Nutrição! Alimentos que ajudam a amenizar a TPM!

Escrito por

Sobre a TPM – tensão pré-menstrual!

Sempre ouvimos a frase clássica “Só pode estar na TPM”, é o que sugerem quando nós mulheres estamos nervosas, irritadas, mal humoradas.

Mas, porque a TPM (tensão pré-menstrual) mais comumente conhecida ou SPM (síndrome pré-menstrual), ganhou tanto destaque nos últimos anos?
Simples pelo fato que nessa fase que antecede a menstruação, a mulher acaba apresentando vários sinais e sintomas como:

– Inchaço e sensibilidade no seio
– Constipação ou diarréia (alternados)
– Cólicas
– Retenção hídrica (com conseqüência ganho de peso)
– Fadiga
– Alterações no humor como: irritabilidade, depressão, choro mais frequente
– Dor de cabeça
– Aumento do apetite (principalmente doces)
– Dificuldade de concentração
– E acne entre outros.

Esses sintomas podem aparecer de uma forma mais grave, mas nem todas as mulheres as desenvolvem, somente 5 % da população.

A razão da TPM não é bem entendida pela comunidade cientifica.
É um jogo de hormônios totalmente desequilibrados que pode estar envolvido com diversos fatores.

Os principais sendo:
excesso de estrógeno, insuficiência de progesterona, retenção hídrica, deficiência de vitamina B6, excesso de produção de prolactina (hormônio responsável pela produção do leite) e alergias hormonais.

Podem haver várias causas envolvidas, apesar de nenhuma está esclarecida.
O que se sabe é que tanto o estradiol quanto a progesterona podem provocar os sintomas em mulheres susceptíveis.

Aliviando os sintomas da TPM

Podemos aliviar esses sintomas com algumas mudanças no estilo de vida, promovendo uma alimentação saudável, atividade física, psicoterapia, e se necessário intervenção com medicamentos.

Na alimentação, recomenda-se evitar açúcar. Troque-o por adoçantes tipo stevia natural ou sucralose (esse último é feito do substrato da cana de açúcar, sem ciclamato e sacarina sódica que supostamente pode elevar a pressão arterial e reter líquidos e não contém aspartame acusado de aumentar dores de cabeça e potencializar enxaqueca).

O açúcar refinado continua no banco dos réus. Está ligado intimamente com a resistência a insulina, principal causa de diabetes do tipo 2 e do depósito de gordura na região do abdomem.

O sódio contido no sal continua com fama de ruim comprovada. É encontrado em excesso nos embutidos, enlatados, conservas e alimentação tipo FAST FOOD.

Para se ter uma idéia a recomendação da OMS (Organização Mudial de Saúde) de ingestão de sódio é 2400 mg o que equivale a 6 gramas de sal, cada 1 grama de sal contém 400 mg de sódio, sem contar que o excesso desse mineral pode levar a outros desequilíbrios orgânicos como por exemplo, à tireoidite, aumento da pressão arterial, retenção de líquidos.

Troque o sal por limão, alho, cebola, salsinha, coentro e especiarias.

Outra coisa importante é manter os níveis de cortisol normais, pois o mesmo mexe com o humor, aumenta o apetite e retém líquidos.
O desequilíbrio no nível de cortisol leva ao estresse e tem relação extrema com a obesidade.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: EvelynGiggles