Isolamento Acústico para o Teto: Vale a Pena?

Escrito por

Você finalmente mora no apartamento dos seus sonhos – mas existe um grande problema: o vizinho do andar de cima é bastante barulhento. Saiba quando a instalação de um isolamento acústico no teto do seu imóvel é indicado.

Os ruídos gerados pelos moradores do andar imediatamente acima do seu podem atrapalhar bastante a sua paz dentro de casa.

Esses ruídos podem ser aéreos, tais como música alta, vozes, choros de bebês, instrumentos musicais sendo praticados; ou por conta de ruídos estruturais, que chegam em forma de vibrações de eletrodomésticos, passos ou móveis sendo constantemente arrastados.
Dependendo do caso, a instalação de um isolamento acústico no teto pode ser uma boa saída ou um mal investimento.

Descubra a seguir se essa solução poderá realmente resolver o seu problema.

Riscos do Investimento em Isolamento Acústico no Teto

Fabiana Regianini, proprietária da Accustica, empresa especializada em isolamento acústico há 20 anos, revela que, no caso do teto, a questão é mais complexa.
Afinal, a condução do ruído não se dá somente pela laje. Ele também é transmitido por colunas, paredes e demais estruturas sólidas.​

pés piso

Pisadas do vizinho de cima podem incomodar bastante

“Por isso, a resposta inicial seria que este tipo de teto não é indicado para nenhum caso. Nenhum profissional poderá afirmar a eficácia deste tipo de forro sem ter feito um projeto ou um estudo. O ideal é que este isolamento acústico seja previsto no projeto arquitetônico para que possa ser executado com eficácia durante na construção”, diz Fabiana.

Ainda segundo ela, é até possível que, por vezes, a execução do forro de isolamento acústico acabe sendo satisfatória, mas não há garantias. Este é um risco que o contratante deverá assumir.

A Importância da Análise Especializada do Caso para Revestimento Acústico no Teto

A certeza de um resultado, satisfatório ou não, dependeria de um projeto e simulações estruturais complexas. Que normalmente custam mais do que a própria execução do forro.

Ruídos estruturais, em alguns casos, podem gerar a falsa sensação de que venha de um ponto. Ás vezes eles são provenientes de outro.

Um exemplo que Fabiana cita é a de um cliente que a procurou se queixando de transmissão de ruído pelo vizinho de cima. Por meio da análise técnica, ficou constatado que o ruído era gerado pelo ventilador de teto do vizinho de baixo.

Quando este acionava o equipamento, entrava em ressonância com a estrutura do andar do cliente. O que causava a falsa impressão de que o ruído era transmitido pela laje superior.

“Por isto, a solução técnica é que a execução seja sempre no piso onde o barulho se origina. Então sim, este é o ponto onde deverá ser amortecido e, consequentemente, não ser transmitido pela estrutura. Está é a única solução garantida.”

Placas Acústicas no Teto: A Melhor Opção

placas de gesso acartonado

Placas de gesso acartonado

Na verdade, o melhor a fazer é já prever o isolamento acústico na construção da casa ou do edifício. Aqui, os riscos de instalar e não funcionar caem por terra.

Em todo caso, a melhor solução é o forro de gesso duplo com lã de rocha de 32kg/m3, com 2 polegadas de lã de 64kg/m3 e 2 polegadas. O forro não poderá ter contato mecânico com a laje superior e deverá ser executado como uma parede invertida.

O gesso, por sinal, deverá ser acartonado. Se o imóvel já possuir gesso no teto, ele não poderá ser aproveitado. Deverá ser retirado e refeito do modo explicado anteriormente.

Outra saída é isolar não apenas o teto mas também as paredes ao redor dele. Isso é especialmente verdadeiro quando os ruídos são estruturais, quando são transmitidos pelas paredes.

Se for possível, instale ou peça para o vizinho de cima instalar no chão materiais que minimizam barulhos estruturais. Pisos de borracha, vinílicos, de cortiça, aéreos ou mesmo carpetes podem ajudar bastante.

A madeira não é recomendada: muitas vezes ela ajuda a transmitir os sons de impacto que sofre, funcionando, na verdade, como uma caixa acústica que aumenta o barulho.