Morcegos

Escrito por

Alguns mitos sobre os morcegos…

 

Morcegos são cegos”: os morcegos não são cegos, alguns deles inclusive têm ótima visão.

“Morcegos fazem ninhos nos cabelos das pessoas”: morcegos não fazem ninhos como os pássaros; morcegos empoleiram-se.

“Morcegos atacam as pessoas”: morcegos não atacam as pessoas, eles são animais pequenos e tímidos.

Lembre-se, somos muito grandes para um morcego e eles têm medo de nós.

“Todos os morcegos têm raiva”: este talvez seja o mito mais comum. Todos os morcegos não têm raiva; como qualquer outro mamífero, os morcegos podem contrair raiva; entretanto, a presença de vírus nas populações de morcegos tem uma taxa muito pequena.

A melhor prevenção contra a raiva é não tocar em um animal selvagem doente ou machucado, pois ele provavelmente vai morder para se autodefender.

Um morcego caído no chão, assim como qualquer outro animal silvestre prostrado é sinal de que deve estar doente.

Como evitar morcegos

O método mais eficiente para evitar a permanência dos morcegos no telhado é a vedação dos acessos, preferencialmente utilizando tela de arame.
Não se esqueça de verificar telhas soltas ou quebradas.
Repelir os morcegos não é método fácil, portanto você deve evitar a sua entrada.

O uso da passarinheira no beiral do telhado impede a entrada de morcegos, assim como de pássaros ou grandes insetos.
O uso simultâneo de várias telhas Cristal é uma precaução a mais, uma vez que os morcegos fogem da luz solar.

Os morcegos são espécies brasileiras e protegidas por lei. Sua captura, perseguição ou destruição é proibida.
Seu controle só deve ser feito por pessoal treinado e quando realmente necessário.

É importante lembrar que estes morcegos se alimentam de insetos e a destruição deles ou a remoção aumentará a quantidade de insetos, podendo causar um desequilíbrio, que poderá lhe trazer problemas maiores.

Tão importante quanto o alimento é o seu refúgio. Importunando os morcegos você impedirá sua reprodução.

O que fazer se aparecer um morcego em sua casa

Os morcegos que às vezes aparecem em nossas casas são quase sempre filhotes extraviados ou, acidentalmente, morcegos adultos que entraram voando por uma janela ou porta aberta. Muitas vezes estão somente á procura de comida.

- Ingestão de frutas,
– Ingestão de água com açúcar,
– Pela proximidade de refúgio diurno e
– Para refúgio noturno.

Nem sempre o morcego é observado pelos moradores, no entanto, as marcas e fezes deixadas pelo animal, facilmente o identifica.
Para evitar este problema, a solução mais simples é o armazenamento destes frutos no interior da geladeira, evitando que o morcego os localizem pelo odor. É possível que o morcego continue visitando até que encontre outra fonte de alimento.

O primeiro passo é ficar calmo. Se o morcego estiver voando, ele deve estar procurando uma saída para escapar.

Os morcegos não hematófagos não atacam as pessoas.

Acenda algumas luzes pela casa, de modo que você possa ver o morcego facilmente e ele também possa enxergar (nenhum morcego é cego).

Em seguida, feche as portas que dão para outros cômodos, abra as portas e janelas do cômodo onde o morcego está e, se possível, acenda uma luz fora para que o morcego possa ver facilmente a saída.

O morcego tem uma excelente capacidade de se localizar através do som (como se usasse um radar), porém ele também está assustado por estar em uma casa humana. É muito provável que o morcego saia voando pela porta ou janela em poucos minutos.

Evite provocá-lo.
Se você não sabe distinguir um morcego hematófago dos demais, se de forma geral não tem conhecimento sobre morcegos, é melhor não tentar capturá-lo.
Se possível, isole o local onde o morcego se instalou.

Afaste pessoas e animais do ambiente.
Se o morcego não tocou em ninguém, como geralmente acontece com morcegos que não são “vampiros”, não há motivo de preocupação acerca de transmissão de doenças ou vírus.

Lembre-se:
– Deve-se evitar sempre o contato direto com qualquer tipo de morcego, vivo ou morto.
– Não se deve pegar um morcego sem usar luvas grossas apropriadas.
Caso seja necessário, solicite a assistência do Centro de Controle de Zoonoses, ou outro órgão equivalente, de sua região.