Como se Adaptar ao Horário de Verão

Escrito por

Muitas pessoas celebram a chegada do horário de verão. Para elas, é como se essa esperada estação do ano também estivesse se iniciando, e a adaptação é imediata. Mas mesmo quem gosta dessa época pode passar por maus bocados para se acostumar à mudança de horário. Se você é um desses, saiba como controlar o mal-estar envolvido.

Sintomas de Problemas de Adaptação ao Horário de Verão

Sim: atrasar o relógio em apenas uma horinha já é capaz de impactar bastante na vida de muita gente. Alguns organismos sofrem enorme estresse com essa interferência no ciclo circadiano que o horário de verão provoca.

acertando relógioO horário de verão pode realmente bagunçar o relógio biológico das pessoas – principalmente de quem já sofre de insônia, distúrbio que afeta cerca de 40% dos brasileiros.

Algumas apresentam uma enorme dificuldade na hora de acordar mais cedo. Esse transtorno pode se prolongar pelo resto do dia, semelhante a um jet lag de quando se viaja ao exterior. Em geral elas se adaptam ao novo horário em alguns dias ou semanas.

Outras já encontram maiores dificuldades. Não só o momento de despertar é uma tortura como a sensação de jet lag dura muito mais tempo, levando o organismo à exaustão.

É assim que os problemas começam a ficar mais sérios. Alterações no apetite, no padrão de sono e no crescimento (no caso de crianças e adolescentes) se tornam parte do período.

Consequentemente, o rendimento escolar e profissional declinam e, por conta da dificuldade de concentração, acidentes de trânsito são mais prováveis. Com o organismo confuso, ocorrem a ansiedade descontrolada, irritabilidade e uma sonolência que pode atrapalhar no próprio adormecimento.

O sistema imunológico pode ficar afetado. Doenças e infecções podem surgir.

Como Acostumar o Organismo ao Horário de Verão

relogio praiaA regra geral é ter um pouco de paciência e cuidar-se da forma correta.

Em primeiro lugar, aos poucos tente readaptar seu organismo ao horário de dormir. Passe a ir para a cama na hora que ia antes – mas desta vez sabendo que na verdade é uma hora mais cedo. Talvez você não tenha sono na hora, mas vá tentando.

É possível que o seu próprio cansaço acabe levando-o naturalmente para a cama mais cedo. Aproveite e acompanhe essa demanda do seu corpo.

Na verdade, tente manter o mesmo horário, e não o antigo, para comer, trabalhar, tomar banho e todas as atividades. Esforce-se para não se atrasar (ou se adiantar) para nada disso.

Se você pratica exercícios físicos, tente não interrompê-los. Eles ajudam muito na regulagem do sono. Se for o caso, apenas pegue um pouco mais leve na primeira semana.

Pratique-os, de preferência, antes das 18 horas. Assim dá tempo do seu organismo se livrar da agitação.

Evite mais de uma dose de café. Depois das quatro da tarde, então, é proibitivo. O ideal é manter uma alimentação mais leve e bem balanceada, para não sobrecarregar o organismo. Ele já está sob forte estresse por conta da alteração de biorritmo que precisa alcançar.

Feche as cortinas da casa na hora do jantar. Simular a noite ajuda a enganar o organismo e levá-lo a reconhecer que o ritmo agora é o de ir para cama em breve.

Na primeira semana, corte a tevê, o computador e o celular à noite. Ao invés disso leia, ouça uma música suave ou bata papo com a sua família.