Aspidistra (Aspidistra elatior)

Escrito por

 

 

Nome cientifico:Aspidistra Elatior Blume

Nomes Populares:Aspidistra

Família:Angiospermae – Família Ruscaceae

Origem:China

Descrição:

Planta herbácea perene de rizomas ao nível da terra, de folhas de consistência coriáceas, largas, verdes, por vezes com listras na cor creme.

Inflorescência arroxeada, meio escondida entre as folhas, pode passar despercebida.

Pode ser cultivada em qualquer parte do país, inclusive nos Estados mais frios.

Como plantar a aspidistra:

Aprecia locais à meia sombra, prestando-se para cultivo sob árvores. 
Ao sol costuma apresentar queimadura castanha nas folhas.

O solo de cultivo deve ser rico em matéria orgânica, solto e permeável.
Aprecia regas regulares.

Plantio em vaso:

Devemos plantar a aspidistra em vaso de boca larga sem ser muito fundo.
Proteger o furo de drenagem com cascalho e areia úmida.
Colocar composto orgânico, acomodar o torrão e preencher com mais composto orgânico.
Não enterrar demais os rizomas, pois deles brotarão as folhas.
Regar bem e manter em local protegido sem sol direto.

Para adubação de reposição adicionar adubo NPK formulação 10-10-10, cerca de 100 gramas por vaso de tamanho médio, incorporado ao solo do vaso.
Fazer esta tarefa uma vez ao ano, na primavera, quando a planta inicia novamente seu crescimento.

Propagação da Aspidistra:

Para fazer mudas de aspidistra, separar os rizomas, mantendo sempre gemas com 1 a 2 folhas e plantar da mesma forma que foi descrito acima.

Para comercialização, usar recipientes de boca larga e plantar mais de uma muda de modo a oferecer ao cliente um vaso bem cheio de folhagem.

Paisagismo:

aspidistra em vaso
Esta planta já foi a queridinha de nossas avós e tias e havia sido relegada ao esquecimento.
Volta agora a fazer parte de projetos de paisagismo, encontrando seu lugar à sombra de árvores, junto a muros onde não incide o sol, em vasos para interiores e áreas de lazer cobertas.

Dentro de casa deixe junto à janela onde a luz é coada por cortinas.
Fará belo efeito e não necessita de estágio em estufa para se recuperar, pois tolera bem locais mais sombrios.