucesso.
A eng. agrônoma Miriam Stumpf ensina todos as dicas para o cultivo tanto profissional quanto amador desta espécie.

Aqui lançamos a 2a parte deste minucioso estudo sobre como plantar bromélias.
No post anterior, cultivo de bromélias, mencionamos sobre a extensa família das bromélias, assim como suas diferentes espécies e formas de habitat.

Como plantar bromélias: o substrato de cultivo

As bromélias são plantas cujos locais de origem costumam apresentar alto teor de nutrientes orgânicos e pH mais alto.

substratos para bromélias

O “como plantar bromélias e ter sucesso”passa em primeira mão pela escolha do substrato correto para seu plantio.
Ou seja, deve ter baixa densidade para garantir boa aeração e drenagem da água de chuvas e regas.
O ideal é usar o substrato específico para bromélias, o qual encontramos facilmente nos comércios para jardinagem.

O pH de cultivo fica em torno de 5,8 a 6,3, mas estudos feitos com a bromélia Alcantarea mostraram que , no caso específico da espécie, seu melhor desenvolvimento é com substrato com pH 7,1.
Listamos a seguir diferentes misturas de substrato, conforme as diferentes características de cada espécie.

Substrato de fibra de coco e esterco

Estudos mostram que algumas se desenvolvem bem em substrato de fibra de coco e esterco bovino em quantidades iguais ( Vriesia e Neoregelia).

Mas pode também ser uma mistura de terra comum de canteiro com casca de arroz carbonizada, na proporção de 1:1.

Substrato com terra, areia, humus de minhoca e pó de fibra de coco ou cascas

Terra, areia, húmus de minhoca e pó de fibras de coco ou casca de pinus decomposta é outra receita que dá certo.
Desta forma, testes efetuados para uma mistura mais completa, chegaram a: terra 25% + Areia 25% + Húmus de minhoca 25% + pó de cascas (fibra de coco, casca de pinheiro e serragem decomposta ou casca de acácia).

As cascas devem ser em pequenos pedaços, é preciso deixar de molho em água para diluir os compostos fenólicos que podem prejudicar as plantas.
Para os gêneros Dyckia e Orthophytum adicionar mais areia.

Bromélias epifitas não usam substrato

Bromélias epífitas como as do gênero Tillandsia não usam substrato.

Substrato para as sementes

O substrato que melhor apresenta resultados para a propagação de sementes é a casca de arroz carbonizada pela sua boa drenagem.
É um produto oriundo do beneficiamento do arroz e encontrado em regiões de produção deste cereal.
Pode ser adquirido in natura e queimado dentro de latas em combustão incompleta.
Para regiões que não tenham este tipo de material pode ser usada a vermiculita.

Casca de coco precisa ser lavada antes do uso

A casca de coco é um substrato usado há pouco tempo, oriundo da indústria de beneficiamento do coco.
É um produto que deve ser lavado muitas vezes para retirada de composto tóxicos para as plantas.
Portanto, deixe de molho em água limpa e troque todos os dias durante uma semana.
Depois, pode deixar secar e empregar.

Algumas dicas para ter sucesso com suas bromélias

1. Se as folhas novas são mais longas em relação às mais antigas, o local de cultivo tem sombra demais.
Também se a cor das folhas fica somente verde, perdendo o colorido.

2. Se as folhas começam a apresentar sinais e manchas pretas há água demais na muda.

3. Se aparecerem manchas secas nas folhas, a planta pode ter queimado com sol.
Outra possibilidade é que pode ter sido regada e a água agiu como lente sob o sol, queimando a folha.
Adubação demais pode apresentar sintomas parecidos, mas a queimadura começará nas pontas da folhas.

4. As bromélias dos gêneros Vriesia, Neoregelia, Aechmea, BillbergiaGuzmania e Canistrum possuem tanque dentro da roseta de folhas e costuma-se deixá-lo sempre com um pequeno filme d’água.

5. Quando plantar não enterre demais a muda, a base das folhas deve ficar acima da linha do solo.
Se a muda é grande, use tutor até a fixação da muda no substrato.

6. Não use vaso muito grande para não haver muita umidade nas raízes. Facilite a drenagem usando cacos de vasos, brita ou isopor cortado no fundo e um substrato bem pouco denso.

Como plantar bromélias – luminosidade

As bromélias espinhentas, rígidas e de folhas estreitas, folhas cinzentas, avermelhadas ou com centro avermelhado são as que apreciam mais luz.
Portanto, estas podem receber sol direto pela manhã ou fim da tarde.

luminosidade para as bromélias

bromélia nidularium innocentii

As de folhas macias, verdes, apreciam locais à meia sombra.
A luz das 13 até às 16 horas, principalmente no verão pode quase paralisar o crescimento da planta.

É costume em floriculturas falarem de “bromélia de sol”.
Na verdade são poucas as que apreciam muito sol.
Pois, na mata onde estão fixas nos troncos elas não tem opção.
E, se por conseguinte, houver muita incidência de sol, podemos ver em fotografias, o estado das folhas, muito danificadas, queimadas e judiadas.

Se receberem a luz do sol coado por folhagens das árvores, sob arbustos, protegidas do sol forte demais, com certeza ficarão mais bonitas.

Sabe-se que a bromélia recebeu sol demais quando as folhas começam a amarelar, o verde fica mais claro, podendo, em casos graves, ficar ressecadas e queimadas.

Como exemplos: Nidularium,é uma bromélia de meia sombra, enquanto que aNeoregelia, aprecia muita luz.

Adubação em bromélias – como proceder

Devemos cuidar para não usar fertilizantes com boro, cloro ou fósforo em excesso, é o principal item na parte de adubação de reposição das bromélias.
As plantas têm a capacidade de absorver com rapidez os nutrientes.

adubação nas bromélias

Bromélia cravo-do-mato

Na mata as bromélias que possuem o tanque central, ficam, com este, carregado de água da chuva ou orvalho.
Lá se acumulam pequenas poeiras, insetos e folhas decompostas que compõem seu material de sustento.

As raízes da maioria são necessárias para sua nutrição, mas também para fixação, já que a maioria cresce sobre troncos.

Menos no gênero Tillandsia, que absorve pelo ar a umidade e os nutrientes, suas raízes servem somente para fixação.

Todos já devem ter visto aquelas plantas nos fios de energia, que chamamos de cravo-do-mato.
Seu nome é Tillandsia aeranthus e proliferam com rapidez, mas não tem substrato nenhum.

Uma outra opção alternativa é a adubação foliar líquida.
Use sempre abaixo da quantidade recomendada para ornamentais, evitando desta forma,queimar as plantas.
As folhas centrais têm grande capacidade de absorção de nutrientes.

Já, os adubos granulados dissolvidos em água e colocados no substrato de VriesiasGuzmanias e Nidularium serão absorvidos também com eficiência.

No entanto, é importante, que este granulado seja diluído e o líquido coado antes de colocar no aspersor.
Poderá ser usado o de formulação NPK 10-4-16, pois a planta necessita de potássio em maior dose.

A adubação feita na primavera é mais eficiente, uma vez que a planta está em crescimento maior que no inverno . Assim sendo, ela absorverá e utilizará melhor os nutrientes.

Como plantar bromélias: temperatura

Cultivo de bromelias

Bromelia guzmania

Temperaturas elevadas não são problema para as bromélias, acostumadas a climas quentes no seu habitat.

Temperaturas baixas no inverno, como ocorre nos estados do sul do país podem propiciar problemas para as plantas, principalmente em jardins, já que nas produções o cultivo é feito em estufas.

A temperatura de inverno mais baixa a suportar fica em torno de 12 a 15ºC.

Existem algumas especies que se adaptam melhor a climas amenos.
Como é o caso do gênero Guzmania que não aprecia muito calor. Este se desenvolve melhor na faixa dos 20 a 25ºC.

Para quem deseja cultivar bromélias em estufas ou jardins de inverno, é importante levar em conta uma boa circulação do ar.
Isto, para evitar doenças fungicas.

Já, naqueles que plantam bromélias em jardins abertos, os ventos locais dão conta de arejar o espaço.

Por exemplo, a Tillandsia é sensível a ambientes abafados.

Como plantar bromélias: a umidade

 
Aquelas bromélias nativas de zona quente e úmida como a floresta Amazônica e Mata atlântica apreciam alta umidade relativa do ar.
Sendo assim, seu ambiente de viveiro e cultivo deve assim ser reproduzido.

Não quer dizer que deva ser encharcado seu substrato, mas a umidade do ar pode ser feita por nebulizadores.

Para cultivo caseiro, borrifar sobre a planta longe do sol também ajuda.
Vriesias e Nidularium apreciam ambientes mais úmidos.