Como saber se um reator de lampada fluorescente queimou?

Escrito por

Reator de lampada fluorescente

Teste de funcionamento em lampadas fluorescentes e reator:

Vamos ao reator propriamente dito, e teste geral na calha fluorescente:

Não esquecer que a lâmpada fluorescente tem dois filamentos, um de cada lado.

Podemos testa-los medindo a continuidade dos mesmos com o Multímetro na escala ohmica (Ω) para resistências, e com a lâmpada fora dos soquetes, e sem energia ligada.

Na figura abaixo, o diagrama da calha para lâmpada fluorescente e as posições das pontas de provas do multímetro.

reator de lampada fluorescente  teste

Com a calha na bancada ou mesa, deve-se alimenta-la com a tensão local de sua casa, que deve ser de 110, 127 ou 220 volts.

Atenção: Usar o multímetro a partir de agora na escala de tensão em volts (ACV).

Efetuar os mesmos testes exemplificados para lâmpada incandescente, mas com as seguintes precisões:

São quatro pontos de teste com o Multímetro na escala de tensão em volts (VCA-voltagem).

– Tensão da entrada de alimentação:

Medir a tensão na entrada de alimentação para a calha fluorescente, que deve ser de 110, 127 ou 220 volts de acordo com a tensão local.

– Tensão na entrada do reator de lampada fluorescente:

Verificar a tensão na entrada do reator.
Se houver tensão normal, significa que está com a continuidade boa, ou seja, não estão interrompidos os fios da bobina interna do reator (enrolamento).

Se não houver tensão neste ponto, o reator estará na condição “aberto”e a lâmpada não acenderá.

– Medição da tensão no interruptor:

Medir a tensão no interruptor (nos 2 fios conectados a ele: a fase e o retorno).

Com o interruptor na posição desligado, deverá ter tensão normal de 110, 127 ou 220 volts, mas a lâmpada não estará acesa.

Quando ligarmos o interruptor (posição ligado) a tensão será ZERO, mas a lâmpada acenderá.

Se for verificada uma medida de tensão diferente, por exemplo, zero, e a lâmpada não acender, deve ser procurado um defeito na fiação (fio partido ou mal conectado) ou, no soquete ou receptáculo onde a lâmpada se encaixa.

– Medição da corrente no starter:

Finalmente devemos medir a tensão nos lados do starter.

Ao ligarmos o interruptor, já com as pontas de prova do multímetro conectados aos lados do starter, aparecerá uma tensão até a lâmpada acender, e nesse momento a tensão deve cair a um valor baixo.

Se não houver tensão nos lados do starter antes da lâmpada acender, podemos julgar que um dos filamentos da lâmpada estará aberto (partido).

OBS: teste já feito com a lâmpada fora do soquete e verificada a continuidade dos mesmos com a energia desligada.

Mas se houver tensão, e a lâmpada não der nenhum sinal ou piscar, pode ser o starter com defeito. É só substitui-lo.