CURA do CONCRETO que é, como deve ser feita?

Escrito por

A  cura do concreto, é o conjunto de medidas que devem ser tomadas para evitar a evaporação da água de amassamento utilizada no concreto aplicado.

Esta água é essencial para a hidratação do cimento.

Por que temos de fazer a cura?

A cura adequada é fundamental para o concreto alcançar um melhor desempenho.

A cura inadequada causará redução da resistência e da durabilidade do concreto, provocando fissura e deixando a camada superficial fraca, porosa e permeável, vulnerável à entrada de substâncias agressivas provenientes do meio-ambiente.

 Quais os tipos de cura?

A cura pode ser feita dos seguintes modos:
a) Manter as peças imersas em água
b) Molhar continuamente as peças com dispositivos apropriados
c) Cobrir as peças com sacos de aniagem mantidos sempre úmidos
d) Manter as peças nas fôrmas
e) Aplicar membrana ou pintura de proteção .

Qual o tempo de cura?

O tempo de duração da cura depende das condições ambientais locais (temperatura, umidade, ventos, etc.), da composição do concreto e da agressividade do meio-ambiente durante o uso (esgoto, contato com água do mar, etc.).

A tabela apresenta o tempo mínimo de cura recomendado em função do tipo de cimento usado e da relação água/cimento (a/c) empregados.

Tipo de Cimento Relação água/cimento 0,35 0,55 0,65 0,70

CP I e CP II 2 dias 3 dias 7 dias 10 dias

CP IV 2 dias 3 dias 7 dias 10 dias

CP III 2 dias 5 dias 7 dias 10 dias

CP V-ARI 2 dias 3 dias 5 dias 5 dias

A cura do concreto como deve ser feita?

O concreto fresco exposto ao sol e ao vento perde muito rapidamente por evaporação a água da mistura, antes que tenha endurecido.
Como essa água é indispensável, resultará em um concreto fraco.

Por isto se fazem necessárias medidas que visem impedir aquela evaporação, ou seja, proceder a cura do concreto.

O fator mais importante na cura do concreto é promover uma ação que garanta água suficiente para que todo o processo de reação química do cimento se complete.

Se o concreto não for curado, ficará sujeito à fissuras em sua superfície.

Um concreto não curado, ou mal curado, pode ter resistência até 30% mais baixa, além de ser muito vulnerável aos agentes agressivos, devido a grande quantidade de fissuras que se formam, às vezes imperceptíveis a olho nu.

A cura pode ser feita por um dos seguintes processos:

a) molhagem freqüente do concreto evitando que a superfície chegue a secar;

b) aplicação de folhas de papel (como por exemplo, sacos de cimento vazios), de tecidos (aniagem, algodão) ou camadas de terra ou areia (com espessura de 3 a 5 cm) mantidos úmidos durante o período de cura;

c) aplicação de lonas ou lençóis plásticos impermeáveis, de preferência de cor clara (para evitar o aquecimento excessivo do concreto).
A prática mais comum é molhar o concreto por aspersão de água, e/ou usar panos ou papel para reter a umidade junto ao concreto o máximo possível.

A duração da cura deve ser de pelo menos 7 dias, no caso de cimento Portland comum (pois nesse período o cimento irá desenvolver aproximadamente 60% da sua resistência final) e de 14 dias, no caso de cimento Portland de alto-forno e pozolânico.

No entanto, quanto mais tempo durar a cura (até 3 semanas), melhor será para o concreto.

Existe a chamada cura química que consiste em aspergir um produto que forma um película na superfície do concreto e que impede que haja evaporação da água do concreto.

A cura mais eficiente é a cura a vapor que ao mesmo tempo que garante a umidade necessária ao concreto, acelera a velocidade de ganho de resistência pelo aquecimento.