Árvores e arbustos para lugares com ventos fortes ou constantes

Escrito por

O litoral é sempre um lugar com muito vento, onde temos também o fator da salinidade. Mas outros espaços também podem ter ventos fortes, constantes o ano todo, como regiões de montanhas e vales, onde cultivar algumas plantas é quase impossível.
Conheça algumas árvores e arbustos que melhor se adaptam a lugares ventosos.

Ventos que são danosos para seu jardim ou espaço

É possível constatar o efeito danoso dos excessos de vento no jardim. São ramos quebrados, folhas rasgadas ou caídas no chão, perda de botões florais e frutos semidesenvolvidos.
Este fator, também pode inibir a formação de frutos, no período da fecundação das flores.

Claro, que o vento também tem efeitos benéficos, tais como movimentar o ar parado, propiciando a troca do ar viciado no ambiente.
Lugares sem aeração adequada podem causar desenvolvimento de doenças fúngicas.

Como amenizar o estrago feito por ventos de temporais

plantas para lugares com ventos

Vasos pesados para proteger dos ventos

São ventos que não podemos prever. No entanto, alguns cuidados podem ser feitos, como implementar tutores nos primeiros meses após o plantio de mudas mais altas e o uso de vasos pesados, como os de cimento.

Em casos de muito vento, pode ser feito uma ancora com estais de aço presos ao chão.
No caso de terraços ou coberturas, pode ser feita também a ancoragem do vaso no piso, somente desaconselha-se o uso de palmeiras e árvores, para evitar acidentes.

Características gerais de plantas para lugares com ventos fortes

As características das árvores e arbustos resistentes ao vento são de folhagem perene durante as estações.
Também é desejável possuírem folhas pequenas e firmes.

Muitos arbustos ornamentais poderão também ser usados, alguns com ou sem flores chamativas.

O uso de árvores em locais ventosos permite que uma parte da propriedade fique mais protegida.
Podem compor o projeto, com fim ornamental e para ajudar a diluir o impacto do vento. O mesmo acontece com palmeiras, que filtram o ar e ornamentam os espaços.

Árvores e palmeiras bem resistente aos ventos

Dentre muitas espécies recomendamos:

Chamaecypares obtusa, cipreste-dourado:

altura até 35,0 m, folhas finas, adequado para regiões frias. Composição com coníferas menores de folhagem em coloração diferente;

Juniperus chinensis, junípero:

até 50,0 m de altura, folhagem fina verde azulada, adequado para regiões frias. Pode ser podado para cerca viva;

palmeira resistente ao vento

palmeirinha de jardim

 

Phoenix roebelenii, palmeirinha-de-jardim:

altura até 3,0 m, espinhosa, folhas de folíolos finos, muito resistente, para compor grupos com herbáceas;

Dypsis decaryi, palmeira triangular:

até 15,0 m, de folhas grandes para composição de maciços mais rasteiros;

Photinia fraseri, fotínia:

árvore pequena ou arbusto, altura em torno de 5,0 m, uma ornamental de folhagem exuberante, folhas novas avermelhadas. Boa opção para substituir árvores e servir de cerca viva podada.

Algumas espécies de arbustos resistentes aos ventos

Arbustos dão a identidade do jardim, podendo ser usados como ornamentais, cercas vivas de proteção ou barreira visual e também como quebra ventos. Dentre tantos que podem ser usados, citamos como exemplo:

Podocarpus macrophyllus, podocarpo, pinheiro-budista:

altura até 15,0 m, folhagem verde escura, sem flores chamativas, muito usado para muros e paredões. Combinados com vegetação mais baixa, como alegria-de-jardim (Salvia splendens), terá um grande impacto visual, das flores vermelhas com a folhagem de fundo em tom escuro;

Odontonema strictum, odontonema:

arbusto de folhas perenes, altura de 1- 2,0 m e inflorescências terminais vermelhas. Excelente para barreira visual. Combinar com plantas baixas de folhagem fina, como a grama-preta alta (Ophiopogon japonicus) ou a barba-de-serpente (Ophiopogon jaburan);

nandina ou bambu do ceu

nandina

Nandina domestica, nandina ou bambu-do-céu:

altura até 2,0 m, textura semilenhosa, folhas pequenas, com folhas avermelhadas quando novas. Ótima opção para separação de ambientes, serve de proteção para canteiros de plantas mais baixas e sensíveis ao vento. Recomendamos complementar o conjunto com a flor-de-mel (Lobularia marítima) de flores brancas ou a lobélia-azul (Lobelia erinus), para efeito interessante de cor e texturas;

Aucuba japônica, aucuba:

altura até 3,0 m, folhas coriáceas verdes pintalgadas de amarelo, aprecia o frio.
Muito usada para projetos de jardins orientais. Devido à folhagem muito chamativa, a combinação melhor é com planta bem baixa, como a grama-preta anã, para terminação do canteiro;

Eleagnus pungens, oleagno:

altura até 4,0 m, folhagem perene de folhas verdes acinzentadas e manchas creme. Excelente escolha para cultivo em recantos do jardim, para ornamentar muros e como cerca viva podada. Sua folhagem de base fica quase rasteira ao chão, não permitindo combinação com outras plantas além de um gramado bem aparado ou borda do canteiro em alvenaria ou pedras;

plantas resistentes aos ventos

pittosporum tobira, pitósporo-japonês:

arbusto lenhoso, com altura até 3,0 m, folhas arredondadas margeadas de creme.
Uma planta muito usada atualmente controlada por podas. Usada em vasos grandes, sobre gramados e junto a muros, seu efeito é sempre muito bonito.