VIDRO: Tipos de vidros e dicas de instalação!

Escrito por


Quando falamos de vidros para janelas ou portas, parece que são todos iguais. Mas não são!

 É preciso saber qual o uso que vamos dar a este vidro para escolher o material correto. Mais forte, que não estilhaça, etc.

Vamos ver os que encontramos mais facilmente no mercado!

Vidro Comum: sua espessura pode variar de 3 mm a 6 mm, pois quando maior for o vão, mais espesso será o vidro.
Atualmente ele vem sendo substituído gradualmente em muitas aplicações pelos vidros de segurança, de custo mais elevado.

O vidro de segurança conserva qualidades do vidro comum (transparência, durabilidade, boa resistência química, etc), porém é menos sujeito a quebras.

Vidro Temperado: os vidros temperados, apresentam resistência mecânica cinco vezes maior que o vidro comum de mesma espessura, e quando quebrados apresentam fragmentos pequenos, não pontiagudos e sem arestas cortantes.

Vidro Laminado: é um vidro de segurança formado por duas ou mais lâminas de vidro colado por uma resina ou película (polivinil butiral), mesmo que se rompa garante a inviolabilidade do vão.
Permite um controle acústico e proteção contra os raios UV.

Vidro Duplo ou insulado: composto por dois vidros que têm, entre eles uma câmara de ar ou gases com argônio e xenônio ou vácuo.
Nesse espaço existe alumínio preenchido com uma sílica dessecante, que retém a umidade, o que evita o embasamento.

O isolamento térmico se dá, pois a câmara de ar, serve como isolante para a passagem de calor do vidro externo para o interior do ambiente.

 

Cuidados no recebimento dos vidros

a) sempre verificar se a espessura do vidro confere com a que foi solicitada ;

b) verificar se as dimensões (largura e altura) estão dentro dos limites do que foi pedido;

c) não deixar inspecionar visualmente para detectar a presença de defeitos do tipo: bolhas de ar incorporados, riscos devido a manuseio inadequado, trincas, manchas, incrustações de outros materiais, distorções na visualização de imagens, ondulações, irização (defeito que provoca a decomposição da luz nas cores fundamentais) e outros defeitos percebíveis a olho nu, dependendo do tipo de vidro;

 

Recomendações para uma boa colocação de vidros

Acabamento prévio:  É conveniente que a esquadria receba acabamento parcial ou final antes da colocação dos vidros.

1. Retirar os pregos que fixam os baguetes móveis.
Para maior facilidade, os pregos deverão estar somente apontados.

2. Retirar os baguetes móveis referentes a um vidro de cada vez.
Não misturar baguetes.

3. Colocar silicone nos baguetes fixos, formando uma linha contínua.

4. Colocar o vidro e apertar levemente contra os baguetes fixos.
Não esquecer de usar calços inferiores e laterais para manter a folga entre o caixilho e o vidro.

5. Colocar silicone nas bordas do vidro e aplicar os baguetes móveis com leve pressão, pregando-os em seguida.
Os pregos deverão respeitar intervalos não maiores que 25 cm.
Cuidados especiais devem ser tomados para não bater com o martelo na madeira.

6. Após, use um repuxo para enterrar os pregos 1 mm para dentro dos baguetes.

7. Os furos dos pregos nos baguetes deverão ser preenchidos com cera de abelha quando a esquadria for envernizada, e com massa de ponsar, quando a esquadria for pintada.

8. O excesso de silicone deve ser removido após adquirir consistência.

Cuidados especiais deverão ser tomados quando se tratarem de caixilhos subdivididos por cordões de madeira ou de baguetes curvos.

 

 

fontes: esquadriasprimos  /    www.scheid.com.br