Como plantar a orelha-de-lebre ou peixinho-da-horta

Escrito por

A orelha-de-lebre, muito conhecida também como peixinha-da-horta é uma planta apropriada para climas mais amenos.
Como, por exemplo, no sul e no sudeste, ou ainda, em regiões de montanha.
Usada como planta de forração,ela chama a atenção por ter as folhas cobertas por uma penugem aveludada ao toque.

Nome botânico: Stachys byzantina C. Kock.
Sin.: Stachys lanata Jacq.
Nome popular: orelha-de-lebre, orelha-de-cordeiro, pulmonária, peixinho-da-horta
Angiospermae – Família Lamiaceae
Origem: Ásia, Turquia

Descrição

A orelha-de-lebre é uma planta herbácea perene de altura entre 20 e 40 cm de altura e até 35 cm de diâmetro cada muda.

O seu formato é em roseta basal com folhas simples, ovais alongadas cobertas por pequenos pelos esbranquiçados que dão a impressão de veludo.
Portanto, daí advém o apelido de orelha-de-lebre.

flor da orelha-de-lebre

Suas flores são pequenas, cor de rosa, com um toque violáceo.
Estas ficam reunidas em espigas com pequeninas folhas.

A floração é bem ornamental, mas não ocorre com frequência.

Atraem abelhas.

A planta pode ser cultivada em todas as regiões do país com temperaturas amenas a frias, como no Sudeste e Sul do país.

Como plantar a orelha-de-lebre

Primeiramente é importante ressaltar que a stachys byzantina necessita de substrato levemente umedecido, não suportando grandes períodos de seca.

Ela é mais usada como planta de forração ou acabamento em vasos.
Também, é uma planta com boa resistência ao frio.

Não é exigente em solo especial, mas para um cultivo adequado é conveniente tratar a terra de canteiro.
Para isto, siga os seguintes procedimentos:
Adicionar composto orgânico, uns 2 kg/m2 e cerca de 100 g/m2 de adubo de aves bem curtido, revolvendo o solo até uns 20 cm de profundidade.

O espaçamento para forração é de 25 a 30 cm entre mudas na linha, desencontrando as fileiras.

Após a preparação da terra do canteiro abrir pequena cova do tamanho do torrão, acomodar a muda e aconchegar a terra, dando um apertão de leve para fixar. Quando o canteiro estiver plantado, regar bem.

Mudas e propagação da orelha-de-lebre ou peixinho-da-horta

A propagação é feita através de rebentos que crescem junto da planta, retirando com cuidado para transplante.

Para ter mais sucesso, sugerimos colocar em sacos de cultivo com composto orgânico até que a muda fique com muitos raminhos.

Paisagismo ou Uso decorativo

peixinho-da-horta ou planta peixinho

A orelha-de-lebre pode ser usada para acompanhar outras plantas, onde o efeito prateado poderá propiciar um encantador conjunto.
Por exemplo, em jardineiras ou vasos de boca larga poderá fazer conjuntos de grande efeito.

Nossa sugestão é que plante como folhagem de acabamento, preenchendo o chão junto a plantas de folhagem mais coloridas, como crótons (Codieum variegatum), coleus (Solenostemum) e iresines (Iresine webstii).

Evite usar esta planta com suculentas e cactáceas.

Pelo seguinte motivo, não pela aparência, que seria de excelente efeito.
Mas sim, porque ela necessita de mais regas frequentes que as xerófitas.

Se regar mais pela orelha-de-lebre arrisca-se a causar encharcamentos dos tecidos das cactáceas e suculentas, podendo propiciar o apodrecimento das mudas.

Trata-se de uma PANC – planta comestível

Esta planta também é conhecida como comestível, fazendo parte das plantas PANC (Plantas alimentícias não convencionais).

Em receitas diversas, ou, como é mais usada, empanadas e fritas, seu sabor lembra peixe frito.
Por isto o apelido de peixinho-da-horta.
Ao que parece, a folha quando servida frita, lembra o gosto de peixe.

Contém elementos como flavonas glicosídeos e outros.
Ainda pouco estudada nas suas propriedades químicas, tem potencial para ser bom fitoterápico.
Isto é, tem propriedades medicinais.

Sabe-se apenas que tem efeito antimicrobiano.