Jardins em Regiões Serranas do Sudeste

Escrito por

As regiões de maior altitude da Região Sudeste podem ir de 845 metros no Estado do Rio de Janeiro até 2 mil metros no de São Paulo. Podem ter temperaturas muito baixas, semelhante ao clima do Sul do país. Saiba como criar um jardim nessas áreas serranas.

No Sudeste do Brasil temos um clima que varia conforme a altitude. Apresenta no litoral verões quentes, mas invernos com temperaturas amenas.

A semelhança entre estes jardins podem surpreender os visitantes. Suas cidades apresentam um paisagismo diferente, não tropical.

Dicas para Planejar seu Jardim da Serra

Ao planejar um jardim é preciso antes de tudo anotar todos os itens desejados. Isso vai servir de base para determinar o tipo de planta a colocar.

A entrada é sempre o cartão de visita, o que o cliente, amigo ou parentes irão ver primeiro. Portanto, conforme o tipo de jardim e seu uso são possíveis determinar os caminhos, pisos, canteiros e áreas diversas de uso.

Em regiões de altitude, é muito comum usar estes espaços com gramados, árvores e arbustos de folhagem perene, formando compactas massas verdes.

Árvores Típicas das Regiões Serranas do Sudeste

Sibipiruna

Árvores como a pata-de-vaca (Bauhinia variegata) com flores brancas ou rosa é um adendo interessante em áreas que possam ter uma árvore de pequeno porte.

Para lugares mais amplos onde se deseja uma boa sombra para lazer o açoita-cavalo (Luhea divaricarata), uma nativa brasileira, será ótima escolha.

Mas desejando flores mais chamativas, a recomendação fica com a sibipiruna (Caesalpina peltophoroides) com seus longos cachos de flores amarelas.

Flores para Colorir o Jardim da Casa de Campo

Plantas de flores em tons fortes devem ser combinadas com outras que estejam floridas na mesma estação. Isso evitar profusão de cores onde nem sempre o contraste é o que fica mais bonito.

O cultivo de hortências (Hydrangea macrophylla) na região de Petrópolis, no Rio de Janeiro, pode remeter a lembrança de outras duas cidades serranas – Gramado ou Canela, ambas no Rio Grande do Sul.

rasteira falsa érica

Falsa-Érica

Esses arbustos de grandes cachos de flores rosa ou azuis são muito ornamentais e preenchem grandes espaços, principalmente em leves declives.

Novos cultivares estão disponíveis para quem deseja outras cores, como branca, azul mais intensa ou vermelha.
Arbustos floríferos além da hortência também podem trazer encanto a pequenas áreas junto da residência, em conjunto com outras plantas verdes, numa combinação de texturas e cores.

O litospermo, também conhecido como falsa-érica (Leptospermum scoparum), é uma planta graciosa de pequenas flores que poderá se usada nos projetos de ajardinamento destas regiões de altitude. Ele tolera bem temperaturas mais amenas a frias.

Realizando um trabalho de condução, é possível torná-lo uma pequena arvoreta de belo efeito.

Conjuntos de plantas rasteiras podem ser usados para completar o canteiro e proteger a terra da excessiva evaporação das regas. Também enfeitam o espaço e impedem que as gotas de chuvas provindas do beiral deixem manchas de terra nas paredes.

Podemos optar pela vinca azul (Vinca major), mas também poderemos plantar violetas (Viola odorata). A planta-alumínio (Lamium maculatum) ou barba-de-serpente (Ophiopogon) são plantas perenes, diminuindo assim a manutenção do local.

Arbustos para Jardins do Campo

bela emilia

Bela Emília

Arbustos de poucas raízes, herbáceas e forrações poderão trazer ao espaço colorido e dar ambiência agradável.

Um arbusto de delicada aparência, a russélia (Russelia equisetiformis) com delicadas flores vermelhas campanulada. Possui longos ramos decumbentes, que preenchem um destes espaços com eficiência.

Também a bela-emília (Plumbago auriculata) de pequenos buquês de flores azuis, poderá formar acima do declive ou abaixo um renque florido de grande efeito.

A conhecida alamanda-amarela (Allamanda cathartica) poderá ser usada sem que esteja apoiada a cerca ou pergolado, simplesmente solta no chão ou enroscando os ramos, conduzindo-se assim a formação de uma touceira.

Canteiros que dão um Toque Especial em Meio aos Gramados

Espaços gramados de maiores dimensões permitem a formação de canteiros com touceiras de plantas chamativas, como a ave-do-paraíso (Strelitzia reginae), azaleias (Rhododendron simsii) ou mesmo fórmios (Phormium tenax) de cor vinho ou verde com listras de cor creme nas bordas.
São plantas encontradas facilmente em hortos e floriculturas, cuja manutenção é muito simples.

O uso de separador de grama é uma solução para isolar a touceira do gramado, mantendo um espaço definido, pois a grama tende a formar linhas de desenvolvimento desencontradas.

Assim, o jardineiro muitas vezes danifica a touceira ao aproximar a máquina de cortar grama, com fio de nylon ou a roçadeira.

Colocar apenas cascas de pinus ao redor da muda. Evitar o plantio de mudas rasteiras que tirarão todo o efeito da touceira, principalmente plantas que tenham caráter trepador como a hera (Hedera helix).