Pacová ou Babosa de pau (Philodendron Martianum)

Escrito por

Nome botanico: Philodendron martianum Engl.
Sin.: Philodendron cannaefolium Sweet

Nomes Populares : Filodendro, pacová, babosa de pau, babosa de árvore

Família : Angiospermae – Família Araceae

Origem: Brasil

Pacová ou Babosa de pau - Descrição:

Pacová ou Babosa de pauPlanta herbácea de folhagem perene que pode atingir grande altura, sendo variável entre 1,20 e 2,0 metros.

É escandente e pode ser usada para junto de muros ou mesmo vasos em interiores.

As folhas são grandes, ovais acuminadas com grandes pecíolos alongados imbricados.

Têm consistência coriácea, são inteiras de bordas lisas cor verde-escuras, brilhantes na página superior e se inserem em forma de roseta.

As flores são em espádice produzidas raramente e não são atrativas para efeito ornamental.

Modo de Cultivo :

Pacová ou Babosa de pau em vaso
Esta planta necessita de cultivo à meia sombra.

O sol direto tende a causar manchas castanhas de queimadura.

Seu cultivo em interiores é bastante comum, causando belo efeito pela folhagem brilhante e com ar tropical.

Usar recipientes grandes de cimento ou cerâmica com boca larga, pois desenvolve bom diâmetro, colocar a planta em recantos com espaço.

Substrato de cultivo com bom teor de matéria orgânica, poroso e regado com frequência.

Pacová ou Babosa de pau - Plantio em canteiros:

No plantio em canteiro abrir um buraco maior que o torrão.

Misturar húmus de minhoca com areia e adubo animal de curral bem curtido, cerca de 500 gramas a 1 kg, conforme o tamanho da muda ou adubo de aves, a metade desta quantidade.

Adicionar também adubo granulado NPK formulação 10-10-10, cerca de 100 a 200 gramas por muda.

Misturar tudo e colocar no fundo, acomodar o torrão e preencher as laterais.

Se o solo for muito compactado será conveniente soltar um pouco a terra do fundo e das laterais para permitir o desenvolvimento das raízes.
Regar muito bem. Nos próximos dias regar se não chover. 

Plantio em vasos:

Pacová ou Babosa de pau em vaso ll

 

Para vasos, proteger o furo de drenagem com geomanta e brita por cima.

Colocar parte do substrato misturado, acomodar a muda e preencher as laterais com a mistura.

Vasos destinados para interiores será conveniente não colocar o adubo animal para evitar odores.

Propagação e mudas do philodendron martianum:

A propagação é feita por sementes colocadas em substrato leve e poroso como terra misturada a casca de arroz carbonizada ou perlita, mantendo em cultivo protegido e sempre regando com frequência.

É possível também a separação de touceiras adultas para obtenção de mais mudas, plantando em substrato semelhante ao já nomeado.

Pode ser cultivada nas regiões do Brasil com clima ameno a quente.

É sensível a baixas temperaturas, quando então se recomenda o cultivo em interiores.