Como fazer o contrapiso! Mais sobre assentamento do piso!

Escrito por

A execução do contrapiso

A qualidade da construção é outro fator importante. Quando construir um contrapiso térreo, para obter um ótimo resultado, siga estas orientações:

Drenagem para eliminar a pressão hidrostática sob a edificação e áreas adjacentes;

Colocação de uma camada de pedra britada com 15 a 20 cm de espessura entre o solo e o contrapiso;

Camada de concreto de espessura mínima de 8 cm e com, pelo menos, 400 kg de cimento por m3, adequadamente dosado com baixa relação água/cimento; precisa ser vibrado e curado;

Impermeabilização do contrapiso, se necessário;

A superfície deve ser plana, rugosa, sem fissuras e livre de fatores que reduzam a aderência tais como umidade excessiva, óleos, graxas e outros.

Construção do lastro de concreto

Alguns cuidados devem ser tomados no assentamento de pisos cerâmicos em pavimentos térreos.

Nestes locais, o revestimento poderá estar sujeito a problemas decorrentes de umidade e outros que podem ser provocados pela má preparação do subsolo. Para evitar que tais problemas ocorram deve-se construir um lastro de concreto sobre o terrapleno.

Os procedimentos a serem seguidos para a construção de lastro de concreto sobre aterro são:

• Misturar a camada superficial de solo (30 a 40 cm) com areia e compactá-la manual ou mecanicamente. Assim, obtém-se uma camada drenante, que não permite a ascensão de água do solo por capilaridade.

• Colocar uma camada de pedra britada sobre o terrapleno compactado, com espessura mínima de 10 cm.
No caso de terrenos muito úmidos, essa camada deve ter espessura de 30cm, constituindo-se em um leito drenante.

• Posicionar, sobre a camada de brita, a armadura em forma de malha, dimensionada em função da sobrecarga prevista para o local, as ripas de madeira (que garantem o posicionamento das juntas estruturais) e, finalmente, lançar o concreto.
O adensamento do concreto deve ser feito com auxílio de vibrador de imersão ou régua vibratória, observando-se as recomendações quanto ao uso desses equipamentos e o tempo de vibração.

• Garantir que a espessura do lastro de concreto não seja inferior a 70 mm.
Da mesma forma que o dimensionamento da armadura, a espessura do lastro depende da sobrecarga prevista, do tipo de solo e do tipo de terrapleno.

 • Recomenda-se executar o lastro de concreto armado com 10 a 12 cm de espessura, prevendo a existência de juntas estruturais a cada 10 metros (no máximo) e juntas de dessolidarização em todo o perímetro do piso, nos encontros com muretas, fachadas, etc.

• O acabamento superficial do lastro deve ser feito com sarrafeamento e leve desempeno com desempenadeira de madeira

• As juntas estruturais e de dessolidarização devem ter largura de 10 mm a 12 mm, devem ser preenchidas com material compressível (isopor, mangueira de borracha). As juntas devem ser respeitadas em posição e largura, em toda a espessura do revestimento, devendo ser vedadas com selante flexível.

Mantas ou membranas impermeabilizantes

• No caso de terrenos úmidos, deve-se utilizar mantas ou membranas impermeabilizantes sobre o lastro de concreto.
No caso de solos muito úmidos ou com possibilidade de contaminação por sulfatos, a impermeabilização deve se constituir em manta ou membrana asfáltica, aplicada sobre a superfície do solo anteriormente à construção do lastro.

• No caso de locais com lençol freático pouco profundo ou aflorante, prever a construção de drenos.
Não é preciso executar a camada de separação quando:

• a impermeabilização for executada com membranas asfálticas ou membranas de polímeros sobre a base, não é necessário executar a camada de separação, pois aquelas membranas também exercem essa função.

Nesse caso, deve-se aguardar no mínimo 7 (sete) dias entre a conclusão da camada de regularização e a aplicação da impermeabilização.

fonte:www.ccb.org.br