O Que É o Relé Eletrônico

Escrito por

O relé é uma espécie de roteador eletromecânico. Ele permite a adequada distribuição dos sinais eletrônicos de um sistema, de modo que execute sua função. O relé feito de um sistema eletrônico é chamado de relé eletrônico e é muito relevante na hora de instalar a parte elétrica de um imóvel. Saiba mais a seguir.

Uma das principais características de um relé eletrônico é que ele é misto: eletromecânico e eletrônico. Ele pode ser ativado com correntes elétricas relativamente fracas.

Isso permite que ele controle circuitos com correntes elétricas altas (lâmpadas, motores, máquinas industriais) a partir de dispositivos eletrônicos como circuitos integrados, transistores e fotoresistores de correntes baixas.

No nosso dia a dia, os relés estão presentes no mecanismo de abertura e fechamento de portas automáticas, de elevadores, em sistemas de tratamento de água, na iluminação de nossas casas, na fabricação de carros e no transporte público.

Continue com a gente e entenda melhor.

Estrutura e Funcionamento do Relé Eletrônico

relé bobina

Bobina no relé

Um relé eletrônico é constituído de uma bobina, um circuito magnético e por contatos.

A bobina é a geradora do campo magnético necessário para acionar o circuito magnético. Basicamente, ela é um rolinho de fio de cobre esmaltado.
Ela possui limites de temperatura que variam de 110 a 150 graus, e sua potência fica entre 0,5 W e 2 W, chegando a 6 W nos modelos de relés de potência. 

Já o circuito magnético do relé eletrônico é mais complexo: é acionado por circuitos eletrônicos, que são ativados pelas correntes elétricas já citadas. Então, energiza as bobinas.

Ele possui uma armadura fixa – tipo um suporte do relé – e uma móvel, cujo campo magnético do núcleo promove os movimentos de dois contatos. Essas peças são de ferro doce ou ligas especiais que evitam uma magnetização permanente.

Os contatos são ativados pelo circuito magnético gerado pela bobina. Eles são os elementos que efetuam a abertura ou fechamento do circuito.
Em outras palavras, Os contatos se atraem e abrem ou fecham circuitos. Quando a corrente da bobina é interrompida, os contatos voltam para os seus respectivos lugares.

No que se refere aos materiais, a prata é o mais usado na fabricação de relés. Os de ouro são indicados para atuar junto a correntes de baixa intensidade e os de platina resistem a agentes atmosféricos e centelhas.

Finalmente, relés de tungstênio devem ser empregados em correntes de cargas indutivas e tensões elevadas.

Tipos de Relés Eletrônicos

relé térmico

Relés térmicos

Relés de estado sólido são dispositivos inteiramente eletrônicos que realizam funções de isolamento e comutação. Ele se vale das propriedades elétricas, eletrônicas e óticas de itens semicondutores e componentes elétricos.
Esses relés são amplamente utilizados em ambientes domésticos para ligar e desligar lâmpadas de diversos tipos.

Também conhecidos como relés de sobrecarga, os relés térmicos protegem motores elétricos contra sobrecargas de energia, evitando o superaquecimento.

Já os relés de proteção criam campos eletromagnéticos a partir de correntes elétricas e estimulam mudanças de estados dos contatos para ligar ou desligar dispositivos. Medem grandezas de tensão, isolamento, temperatura, sequência de fase, entre outros.

Relés do tipo batente devem ser empregados quando uma baixa quantidade de energia na bobina são capazes de ligar e desligar circuitos com altas tensões e correntes.

Os relés podem ser, ainda, classificados como abertos, fechados ou selados.

Em equipamentos fechados, cujo interior não está sujeito a fatores como umidade ou sujeira, podem ser utilizados os relés abertos. No entanto, a maior parte das aplicações comuns empregam relés fechados, em geral dentro de caixas plásticas.

Relés selados são utilizados em sistemas que se utilizam de combustíveis, com perigo de explosão envolvido.