Fuga de corrente – como fazer a avaliação das instalações!

Escrito por

Sua instalação elétrica está em ordem?

Eis algumas informações que muito vão ajudar a evitar esses e outros problemas em sua rede elétrica:

1- Se sua casa ou apartamento já tem muitos anos de construída, e jamais foi feita uma revisão nas instalações elétricas, essa é a hora de executa-la.
Mas lembre-se deve ser feita por um profissional eletricista habilitado para tal e que seja de sua confiança.

2- Fiação com a presença de aquecimento mostra a necessidade de uma verificação mais apurada, pois demonstra uma sobrecarga de energia

Deve ser feita uma avaliação dos equipamentos que estão ligados a essa rede elétrica, sendo às vezes essencial a substituição dos fios e cabos, como também das tomadas e interruptores, além dos receptáculos das lâmpadas em todo esse sistema elétrico.

A ligação do fio terra deve ser feita em todas as tomadas, principalmente para a proteção das pessoas em caso de toque acidental em algum lugar desprovido de bom isolamento elétrico.

Para isso as tomadas antigas devem ser trocadas pelas novas tomadas padronizadas pela ABNT, que tem três polos de ligação para os fios: fase, neutro e terra.

Além disso, deve ser instalado o DISJUNTOR DR (proteção contra fuga de corrente), no quadro de distribuição (após o disjuntor termomagnético geral).
Este desarma imediatamente quando uma pessoa leva um choque acidental.

Fuga de corrente

Disjuntor Diferencial DR

3- Os quadros de força ou de distribuição não podem ser de madeira ou outro qualquer material combustível, para evitar risco de incêndio em caso de curto circuito em seu interior.

4- Fusível tipo rolha ou cartucho devem ser substituídos por Disjuntores termomagnéticos para proteção contra curtos circuitos na fiação ou equipamentos elétricos.

5- As instalações elétricas possuem uma limitação de uso, seja pelo tempo de utilização (desgaste natural) ou pela simples mudança de hábito das pessoas, que estão sempre trocando seus equipamentos por outros melhores e de mais capacidade ou potência, não avaliando se a rede elétrica suporta esse aumento de carga

6- Evite fazer uma instalação elétrica provisória ou mal feita, tipo Gambiarra (veja fotos acima), pois você assim estará provavelmente ocasionando uma sobrecarga na rede elétrica, o que possivelmente mais tarde, irá provocar um CURTO CIRCUITO.

7- Uma revisão dessa natureza deve ser feita a cada cinco anos para a fiação, sendo que as tomadas, interruptores e receptáculos das lâmpadas devem ser substituídos sempre que for constatado folga em seus contatos ou centelhamento visível.

Fuga de energia e os disjuntores termomagnéticos

Fuga de corrente - disjuntor tri

Fuga de corrente – disjuntor tri

Fuga de corrente - disjuntor bipolar

Fuga de corrente – disjuntor bipolar

O que também merece uma atenção mais especial são os Disjuntores termomagnéticos, pois seu desarme ou desligamento sem haver curto circuito aparente é um sinal de que algo está errado na instalação elétrica.

Isto deve ser verificado imediatamente por alguém que entenda do assunto, sendo é claro de preferência um bom eletricista.

Em alguns casos, uma pessoa LEIGA e normalmente curiosa, pode efetuar uma troca do disjuntor por outro de maior capacidade em ampères, tentando resolver o problema do desarme inesperado, e assim piorando a situação.

O disjuntor é um elemento essencial na proteção do sistema elétrico, e simplesmente substituindo-o, não vai resolver a causa do problema.

Portanto deve-se primeiro avaliar e descobrir a causa do desarme do disjuntor para se chegar a uma conclusão definitiva e providenciar o conserto, seja na fiação ou em qualquer equipamento elétrico.

Avaliação das instalações elétricas

Levar choque ao tocar no registro da água para ligar o chuveiro, a luz caindo com oscilação, muitos equipamentos e poucas tomadas, são fatos comuns na grande maioria das residências e indicam um grande problema: Instalações desatualizadas ou mal dimensionadas.

Isso causa resultados negativos para você e seu patrimônio, por falta de segurança na rede elétrica, provocando riscos de acidentes graves, e é claro desperdício de energia pela geração de FUGA DE CORRENTE.

Para evitar tudo isso, basta simplesmente realizar vistorias periódicas em suas instalações elétricas, e sempre que possível fazer as reformas que forem necessárias.