Xaxim ou samambaia-açu

Escrito por

Nome Botanico:Dycksonia sellowiana Hk.

Nomes Populares:Samambaiaçu, samambaiaçu-imperial, xaxim

Família:Pteridophyta – Família Dicksoniaceae

Origem:Nativo da Mata Atlântica, encontrado desde Minas até o Rio grande do Sul. Também encontrado na América Central.

Descrição:

É um feto que pode atingir até 5,0 m ou mais, de estipe arborescente, ereto, cilíndrico, com partes das cicatrizes das folhas antigas, dando a aparência de ter escamas.

As folhas são grandes, até 2,0 m de comprimento, finamente pinadas.

Vegeta espontaneamente em várias altitudes, sendo encontrado desde 2 200 m no Itatiaia no Rio de Janeiro até regiões ao nível do mar no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.


Seu tronco é leve e poroso e foi muito usado para a confecção de vasos, placas e estacas para cultivar orquídeas, bromélias e outras samambaias.

Em risco de extinção:

O extrativismo desenfreado colocou a planta em risco de extinção.

Após a resolução 278/2001 do CONAMA foi proibida a extração e o uso de material proveniente do xaxim.
No RS é proibida a entrada no Estado de manufaturados mas outros estados brasileiros não seguem esta prática, o que é lamentável.

Materiais substitutos ao xaxim:

Há outros materiais que podem ser usados para cultivo de orquídeas e bromélias, como os provenientes da indústria do coco, cascas de pinus, eucalipto, etc.

Podemos contribuir para evitar a extinção do xaxim, evitando adquirir materiais oriundos desta planta, ajudando assim a preservação deste belo exemplar que é um dos nossos patrimônios vegetais.

Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: mauroguanandi