A Graviola (Annona muricata)

Escrito por

A Annona muricata, árvore frutífera que dá a graviola: fruto grande de casca rugosa, sabor meio ácido, apreciado para fazer muitas receitas deliciosas. Também é usada para fins terapêuticos. Veja a seguir como plantá-la.

Nome botânico: Annona muricata L.
Sin: Annona bonplandiana Kunth., A. cearenses Barb. Rodr., A. macrocarpa Wercklé, A. muricata var. borinquensis Morales.
Nome popular: graviola, araticum ou jaca-de-pobre, entre muitos outros.
Angiospermae – Família Annonaceae
Origem: América Central

Descrição

Árvore de pequeno porte, em torno de 8,0 m, copa em formato piramidal e folhas ovais brilhantes, alternas nos ramos. As flores têm cálice triangular e pétalas amarelas e os frutos produzidos são ovais, de aproximadamente 30 cm de comprimento com casca verde rugosa.

A polpa é branca, meio ácida com muita mucilagem.

Modo de Cultivo

Seu cultivo é indicado para regiões mais tropicais, tais como se encontra nos Estados do Norte e também Nordeste. Atualmente o maior produtor é o Estado do Pará, seguidos do Ceará e Pernambuco.

A temperatura ideal fica entre 250C até 300C, com índices pluviométricos em torno de 1200 mm anuais. As chuvas bem distribuídas e altitudes até 1000 m. É uma planta que não tolera o frio, o que limita sua produção nos Estados mais ao Sul do país.

mudas de graviolaO solo de cultivo pode ser desde os arenosos até os levemente argilosos, com boa drenagem e bem aerados. Desde que sejam profundos, pois seu sistema radicular desenvolve muitas raízes.

A correção da acidez do solo deverá ser feita para um pH entre 6,0 e 6,5, a partir de uma análise do solo da lavoura. Para iniciar o plantio, as covas deverão ser abertas com antecedência, com tamanho maior que o torrão.

Reservar a terra do fundo do buraco separadamente. A terra de até 10 cm de profundidade da superfície deverá ser misturada a composto orgânico o quanto for necessário, com 15 litros de adubo de gado curtido, 250 g de fosfato natural de rochas ou superfosfato simples.

Colocar na cova e deixar até a hora do plantio. Abrir novamente o buraco, acomodar o torrão e tornar a colocar a mistura. Aquela terra retirada do fundo que ficou na reserva irá por cima. Regar bem.

A época ideal de plantio é a época das chuvas, caso não seja usada a irrigação controlada. No caso de não estar disponível o adubo orgânico de gado, pode ser também usado o adubo de aves, sempre a metade do recomendado para o primeiro.

É necessário o controle de inços, pragas e doenças, além dos tratos culturais de adubação e irrigação. As plantas daninhas competem pelos nutrientes e podem reduzir drasticamente a qualidade e quantidade de frutos.

A adubação complementar deve ser recomendada por técnico responsável, conforme análise de solos, em porções de até quatro vezes por ano.

A Propagação

É feita por sementes e também pelas técnicas de estaquia e alporquia. As sementes devem ser coletadas de frutos de plantas de boa formação e produção.

São despolpadas, lavadas e semeadas em seguida, em sacos plásticos com composto orgânico. Regar a seguir e manter em cultivo protegido do sol. Levam cerca de oito meses até o tamanho de transplante, que é de 30 cm.
O espaçamento recomendado é de 5,0 metros entre mudas e na linha.

Seu uso em pomares domésticos também é possível. O jardineiro amador poderá comprar a fruta no comércio e seguir os passos de semeadura ou adquirir suas mudas junto a produtores ou agropecuárias.

As pragas mais comuns que atacam a gravioleira são as brocas, que danificam os frutos e também as sementes. Na lavoura seguir as orientações do técnico responsável.

Uma das práticas para evitar os insetos é ensacar os frutos com plástico transparente ou tela fina, podendo ser retiradas no estágio final de desenvolvimento. Frutos atacados devem ser eliminados enterrando em covas profundas fora do perímetro da cultura.

Colheita

graviola no péApós o plantio das mudas e conforme a região e seu clima, é possível iniciar a colheita dos frutos por volta do segundo ou terceiro ano, ocorrendo ao longo de quase todos os meses.

O ponto de colheita é quando os frutos ficam com a casca mais clara e macios ao toque.

O transporte deve ser feito com cuidado para evitar lesões nas cascas.

Propriedades Medicinais e Alimentícias da Graviola

Em algumas regiões as folhas são usadas para chás terapêuticos no tratamento de tosses, hiperglicemia e as sementes contra parasitas. Os frutos contêm açúcares, vitaminas A, C e complexo B, além de tanino, pectina, dextrose e muitos outros elementos.

Suas folhas contêm alcaloides e muitas substâncias de interesse para a farmacologia na fabricação de remédios antitumorais. Mas ainda há muito a ser pesquisado.

Devido à acidez da polpa, as pessoas com problemas de acidez estomacal e aftas na boca não devem consumir a polpa do fruto crua.
Na culinária a graviola madura é usada para sorvetes, compotas, geleias e in natura, acrescentando-se açúcar e canela. O fruto verde é apreciado como componente de receitas salgadas, sendo cozido, frito, na forma de purês e em chutneys.