Alimentação Sustentável: Evite o Desperdício

Escrito por

Não basta consumir produtos orgânicos: para uma alimentação totalmente sustentável, é preciso aproveitar todo o alimento, sem deixar sobras. Aprenda com as nossas dicas.

O Que É a Alimentação Sustentável

A alimentação sustentável acontece quando aproveitamos todo, ou quase todo, o alimento a ser consumido.

Além da parte tradicionalmente comestível, é preciso utilizar, também, as partes em geral desprezadas. Sementes, cascas, talos e folhas precisam entrar no cardápio.

Vantagens da Alimentação Sustentável

lixo alimentosEm primeiro lugar, muitas das partes descartadas possuem um elevado valor nutricional. Portanto, é tão bom negócio para a saúde quanto uma dieta exclusivamente composta por itens orgânicos.

A casca da laranja, por exemplo, possui 47 vezes mais cálcio e sete vezes mais fibra do que sua polpa. É mais que recomendável que ela seja aproveitada.

Aliás, quanto mais integralmente você consumir um alimento, mais economia você faz. Afinal, ele renderá mais porções e novos pratos.

Os benefícios ecológicos, é claro, vem de mãos dadas com o social. Não apenas a quantidade de lixo diminui drasticamente quanto sobra mais alimentos para a população geral.

Vale lembrar que, até 2050, a demanda mundial por comida aumentará cerca de 60%. Evitar sobras está se tornando cada vez mais relevante.

Apesar de todas essas vantagens, existe um desafio: a noção de abundância ainda é muito forte em nossa cultura. Compra-se mais alimentos do que se precisa. O conceito de alimentação sustentável tenta, também, ajustar essa conta.

Dicas para Aproveitar os Alimentos ao Máximo

Aproveite a água em que cozinhou legumes como cenoura, batata e beterraba para fazer arroz, gelatinas e até mesmo purês. Essa água fica repleta de vitaminas solúveis.

Nada mais de descascar batatas e mandioquinha antes de fritá-las ou assá-las: simplesmente não é preciso. E acredite, elas ficam deliciosas.

Existe uma ótima concentração de ferro, vitamina C e fibras nos talos de brócolis, salsa, agrião, couve e beterraba. Com eles faça refogados, recheios e patês, além de colocar em sopas em no feijão.
Já as folhas da cenoura podem entrar em picadinhos, saladas e bolinhos.

Substitua a limonada tradicional pela suíça, que utiliza o limão inteiro.
Já a casca da laranja pode ser raspada para dar mais aroma em bolos e pudins – sem contar que pode ser caramelizada para fazer caldas, cremes e doces.

Cascas de frutas como abacaxi e goiaba também podem virar guloseimas.

Hábitos Envolvidos na Alimentação Sustentável

cozinhandoAlém da ausência de agrotóxicos e da maneira mais respeitosa de criar animais, a produção de alimentos orgânicos gasta 45% menos energia e gera 40% menos gases de efeito estufa.

Além disso, os alimentos são mais ricos em nutrientes. Um ovo, por exemplo, possui mais vitaminas A e E, e mais ômega-3, que os convencionais.

Cuide bem das suas panelas: quanto mais preservada, melhor cozinham os alimentos e menos energia gastam. Se forem menores que a boca do fogão, podem desperdiçar 40% do calor gerado.
Para aumentar a eficiência das panelas, cozinhe com a tampa fechada.

Seja vegetariano uma vez por semana. A produção de frutas, verduras e legumes tende a consumir muito menos recursos do que a criação de animais para abate.

Se as receitas do cardápio da semana sobraram na geladeira, tente criar novos pratos a partir delas.

Coloque no prato só aquilo que for comer. O que sobra tende a ir para o lixo – e desperdício é exatamente o que a alimentação sustentável quer evitar.

Faça refeições em família com a maior frequência possível. Assim você economiza gás e energia para aquecer os pratos, já que só precisarão ser esquentados de uma só vez, e não de pessoa por pessoa.

E por fim: se ainda assim sobrarem restos de alimentos, eles podem ir para uma compostagem, que é outra técnica sustentável que vale a pena colocar em prática.