PROJETO DE CONSTRUÇÃO : detalhe, incidência de luz natural!

Escrito por


A luz natural que incide no ambiente construído é composta basicamente pela luz direta do sol e luz difundida na atmosfera (abóbada celeste).

O primeiro passo no desenvolvimento do projeto de sistemas de iluminação natural consiste no conhecimento da disponibilidade de luz proporcionada por estas fontes.

A disponibilidade de luz natural é a quantidade de luz em um determinado local, em função de suas características geográficas e climáticas, que se pode dispor por um certo período de tempo.

Dados e técnicas para a estimativa das condições de disponibilidade de luz natural são importantes para a avaliação do desempenho final de um projeto em termos de conforto visual e consumo de energia. Isto refere-se à maneira como varia a quantidade de luz durante o dia e épocas do ano, quanto dura essa iluminação ao longo do dia e os motivos pelos quais as localidades dispõe de mais ou menos luz face aos parâmetros que influem no cálculo da disponibilidade da luz natural , tais como:

a) os dados relativos à posição do sol;

b) as épocas da determinação, como o dia e o mês do ano;

c) latitude e longitude geográficas;

d) e tipo do céu.

Luz natural admitida no interior das edificações

A luz natural admitida no interior das edificações consiste em luz proveniente diretamente do sol; luz difundida na atmosfera (abóbada celeste) e luz refletida no entorno.

A magnitude e distribuição da luz no ambiente interno depende de um conjunto de variáveis, tais como: da disponibilidade da luz natural (quantidade e distribuição variáveis com relação às condições atmosféricas locais), de obstruções externas, do tamanho, orientação, posição e detalhes de projeto das aberturas, das características óticas dos envidraçados, do tamanho e geometria do ambiente e das refletividades das superfícies internas.

Um bom projeto de iluminação natural tira proveito e controla a luz disponível, maximizando suas vantagens e reduzindo suas desvantagens. As decisões mais críticas, a este respeito, são tomadas nas etapas iniciais de projeto.

Na definição de uma prioridade em termos de exposição à luz natural, valores de iluminâncias e distribuição necessárias para as atividades em cada ambiente devem ser estabelecidas.

Em alguns ambientes a iluminação uniforme é mais recomendada, em outros é desejável uma maior variação.

Em ambientes nos quais os usuários ocupam posições fixas, o critério deve ser diferente daqueles onde as pessoas podem mover-se livremente na direção das aberturas ou para longe delas.

– Incidencia de luz natural

Consideração dos vários caminhos através dos quais a luz natural pode alcançar um ponto no interior de uma edificação.

Distinguem-se três caminhos básicos resultantes da divisão do fluxo luminoso admitido em três componentes:

a) CC – Componente do Céu; luz que alcança um ponto do ambiente interno proveniente diretamente do céu;

b) CRE – Componente Refletida Externa: luz que alcança um ponto do ambiente interno após ter refletido em uma superfície externa; e

c) CRI – Componente Refletida Interna: luz que alcança um ponto do ambiente interno somente após ter sofrido uma ou mais reflexões nas superfícies internas.

fontes  :labeee   /   abnt