Fornecimento de energia, Monofásica, Bifásica ou Trifásica?

Escrito por

 

 

Tipo de fornecimento e tipos de redes elétricas…

 

 

- Fornecimento elétrico Monofásico

 

 

A rede monofásica a dois fio (uma fase e um neutro), somente é instalada quando a carga residencial somada chega até 8000 watts (8Kwa).

 

- Fornecimento elétrico Bifásico

 

já a rede bifásica somente é instalada em Áreas rurais e é a três fios, composta de duas fase e um neutro.

A Empresa não justifica esta modalidade de instalação mais para área rural.

Mas se fizermos uma análise superficial simples, iremos deduzir que o custo não justifica sua instalação na área urbana.
Pois nesta área o poder aquisitivo de seus moradores é sempre maior que na área de periferia.

Moradores de área urbana tendem a ter maior quantidade de equipamentos elétricos, e que se for instalada a rede bifásica, logo adiante será necessária uma ampliação de rede, pois a tendência destes residentes é adquirir novos equipamentos, maiores, melhores e mais potentes, ocasionando um aumento de carga.

Assim quando o morador tem rede monofásica instalada e pede aumento de carga, é melhor a imediata instalação da rede trifásica, poupando tempo, material e horas de trabalho.

É isso que a distribuidora deve avaliar, ou levar em
consideração, quando lhe é solicitado uma troca de rede elétrica (“Aumento de carga”, como é conhecido por aqui).

 

 - Fornecimento elétrico trifásico

No Município do Rio de Janeiro, a Empresa Distribuidora de Energia, especifica que quando a carga interna da residência (soma total de todos os valores em Watts dos equipamentos elétricos e tomadas simples de valor 100 watts cada) ultrapassa 8KWA ( 8000 watts), é comum a instalação de medidor trifásico, consequentemente a rede de entrada será a quatro fios, sendo três fases e um neutro.

 Vantagens e funcionamento da rede trifásica:
 
A rede trifásica é composta de quatro fios, como dito anteriormente.
São três fases e um neutro ( no Rio de Janeiro normalmente são três fase com tensão de 127 volts em cada uma), proporcionando assim uma melhor distribuição de carga por fase, o que significa o dimensionamento ou o balanceamento da carga residencial.

Isso se aplica para evitar quedas inoportunas e momentâneas de energia, como quando se liga o chuveiro elétrico e as lâmpadas incandescentes tem uma súbita diminuição de luminosidade.
Se as mesmas não estiverem ligadas na mesma fase do chuveiro, essa queda não aparecerá.

Isso também é válido para quem tem computador em casa e não usa um regulador de voltagem na entrada de energia do mesmo.
Normalmente costuma dar uma diminuída na imagem do monitor e voltar ao tamanho normal quando o chuveiro é ligado.
Se o computador estiver conectado em outra fase que não seja a do chuveiro, isso com certeza não será visualizado na tela do computador.

Vale lembrar que com a rede trifásica instalada, uma das fases deverá ser destinada ao chuveiro elétrico ou outro equipamento de grande potência, tais como: Micro-ondas, freezer, etc.

O disjuntor termomagnético tripolar na rede trifásica

A proteção para esta modalidade de rede se faz normalmente com um disjuntor termomagnético tripolar, aquele que tem três pontos de ligação em cada lado, mas só uma alavanca de comando no centro, que liga e desliga as três fases ao mesmo tempo.

Daí pode-se dimensionar a rede em três circuitos separados e distintos.
Podendo ainda cada circuito ser subdividido em vários setores, tendo cada setor seu disjuntor de proteção individual.

Esses setores podem se designados para identificar cada cômodo, como por exemplo: setor 01- sala, setor 02- quarto casal, setor 03- quarto infantil e assim consecutivamente.
Vemos que assim podemos separar a rede por cômodos ou áreas distintas.

Caso haja algum tipo de problema de falta de luz em um cômodo ou uma área por motivo de curto circuito ou algum fio partido, os demais setores continuarão com energia elétrica.