Ciclame (Cyclamen persicum Mill.)

Escrito por

Nome Técnico: Cyclamen persicum Mill.

Nomes Populares : Ciclame

Família : Angiospermae – Família Myrsinaceae

Origem: Região do Mediterrâneo, Grécia

Descrição do Ciclame

Planta herbácea perene de altura em torno de 20 a 30 cm e caule tuberoso.

Cyclamen persicum Mill

Flor do Ciclame

As folhas são formato reniforme de bordas serrilhadas e levemente onduladas, cor verde com manchas em tons escuros, surgindo do tubérculo em disposição espiralada sobre longos pecíolos em cor verde mais claro.

As flores têm cinco pétalas, inclinadas para trás, solitárias em longos pedúnculos com uma inclinação, dando um aspecto interessante e peculiar.

As formas varietais apresentam cor branca, rosa, vermelha, salmão e bicolores, em grande número formando conjunto acima da folhagem. Algumas apresentam um leve perfume.

É uma planta de floração do inverno até a primavera para cultivo protegido, comercializada em vasos durante algumas estações do ano, muito cultivada no Sudeste até o Sul do país.

Modo de cultivo do Ciclame

Nas florestas dos países de origem crescem espontâneas por entre as árvores, surgindo no inverno ainda no meio das derradeiras neves da estação.

Necessitam de muita luz e os vasos devem permanecer em local ensolarado durante o outono e inverno, mas em cultivo abrigado das chuvas.

Aprecia o frio, tolerando diferenças de temperaturas entre 5-24 0C.

O vaso de ciclames que se adquire no comércio já vem preparado com mistura adequada ao seu cultivo.

Suspender as regas e deixar o recipiente em local sem muita luz com a menor temperatura possível.

No outono haverá emissão de novas folhas então para incentivar recomeçar as regas em pequena quantidade de água e adicionar a esta água adubo granulado NPK formulação 4-14-8, cerca de 1 colher de chá/vaso.

Regar apenas o substrato. Levar para local bem ensolarado e deliciar-se com a emissão das belas folhas e flores.

Repetir toda a semana a irrigação com adubo até a emissão de flores parar.

Para trocar de substrato, escolher um vaso de mesmo tamanho, preparar o furo de drenagem com manta geotêxtil e areia úmida.

Colocar o substrato que deve ser leve, solto e permeável, rico em elementos orgânicos.

Usar composto orgânico ou húmus de minhoca, pois aprecia pH em torno de 5,5 até 7,5.

Adicionar ao composto cerca de uma colher de sopa de farinha de ossos e uma colher de adubo granulado NPK formulação 4-14-8, misturando bem para incorporar.

Plantar o tubérculo que já está começando a emitir folhas, não enterrando demais.

Regar a seguir.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: SantaRosa OLD SKOOL, Nuuuuuuuuuuul, tejvanphotos