Estrutura e Funcionamento de uma Lareira

Original: http://www.fazfacil.com.br/manutencao/estrutura-lareira/ Escrito por

 

Durante o inverno, lareiras são as grandes vedetes de casas localizadas em lugares mais frios.

Entenda agora como elas funcionam.

Caixa/ Câmara de Fogo da Lareira

É a chamada boca (abertura da lareira para o ambiente), cujas dimensões serão determinadas pelo local onde será implantada.

O fundo desta câmara é constituído por uma parede inclinada em 45 graus. Sua finalidade é empurrar as ondas de calor rumo ao piso do ambiente e fazer com que a fumaça suba pela chaminé.

Dessa foram, o ar quente – que é mais leve e tende a subir – faz aumentar a temperatura do lugar.

É indispensável o uso de massa ou cimento refratário na hora do rejunte, devido à alta temperatura.

Coifa e Duto da Lareira

Está situada logo acima da caixa de fogo.

Seu formato semelhante a um funil de ponta-cabeça detém o ar frio que tende a vir pelo ambiente externo, ao mesmo tempo em que captura a fumaça que será expelida para fora.

Nessa etapa, é fundamental a existência da garganta, uma abertura, regulável cuja medida deve ser exatamente igual à área seccional do duto.

O duto do em metal é mais apropriado que o em alvenaria.

Por ser liso, o material não retém sujeira nem possui cantos vivos, o que facilita a saída da fumaça, enquanto a chaminé de alvenaria pode manter o excesso de fuligem – já que a determinada altura nem sempre dá para fazer um acabamento primoroso na parte interna.

A tubulação deve ter o mesmo diâmetro, desde a lareira até o telhado, e em direção sempre reta.

Se for necessário fazer um desvio, primeiro o duto precisa subir cerca de 1 metro; em seguida, fazer a curva de 45 graus. Ainda assim são autorizados apenas dois desvios de rota na tubulação.

Em uma casa térrea, a altura da chaminé deve ficar pelo menos 40 cm acima da cumeeira (ponto mais alto do telhado) ou ser mais alta quando houver interferência nas proximidades, como outras casas e árvores.

Tiragem ideal mesmo em dias com vento

A seção da chaminé que melhor permite a exaustão de fumaça é a circular. Devido à dificuldade de sua execução, poderá ser usada a forma quadrada.

É totalmente desaconselhável o uso de seção retangular ou outras formas geométricas.

Dimensão dos Dutos

O diâmetro de um duto varia com a altura.

Um duto com o diâmetro de 200 mm geralmente é o suficiente para recuperadores ou lareiras abertas.

Em recuperadores com pequena dimensão pode ser reduzida até 180mm; com menor diâmetro não há a garantia de um funcionamento sempre correto, mesmo em recuperadores fechados.

Em lareiras abertas ou fechadas de grande dimensão o diâmetro 230 mm, 250mm ou superior é aconselhado

Uma das causas de mau funcionamento de muitas lareiras é o sub dimensionamento ou sobredimensionamento dos dutos de fumaça.

Entrada de ar exterior para recuperação e combustão

Como Usar o Registro da Lareira

Qualquer lareira (fogo aberto ou fogo fechado) deve ter, sempre que possível, um controle de tiragem da fumaça chamado registro. Ele tem três funções:

  • Reduzir o consumo de lenha: A tiragem numa lareira nunca é constante devido a razões diversas, sobretudo climáticas (vento;
    temperatura humidade etc.) Quanto maior for a tiragem maior é o consumo de lenha e menor o aquecimento. Ao contrário do que por vezes se pensa, o ideal não é ter uma grande tiragem mas sim ter a tiragem suficiente nas condições climáticas do momento – devendo para isso ter-se em conta a necessidade de um “registro” numa lareira. Deve-se fechar o registro um pouco ( 20 minutos após ter sido acesa ) tendo-se o cuidado de não fechar demasiado para não entrar fumaça na sala.

  • Aumentar o rendimento: Sempre que se pode deve-se reduzir a abertura da fuga da chaminé fechando o registro o mais possível, (tendo o cuidado de não fechar demasiado para não entrar fumaça). O objetivo é neste caso, reduzir a tiragem e como é evidente, quanto menos ar sair da sala através de chaminé, mais ar quente fica na sala.
  • Evitar o arrefecimento da divisão com a lareira apagada: Em épocas de temperaturas frias se tiver a lareira apagada deve ter o registo fechado para evitar perdas de ar da sala, perdas essas que serão maiores quando a casa tiver sendo aquecida por outro meio alternativo (ar/condicionado, aquecimento eléctrico etc.).

Tomada de Ar Exterior

Todas as lareiras (fogo aberto ou fogo fechado) devem ter tomada de ar exterior pelas seguintes razões:

  • Evitar o consumo de ar da sala: Como é sabido, um lareira acesa consome grandes quantidades de ar, aprox. 80 m3 por hora.
    Isto quer dizer que ao fim de um hora terá retirado todo o ar de uma sala normal 3 a 4 vezes, e com ele quase todo o calor por ela libertado. Deve ter-se em atenção que devido à depressão provocada ao retirar o ar do compartimento em questão, está-se simultaneamente aspirando ar “frio e úmido” do exterior através das frestas das portas e janelas.

  • Impedir a interrupção do bom funcionamento: Em casos de bom isolamento de portas e janelas, ao fim de um certo tempo de uso, a depressão aumenta, e como nestas situações não há frestas para entrar o ar necessário para se dar a compensação do ar saído (com a fumaça) acontece que a fumaça deixa de sair fazendo retorno. Quando não for possível fazer a entrada de ar exterior na lareira deve-se fazer uma entrada em qualquer parede exterior preferencialmente na que estiver mais próximo da lareira. (de modo que não faça corrente de ar entre o fogo e as pessoas a sua volta.

Esquema de funcionamento da recuperação com ar exterior

Tubo Condutor de Lareiras

Tubo em Aço Inoxidável

É o único tipo de material autorizado para condutos na maior parte dos países da Europa e o único que tem garantia de duração.

Tem a vantagem de poder ser aplicado com recuperação de calor, recuperando energia com o próprio tubo nos pisos adjacentes.

Deve-se ter atenção também com a união (junta) entre tubos pois temos detectado problemas nas junções devido a não terem sido instalado corretamente ou por não colocarem as uniões inoxidáveis indicadas.

Ao passar vigas ou placas não deve ser deixada qualquer obstrução que impeça a posterior limpeza dos mesmos.

Nota: A limpeza dos dutos deve ser feita periodicamente todos os anos em caso de uso intensivo, ou num prazo mais dilatado, em casos normais.

Passagem de Cabos Elétricos e Esgoto

Os cabos eléctricos ou de canalização de PVC que eventualmente tenham de passar junto a qualquer canalização de fumaça/ duto, mesmo num andar superior, devem ser embutidos no cimento e isolados com lã de vidro ou outro material isolante –  exceto no caso de serem usados cabos ou tubos especiais resistentes a altas temperaturas.